Exportar registro bibliográfico

Exposição à realidade virtual no tratamento da fobia social: um estudo aberto (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: GIBARA, CRISTIANE MALUHY - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MPS
  • Subjects: REALIDADE VIRTUAL (ANORMALIDADES); FOBIA SOCIAL (TERAPIA); SOFTWARES; TERAPIA COGNITIVA
  • Keywords: Anxiety disorders; Cognitive behavioral therapy; Fobia social; Social phobia; Software; Software; Terapia comportamental cognitiva; Terapia de exposição à realidade virtual; Transtorno de ansiedade; Virtual reality exposure therapy
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Construir um programa de Exposição à Realidade Virtual para tratar Fobia Social, avaliá-lo e aperfeiçoá-lo por meio de uma análise quantitativa e qualitativa. Método: Finalizaram o tratamento 21 sujeitos (11 homens e 10 mulheres) entre 18 e 63 anos diagnosticados pelo Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais 4a edição- texto revisado (DSM -IV- TR) para fobia social. Foram excluídos os sujeitos com depressão grave, com risco de suicídio, transtornos psicóticos e abuso de substância. Principais medidas de avaliação quantitativa: Escala de Ansiedade Social de Liebowitz - LSAS; Escala de Impressão Clínica Global - CGI; Escala para Incapacitação de Sheehan; Escala de Adequação Social - EAS; e Questionário de Pensamentos Automáticos - ATQ 30. Avaliação qualitativa: Questionário Metodológico Qualitativo de Avaliação de Ansiedade Social. Procedimento: as Escalas e os Instrumentos foram aplicados no pré-tratamento, no pós-tratamento e no seguimento após seis meses de tratamento. O Questionário Metodológico Qualitativo de Avaliação de Ansiedade Social foi aplicado no pós-tratamento. O tratamento consistiu em até 12 sessões de 50 minutos cada de exposição à Realidade Virtual. Resultados: Observou-se redução significativa no escore pós-tratamento que se manteve no seguimento, nas escalas que avaliaram ansiedade, fobia e disfunções cognitivas (LSAS, ATQ e EAS). Na CGI, houve redução na gravidade da doença após o tratamento e isto se manteve no seguimento.Os pacientes apresentaram melhora do transtorno que também se manteve no período do seguimento. A Escala de Incapacitação de Sheehan mostrou melhora significativa da vida profissional, social e familiar. O número médio de sessões para a diminuição da ansiedade social foi de 7. Conclusão: O tratamento utilizado neste estudo teve boa aceitação, boa adesão, auxilia na diminuição da ansiedade social como também no enfrentamento das situações temidas. Estudos controlados ulteriores deverão ser realizados para verificar se ratificam estes resultados preliminares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.05.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GIBARA, Cristiane Maluhy; LOTUFO NETO, Francisco. Exposição à realidade virtual no tratamento da fobia social: um estudo aberto. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-24062014-121757/ >.
    • APA

      Gibara, C. M., & Lotufo Neto, F. (2014). Exposição à realidade virtual no tratamento da fobia social: um estudo aberto. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-24062014-121757/
    • NLM

      Gibara CM, Lotufo Neto F. Exposição à realidade virtual no tratamento da fobia social: um estudo aberto [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-24062014-121757/
    • Vancouver

      Gibara CM, Lotufo Neto F. Exposição à realidade virtual no tratamento da fobia social: um estudo aberto [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5142/tde-24062014-121757/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021