Exportar registro bibliográfico

Avaliação de sintomas e lesões esôfago-gastroduodenais secundários ao uso de antiinflamatórios (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: DIB, RICARDO ANUAR - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MGT
  • Subjects: ANTI-INFLAMATÓRIOS NÃO ESTEROIDES; ESÔFAGO (LESÕES); DUODENO (LESÕES)
  • Keywords: Esôfago/efeitos de drogas; Esôfago/lesões; Esophagus/effects drugs; Esophagus/injuries; Estômago/efeitos de drogas; Estômago/lesões; Estudos multicêntricos como assunto; Multicenter studies as a subject; Stomach/drug effects; Stomach/injuries; Anti-inflamatórios não esteróides/administração e dosagem; Anti-inflamatórios não esteróides/antagonistas e inibidores; Anti-inflamatórios não esteróides/efeitos adversos; Anti-inflamatórios não esteróides/farmacologia; Anti-inflamatórios não esteróides/uso terapêutico; Anti-inflammatory agents/administration e dosage; Anti-inflammatory agents/antagonists e inhibitors; Anti-inflammatory drugs/adverse effects; Anti-inflammatory drugs/pharmacology; Anti-inflammatory drugs/therapeutic use; Duodeno/efeitos de drogas; Duodeno/lesões; Duodenum/drug effects; Duodenum/injuries
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Os antiinflamatórios não esteróides (AINEs), incluindo a aspirina, são drogas largamente utilizadas para tratamento das doenças inflamatórias e da dor, e que podem causar efeitos colaterais sérios, causando considerável morbidade e mortalidade, relacionadas á doença ulcerosa, duodenal e gástrica, particularmente ao sangramento gastrointestinal. O risco relativo global de complicações gastroduodenais é de três a dez vezes, maior nos usuários de AINEs, quando comparado com indivíduos sadios. Cerca de 25% dos usuários crônicos dos antiinflamatórios não esteroides (AINEs) deverão desenvolver doença ulcerosa, e de 2 a 4% deverão apresentar sangramento ou perfuração. Mais de 17.000.000 de norte americanos utilizam vários tipos de drogas antiinflamatórios não esteróides (AINEs) diariamente e que provocam mais de 100.000 hospitalizações e cerca de 7000 a 10.000 mortes por ano nos Estados Unidos da América do Norte, fazendo desta família de drogas uma das mais comumente usadas em todo planeta. Cerca de 50% das lesões observadas em endoscopias de controle, ocorrem sem que o paciente tenha qualquer tipo de sintoma. Acredita-se que houve recrudescimento da prevalência de lesões digestivas pela substituição dos antiinflamatórios COX-2 pelos antiinflamatórios tradicionais, principalmente pela ausência de cuidados na prevenção deste tipo de ocorrência, em populações consideradas de risco. Objetivos: a) avaliar a prevalência de lesões e complicações digestivas secundárias ao usode AINEs; b) qual é o perfil clínico deste paciente atendido em razão de queixas digestivas e a relação destas com os achados endoscópicos. Materiais e métodos: estudo aberto, prospectivo, multicêntrico avaliando consecutivamente 1.231 pacientes submetidos a exame de endoscopia digestiva alta em virtude de queixas digestivas, única ou associadas, como: 1) pirose; 2) dor epigástrica; 3) dor abdominal; 4) náusea; 5) vômito. Antes da realização do exame de endoscopia digestiva alta, os pacientes respondiam a questionário cujo objetivo era avaliar o início e o tipo de queixa clínica, o uso de medicamentos e possíveis complicações associadas como sangramento digestivo. Os critérios de inclusão foram: pacientes de ambos os sexos com idade mínima de 18 anos e que tivessem sintomas prévios iniciados, no máximo, há 14 dias antes da realização do exame de endoscopia digestiva alta. Os critérios de exclusão foram os de pacientes que se recusaram a participar do estudo e/ou de assinar o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, os incapazes de responder ao questionário, os com idade inferior aos 18 anos, os pacientes que já haviam realizado cirurgia gástrica e pacientes portadores de insuficiência renal ou hepática. Resultados: Foram avaliados 1.213 pacientes de 18 a 82 anos sendo que 65% destes eram do sexo feminino, 13,1% eram fumantes e 15,6% referiam ingestão de bebidas alcoólicas.A utilização de AINEs foi mais frequente no sexo feminino, porém número de complicações foi maior nos pacientes do sexo masculino (sangramentos foi duas vezes maior; p=0,045 e a ocorrência de úlcera quase 1,5 vezes maior; p=0,041). Os principais sinais e sintomas relatados foram epigastralgia e pirose (67% e 62%, respectivamente). Os 1.213 pacientes foram alocados em dois grupos: Grupo I - AINE composto por 228 (18,8%) e o Grupo II - Não AINEs (NAINEs) por 985 (81,2%) pacientes.. O exame de endoscopia digestiva alta foi normal em 3,9% dos pacientes do grupo I e em 10,7% dos do grupo II (p< 0,001). A probabilidade de um paciente que não utiliza AINE ter endoscopia digestiva alta normal é 2,5 vezes maior quando comparado aos que utilizaram AINEs (p=0,001). As presenças de lesões erosivas ou ulceradas no estômago e duodeno também foram mais frequentes nos pacientes do Grupo I quando comparado aos do Grupo II. Observa-se que é maior a incidência de lesões, tanto erosivas quanto ulceradas no estômago quando comparadas ao duodeno (erosões: 49,12% vs 13,60 respectivamente, p=0,001; úlceras: 14,04% vs 11,84% respectivamente, p= 0,05). O risco de hemorragia digestiva, 12 vezes maior (6,14% vs 0,51%) nos pacientes que fizeram uso de AINEs sendo o estômago o sítio de maior prevalência de sangramento. Não se observou diferença estatística quando analisada a presença de esofagite erosiva nos dois grupos.Conclusões: Evidenciamos frequência maior de úlcera gástrica, úlcera duodenal e sangramento digestivo nos pacientes que utilizaram AINEs. Não foram encontradas relações entre os achados endoscópicos e os sintomas dispépticos. Não observamos influência dos AINEs no aparecimento de esofagite erosiva
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.08.2013
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DIB, Ricardo Anuar; RODRIGUEZ, Tomás Navarro. Avaliação de sintomas e lesões esôfago-gastroduodenais secundários ao uso de antiinflamatórios. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5168/tde-08112013-110643/ >.
    • APA

      Dib, R. A., & Rodriguez, T. N. (2013). Avaliação de sintomas e lesões esôfago-gastroduodenais secundários ao uso de antiinflamatórios. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5168/tde-08112013-110643/
    • NLM

      Dib RA, Rodriguez TN. Avaliação de sintomas e lesões esôfago-gastroduodenais secundários ao uso de antiinflamatórios [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5168/tde-08112013-110643/
    • Vancouver

      Dib RA, Rodriguez TN. Avaliação de sintomas e lesões esôfago-gastroduodenais secundários ao uso de antiinflamatórios [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5168/tde-08112013-110643/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021