Exportar registro bibliográfico

Riscos corporativos em uma rede de cooperação: o caso das empresas associadas à Rede Arrozeiras do Sul (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: RESKE FILHO, ANTôNIO - FEA
  • Unidade: FEA
  • Sigla do Departamento: EAD
  • Assunto: ADMINISTRAÇÃO DE RISCO
  • Keywords: Cooperation networks; Corporate risk; Gestão estratégica de riscos; Rede Arrozeiras do Sul; Redes de cooperação; Riscos corporativos; Southern rice processing network; Strategic risk management
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese trata das Redes de Cooperação e seus riscos corporativos. As Redes de Cooperação ficam definidas como associações de empresas atuantes em um mesmo setor da economia, explorando mercados de fatores e mercados de produção. A Rede Arrozeiras do Sul, com sede em Santa Maria/RS, organizada em 2005, é a primeira rede de indústrias orizícolas do Brasil. Surgiu com onze empresas associadas, para fortalecer suas cooperadas, abrangendo inicialmente toda a região central do Estado do Rio Grande do Sul. Atualmente, conta com dezesseis indústrias de beneficiamento de arroz e tem como missão criar diferenciais competitivos às cooperadas no que diz respeito à compra, industrialização e comercialização de arroz. As associadas à Rede Arrozeiras do Sul recorrem praticamente aos mesmos fornecedores de matérias-prima e insumos, e/ou concorrem pela preferência dos mesmos clientes em potencial. Quando bem gerenciado, esse tipo de empreendimento, que alguns veem como uma associação que se destina a unir esforços e interesses comuns a todos os cooperados, reduz os riscos decorrentes de se operar em mercados competitivos no curto e médio prazo. Paradoxalmente, no longo prazo, podem surgir riscos de um ou mais participantes colocarem seus interesses particulares acima e em oposição aos objetivos da Rede. Em outras palavras, a possibilidade de ocorrerem procedimentos conflitantes, que possam impedir a realização dos objetivos da Rede no longo prazo, demanda gerenciamento estratégico de taisriscos. No contexto desse trabalho, considerando-se os conceitos propostos pelo IBGC, COSO e ISO 31000, riscos gerenciais são definidos como a consequência lógica e natural de se ousar a ter uma atitude. E quando se ousa a fazer algo em conjunto ou com a participação de varias entidades - sejam elas pessoas físicas, ou jurídicas - os riscos se multiplicam na razão direta do número de participantes. A estratégia, por sua vez, é definida como o conjunto de planos e medidas necessárias para atingir-se a um objetivo ou finalidade colimada. Assim, esta pesquisa buscou responder à seguinte pergunta: quais as possibilidades e as limitações de a gestão estratégica de risco apoiar a gestão da Rede Arrozeiras do Sul? Com esse questionamento, o objetivo básico e fundamental foi o de propor uma sistematização de riscos corporativos (normativo e descritivo), para a Rede de Cooperação. O método empregado para identificar tal instrumento foi de uma pesquisa de natureza qualitativa, classificada como uma pesquisa do tipo avaliação e aplicação, cuja população foi composta por dezesseis [16] empresas integrantes da Rede Arrozeira do Sul. Os resultados obtidos apontam que a rede encontra-se plenamente implantada, mas que os associados não exploram todas as possibilidades e vantagens que uma rede pode lhes propiciar. Verificou-se que as compras de matérias-prima e insumos, por meio da entidade \"Rede Arrozeiras do Sul\", ficavam limitadas ao intervalo de 2% a 20% do volume requisitado nosprocessos produtivos dos associados. Entretanto, para 75% dos entrevistados, os interesses dos associados à rede são efetivamente compartilhados. Os principais riscos existentes para a Rede Arrozeiras do Sul, na opinião dos entrevistados, são a questão tributária, seguida por políticas governamentais e negociações externas, ocorridas após decisões tomadas na rede em relação as compras/vendas e redução nos padrões de qualidade dos produtos. A tabulação dos dados coletados nos questionários e/ou obtidos por meio de entrevistas permitiu apresentar um esboço de proposta para um modelo teórico, a fim de sistematizar riscos corporativos para uma Rede de Cooperação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.05.2014
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RESKE FILHO, Antônio; OLIVA, Fabio Lotti. Riscos corporativos em uma rede de cooperação: o caso das empresas associadas à Rede Arrozeiras do Sul. 2014.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25062014-151609/ >.
    • APA

      Reske Filho, A., & Oliva, F. L. (2014). Riscos corporativos em uma rede de cooperação: o caso das empresas associadas à Rede Arrozeiras do Sul. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25062014-151609/
    • NLM

      Reske Filho A, Oliva FL. Riscos corporativos em uma rede de cooperação: o caso das empresas associadas à Rede Arrozeiras do Sul [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25062014-151609/
    • Vancouver

      Reske Filho A, Oliva FL. Riscos corporativos em uma rede de cooperação: o caso das empresas associadas à Rede Arrozeiras do Sul [Internet]. 2014 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/12/12139/tde-25062014-151609/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021