Exportar registro bibliográfico

Música e fenomenologia no traité de Pierre Schaeffer (2013)

  • Authors:
  • USP affiliated author: ZANGHERI, GLAUCIO ADRIANO - ECA
  • School: ECA
  • Sigla do Departamento: CMU
  • Subjects: TEORIA MUSICAL; FILOSOFIA DA MÚSICA; FENOMENOLOGIA
  • Keywords: Escuta; Listening; Music Theory; Phenomenology
  • Language: Português
  • Abstract: O Traité des Objets Musicaux de Pierre Schaeffer (1910-1995) é um trabalho teórico que propõe uma revisão radical dos fundamentos teórico-musicais. Nesse sentido, ele pode ser considerado com um dos tratados mais relevantes da História da Música. Dentre os muitos assuntos abordados no Traité, Schaeffer investiga o som tal como ele é escutado, ou seja, o som como fenômeno. No primeiro capítulo expomos um rápido contexto histórico e as razões de Schaeffer escolher essa abordagem do som. Frente a uma situação de crise da produção e do conhecimento teórico-musical, várias correntes estéticas tomam como fundamento as Ciências exatas e a Física acústica. O resultado disso é aquilo que Schaeffer denominará "músicas a priori". Essa abordagem é recusada com o argumento de que a percepção sonora não pode ser reduzida às medições que descrevem o sinal acústico. Como alternativa, Schaeffer propõe uma pesquisa musical fundamental que conceba a música como uma interdisciplina e que, sobretudo, aborde o som como fenômeno (objeto sonoro). No segundo capítulo, explicitamos a filiação fenomenológica de Schaeffer apresentando as suas fontes: Merleau-Ponty e Husserl. Ainda nesse segundo capítulo, demonstramos de que forma a concepção de objeto sonoro é entendida por Schaeffer como um objeto intencional. No terceiro capítulo, expomos a gênese do conceito de objeto sonoro começando pela "acusmática" e, logo em seguida, apresentando de que forma uma série de concepções fenomenológicas (comotranscendência, epoché e redução) são expostas por Schaeffer no próprio texto do Traité. No quarto capítulo, descrevemos a "Teoria das quatro escutas" e demonstramos em que sentido ela pode ser entendida como uma análise intencional da escuta. No quinto e último capítulo, apresentamos os dois principais resultados da análise intencional da escuta:em primeiro lugar, a correlação entre a escuta do físico e do músico; em segundo lugar, o reconhecimento de que o objeto sonoro representa uma síntese de um dualismo estrutural. Na conclusão, discutimos rapidamente as consequências da fenomenologia schaefferiana para o Programa da Pesquisa Musical proposto por Schaeffer nos Livros finais do Traité
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 17.09.2013
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZANGHERI, Glaucio Adriano; VIDEIRA JÚNIOR, Mário Rodrigues. Música e fenomenologia no traité de Pierre Schaeffer. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-11022014-113849/ >.
    • APA

      Zangheri, G. A., & Videira Júnior, M. R. (2013). Música e fenomenologia no traité de Pierre Schaeffer. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-11022014-113849/
    • NLM

      Zangheri GA, Videira Júnior MR. Música e fenomenologia no traité de Pierre Schaeffer [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-11022014-113849/
    • Vancouver

      Zangheri GA, Videira Júnior MR. Música e fenomenologia no traité de Pierre Schaeffer [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27158/tde-11022014-113849/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020