Exportar registro bibliográfico

Análise quantitativa da anatomia dos canais radiculares distais dos molares inferiores mediante a microtomografia computadorizada (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: PEREZ, CAROLINA ALTAGRACIA FILPO - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAD
  • Subjects: ANATOMIA DENTÁRIA; MOLAR; MICROTOMOGRAFIA
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo deste estudo foi avaliar, por meio de imagens obtidas a partir da microtomografia computadorizada (micro-ct), a morfologia interna de canais radiculares distais de molares inferiores. Cem imagens de raízes distais de primeiros e segundos molares inferiores foram obtidas com os microtomógrafos (Skyscan 1176 e 1174, Bélgica) utilizando uma resolução de 18.1μm. Após, a reconstrução das imagens foram feitos os modelos 3D com ajuda da ferramenta CTan e CTvol para a visualização e padronização segundo a classificação de Vertucci. Os seguintes parâmetros foram estudados: classificação morfológica, prevalência do canal principal e ramificações, classificação e prevalência de istmos, forma dos canais, diâmetro apical por meio das distâncias mesiodistais e vestibulolinguais e avaliação do volume apical. Para a avaliação do número, forma dos canais e a presença de istmos foi feito um registro de 9 cortes de cada imagem desde 1,0 até 5,0 mm apicais, considerando 0,5 mm aquém do comprimento real do canal. Para fazer a mensuração do diâmetro mesiodistal e vestibulolingual foi alinhada cada imagem por meio do programa DataViewer e depois foram feitas as anotações das medidas dos canais nos 5,0 mm apicais. O volume apical foi calculado de acordo com a ferramenta 3D Analysis do software CTan. Os resultados foram submetidos ao análise descritiva com o cálculo da porcentagem de ocorrência. Os resultados mostraram que a morfologia do canal mais prevalente foi a tipo I de Vertucci (76%), seguida do tipo V de Vertucci (11%). A forma do canal mais comum foi a circular de 1,0 a 3,5 mm, seguido pela oval de 4,0 a 5,0 mm. A presença de um canal único foi a mais prevalente nos níveis de 1,0 a 5,0 mm. O istmo mais observado foi o do tipo I de Hsu & Kim (86%) no nivel de 1,0 mm, seguido do tipo 5 (39%) a 5,0 mm. Na mensuração das distâncias, a vestibulolingual foi maior que amesiodistal e o volume aumentou de apical para cervical. Conclui-se que nos canais distais a classificação de Vertucci mais comum foi a tipo I, seguida do tipo V; a presença de um canal único foi o mais prevalente tanto nos níveis de 1,0 como 5,0 mm; quanto a forma do canal, a circular foi a mais predominante desde 1,0 a 3,5 mm (65%), seguida pela forma oval em 4,0 a 5,0 mm (40%); a forma achatada foi a menos prevalente em todos os níveis. A presença de istmos mais observada foi a do tipo I, nos níveis de 1,0 a 5,0 mm. As medidas das distâncias vestibulo-linguais foram maiores em todos os níveis da raiz comparadas com as medidas mesio-distais, e o volume aumentou de apical para cervical.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.06.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FILPO PÉREZ, Carolina Altagracia; BRAMANTE, Clovis Monteiro. Análise quantitativa da anatomia dos canais radiculares distais dos molares inferiores mediante a microtomografia computadorizada. 2013.Universidade de São Paulo, Bauru, 2013.
    • APA

      Filpo Pérez, C. A., & Bramante, C. M. (2013). Análise quantitativa da anatomia dos canais radiculares distais dos molares inferiores mediante a microtomografia computadorizada. Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Filpo Pérez CA, Bramante CM. Análise quantitativa da anatomia dos canais radiculares distais dos molares inferiores mediante a microtomografia computadorizada. 2013 ;
    • Vancouver

      Filpo Pérez CA, Bramante CM. Análise quantitativa da anatomia dos canais radiculares distais dos molares inferiores mediante a microtomografia computadorizada. 2013 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021