Exportar registro bibliográfico

Caracterização e avaliação dos antígenos excretadossecretados da Leishmania infantum chagasi na detecção da leishmaniose visceral canina (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: CANCINO, VIVIANA VANESSA PINEDO - IMT
  • Unidade: IMT
  • Subjects: LEISHMANIOSE VISCERAL ANIMAL; ANTÍGENOS; LEISHMANIA INFANTUM; ELISA; IMMUNOBLOTTING; TESTES IMUNOLÓGICOS
  • Language: Português
  • Abstract: Leishmaniose visceral canina (LVC) causada por L. infantum chagasi é uma doença de expansão mundial e, no Brasil, representa um grande desafio de saúde publica devido a sua urbanização. Leishmania sp excretam-secretam moléculas (ESA) em meio de cultivo com importância na indução da imunidade mediada pelas células T e B. Essas moléculas mostraram ser fonte alternativa de antígenos para o diagnóstico da leishmaniose visceral humana, principalmente por sua especificidade. O objetivo principal deste estudo foi caracterizar moléculas antigênicas excretadas-secretadas por L. infantum chagasi e avaliar seu desempenho na detecção da LVC. As melhores condições para obter os ESAs foram a incubação de 5x108 promastigotas/mL em meio RPMI-1640 por 24 horas à 26 °C. O ESA de L. infantum chagasi é constituído de moléculas termoestáveis, não é produto de degradação da molécula, apresenta reprodutibilidade em diferentes lotes e isolados, e podem ser mantidos a temperatura de -20 ⁰C por ate 12 meses. A antigenicidade do ESA e do extrato antigênico alcalino (PEA) da L. infantum chagasi é mais dirigida para epítopos proteicos do que carboidratos, porém não compartilham os mesmos epítopos reconhecidos por anticorpos anti-L. infantum chagasi. O estudo de Immunoblotting dos ESAs das espécies de L. amazonensis, L. braziliensis e L. infantum chagasi mostrou semelhanças antigênicas entre si, com intensa reatividade para a região de bandas de 26,5 a 31,5 kDa para o ESA da L. infantum chagasi, que reagiu com toda a superfície celular das três espécies de Leishmania. A análise imunodiagnóstica foi espécie dependente e os melhores índices foram alcançados com antígeno ESA da espécie homologa com sensibilidade de 96,7% a 100% e especificidade de 96,4% a 100% no ELISA (ESAELISA) e Immunoblotting (ESA-blot) respectivamente.Soros de cães sintomáticos e assintomáticos com parasitologia positiva reconheceram a região imunodominante (26,5 a 31,5 kDa), que não reagem cruzadamente com soros de cães infetados com T. cruzi ou T. evansi. ELISA e Immunoblotting com ESA mostraram resultados com excelente concordância (Kappa) em amostras de soros de cães provenientes de diferentes áreas geográficas. O ESA-ELISA mostrou ser um teste promissor no diagnóstico sorológico da leishmaniose canina e o ESA-blot um teste confirmatório de infecção por Leishmania principalmente em casos discordantes de sorologia. A combinação do ESA-ELISA e ESA-blot da L. infantum chagasi sugere elevada eficiência no diagnóstico da leishmaniose canina.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.12.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CANCINO, Viviana Vanessa Pinedo; UMEZAWA, Eufrosina Setsu. Caracterização e avaliação dos antígenos excretadossecretados da Leishmania infantum chagasi na detecção da leishmaniose visceral canina. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.
    • APA

      Cancino, V. V. P., & Umezawa, E. S. (2013). Caracterização e avaliação dos antígenos excretadossecretados da Leishmania infantum chagasi na detecção da leishmaniose visceral canina. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Cancino VVP, Umezawa ES. Caracterização e avaliação dos antígenos excretadossecretados da Leishmania infantum chagasi na detecção da leishmaniose visceral canina. 2013 ;
    • Vancouver

      Cancino VVP, Umezawa ES. Caracterização e avaliação dos antígenos excretadossecretados da Leishmania infantum chagasi na detecção da leishmaniose visceral canina. 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021