Exportar registro bibliográfico

Estrutura genética e Desequilíbrio de Ligação em Africanos, Ameríndios · Remanescentes de Quilombos Brasileiros estimados por novos STRs-X (2014)

  • Authors:
  • Autor USP: ANDRADE, CLAUDIA CAIXETA FRANCO - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: ÍNDIOS; QUILOMBOS; AFRICANOS; GENÉTICA DE POPULAÇÕES
  • Language: Português
  • Abstract: O cromossomo X possui características que o tornam um bom marcador em estudos de genética populacional. A formação da população brasileira é resultado de cinco séculos de mistura étnica entre populações de três diferentes populações: europeus, africanos e ameríndios. Sendo assim, a população brasileira atual é considerada tri-híbrida embora as proporções dos três grandes componentes étnicos variem consideravelmente conforme a região geográfica. O objetivo deste trabalho é obter informações sobre a estrutura genética de populações urbanas brasileiras, indígena, remanescentes de quilombos e uma amostra da população africana (Congo). Foram utilizados 20 STRs localizados em três regiões do cromossomo X: Xp21, Xp-qll.l, Xq28. O total de alelos obtidas foi 169. Todas as três regiões apresentaram alelos privados, totalizando 26. A população ameríndio, Tikúna, foi a que apresentou a menor diversidade genética. Além disso, quando comparada com as outras populações, Tikúna foi a que mais se diferenciou. Era esperado que Tikúna fosse a população mais divergente e com menor diversidade, pois esta é uma população pequena e isolada que sofre as consequências da ocorrência de deriva genética. Nas mulheres, as populações mais semelhantes foram Sítio Velho-Teresina, Sítio Velho-Ribeirão Preto e Ribeirão Preto-Teresina, pois tiveram valores de Fst não significativos. Nos homens, apenas Mimbó-Sítio Velho são as populações mais semelhantes (Fst não significativo). Mimbó e Sítio Velho são os dois remanescentes de quilombos utilizados neste estudo e o histórico de formação destas populações é semelhante, o que justifica a proximidade genética entre elas. Todas as populações foram agrupadas em três clusters, tanto no grupo dos homens quanto no das mulheres. O primeiro cluster é formado, em sua grande maioria, por indivíduos da população Africana,Mimbó e Sítio Velho, representando o componente africano na população brasileira. O segundo cluster foi formado por mais de 90% da população Tikúna, sendo assim indicativo do componente ameríndio. O terceiro cluster agrupou as populações urbanas, Ribeirão Preto e Tikúna, que possuem um maior componente europeu na sua formação. DL ocorreu entre os marcadores de todos os haploblocos (DMD, PC e HEMA). HEMA foi o haplobloco com maior DL. Semelhanças e diferenças entre as populações foram encontradas de acordo com o esperado pelo histórico de formação de cada uma delas. Os três componentes genéticos (africano, ameríndio e europeu) da população brasileira foram claramente identificados nas amostras analisadas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.02.2014

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ANDRADE, Claudia Caixeta Franco; SIMÕES, Aguinaldo Luiz. Estrutura genética e Desequilíbrio de Ligação em Africanos, Ameríndios · Remanescentes de Quilombos Brasileiros estimados por novos STRs-X. 2014.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2014.
    • APA

      Andrade, C. C. F., & Simões, A. L. (2014). Estrutura genética e Desequilíbrio de Ligação em Africanos, Ameríndios · Remanescentes de Quilombos Brasileiros estimados por novos STRs-X. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Andrade CCF, Simões AL. Estrutura genética e Desequilíbrio de Ligação em Africanos, Ameríndios · Remanescentes de Quilombos Brasileiros estimados por novos STRs-X. 2014 ;
    • Vancouver

      Andrade CCF, Simões AL. Estrutura genética e Desequilíbrio de Ligação em Africanos, Ameríndios · Remanescentes de Quilombos Brasileiros estimados por novos STRs-X. 2014 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021