Exportar registro bibliográfico

Estudo socioeconômico: um instrumento técnico-operativo (2013)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GRACIANO, MARIA INES GANDARA - HRAC
  • Unidades: HRAC
  • Subjects: FATORES SOCIOECONÔMICOS; DIREITOS E GARANTIAS INDIVIDUAIS; INDICADORES ECONÔMICOS
  • Language: Português
  • Abstract: 1. INTRODUÇÃO O interesse sobre a temática - estudo socioeconômico ocorreu no sentido de disseminar conhecimentos sobre a construção de uma metodologia própria que instrumentalizasse o agir profissional e servisse de referência para os assistentes sociais, no processo de efetivação, garantia e ampliação de direitos. Segundo a lei que regulamenta a profissão de assistente social, uma de suas competências é realizar estudo socioeconômico com os usuários para fins de benefícios e serviços sociais junto a órgãos da administração pública direta e indireta, empresas privadas e outras entidades (Brasil,1993). Nesse sentido, entendemos que podemos contribuir com a profissão na definição de indicadores e critérios avaliativos a serem utilizados na realização do estudo socioeconômico em consonância com o projeto ético-político da profissão. É nesta perspectiva que o estudo socioeconômico se destaca como uma possibilidade de conhecer a realidade dos usuários, visando sua compreensão e intervenção sob a ótica da equidade e justiça social de forma a assegurar a universalidade de acesso aos bens e serviços relativos aos programas e políticas sociais. Destaca Mioto, 2009 p. 32, que “abordar o tema - estudos socioeconômicos – no âmbito do Serviço Social, remete a pensá-lo, inicialmente, enquanto parte intrínseca das ações profissionais dos assistentes sociais. Afinal de contas o desenvolvimento das ações profissionais pressupõe o conhecimento acurado das condições sociais em que vivem os sujeitos aos quais elas se destinam”. O instrumental de avaliação socioeconômica construído por Graciano; Lehfeld; (2010) e utilizado pelo Serviço Social do HRAC/USP tem servido de referência à profissão, destacando-se como um meio aproximativo de conhecimento da realidade da população. Na prática profissional, no âmbito do HRAC/USP, a metodologia (Continua)(Continuação) do estudo social visa instrumentalizar os assistentes sociais para o conhecimento das condições de vida dos usuários, implementar programas e serviços, bem como traçar o perfil dos sujeitos de amostras de pesquisa, relacionando os estratos socioeconômicos com diferentes indicadores para maior conhecimento da realidade. 2. INDICADORES E INSTRUMENTAIS NO ESTUDO SOCIOECONÔMICO. Indicador social é definido por Jannuzzi (2004), como uma medida em geral quantitativa dotada de significado social substantivo, usado para substituir, quantificar ou operacionalizar um conceito social abstrato, de interesse teórico (para pesquisa acadêmica) ou programático (para formulação de políticas). Especificamente, no estudo social, a utilização de indicadores, permitirá maior proximidade entre o conceito “abstrato” a que o indicador se propõe a operacionalizar, informando sobre aspectos ligados a realidade social. “O estudo social é um processo metodológico específico do Serviço Social que tem por finalidade conhecer profundamente, e de forma crítica, uma determinada situação ou expressão da questão social, objeto da intervenção profissional” (Fávero, 2003, p. 43). Ressaltam Pavão; Graciano; Blattner (2006) que o estudo social é baseado no contexto familiar e na realidade social, tendo como finalidade subsidiar decisões e ações, possibilitando a coleta de informações a respeito da realidade sócio-familiar de cada indivíduo e família e as questões sociais que afetam suas relações sociais, especialmente em seus aspectos socioeconômicos e culturais. Completam esses autores que o profissional de Serviço Social deve estabelecer as inter-relações entre os diversos fatores e expressões que constituem a questão social, portanto, o conhecimento acumulado do assistente social e a sua habilidade são primordiais para a realização do estudo que é (Continua)(Continuação) pautado em quatro itens fundamentais: o quê conhecer; por quê (quais os objetivos); para quê (com quais finalidades); como (quais metodologias, instrumentais e técnicas utilizadas para a ação). Nesse processo, o instrumental é definido como o conjunto articulado de instrumentos e técnicas que permite a operacionalização da ação profissional. Nessa concepção, é possível atribuir se ao instrumento a natureza de estratégia ou tática, por meio da qual se realiza a ação, e à técnica fundamentalmente a habilidade no uso do instrumental (Martinelli; Koumrouyan, 1994). É, portanto, um conjunto de procedimentos utilizados para conhecer e intervir numa determinada realidade humano social. 3. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO SOCIOECONÔMICA A construção dos indicadores necessários ao estudo e à avaliação socioeconômica, desenvolvida por Graciano; Lehfeld; (2010) e utilizado no HRAC/USP teve por objetivo refletir as situações encontradas socialmente e servir de instrumento para o conhecimento aproximativo da realidade do usuário e intervenção social. Compreende os seguintes indicadores: situação socioeconômica, número de membros da família, escolaridade, ocupação e habitação, sistematizados em uma tabela, denominada “Instrumental de avaliação socioeconômica” (anexo 1). As caracterizações foram definidas pelos referidos autores, a partir de um sistema de pontuação simples que resulta, por correlações, em seis estratos a saber: Baixa Inferior (BI), Baixa Superior (BS), Média Inferior (MI), Média (M), Média Superior (MS) e Alta (A). Em 2013, foi desenvolvida uma pesquisa com assistentes sociais de hospitais de ensino, a partir da qual foi proposto um novo protocolo de avaliação socioeconômica informatizado (Graciano, 2013). 3.1 - A configuração dos estratos sociais. Os resultados gerais obtidos na configuração dos estratos (Continua)(Continuação) sociais de uma amostra no HRAC/USP (24.808 casos), considerando conjuntamente os cinco indicadores (situação socioeconômica, número de membros da família, escolaridade, ocupação e habitação), permitiram compor a seguinte caracterização para os diferentes estratos sociais, segundo o maior número de ocorrências para cada tipo de indicador (anexo 2). 4. O INSTRUMENTAL FRENTE ÀS NOVAS EXIGÊNCIAS DA PROFISSÃO ASSISTENTE SOCIAL:ELEMENTOS CONCLUSIVOS Resgatar o estudo social afinado, articulado e fundamentado pelos princípios do projeto éticopolítico do Serviço Social torna-se necessário. O compromisso é não discriminar cidadãos no seu acesso a bens e serviços, não estabelecendo, portanto, critérios constrangedores e vexatórios que estigmatizem e rebaixem o status de cidadania dos usuários das políticas sociais públicas. Desta forma, estar-se-á garantindo, sim, que a eqüidade ancorada na universalidade propicie o conhecimento da realidade social e o atendimento das necessidades sociais particulares para melhor atender aos usuários das políticas sociais, mediante uma perspectiva conjuntiva, ampliando os direitos de cidadania em interfaces e coalizões com as demais políticas (Graciano, 2008). Portanto a avaliação socioeconômica dos usuários tem por objetivo ser um meio que possibilite a mobilização dos mesmos para a garantia de direitos e não um instrumento que impeça o acesso aos serviços conforme preconiza o Conselho Federal de Serviço Social (2010). O assistente social ao identificar a situação socioeconômica e familiar dos usuários com vistas à construção do perfil socioeconômico, deve possibilitar a formulação de estratégias de intervenção. Deve ainda, ao participar do trabalho em equipe de saúde, colaborar na interpretação das condições de saúde e de vida do usuário para o êxito do tratamento
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference title: Curso de Anomalias Congênitas Labiopalatinas

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GRACIANO, Maria Ines Gandara. Estudo socioeconômico: um instrumento técnico-operativo. Anais.. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais, 2013.
    • APA

      Graciano, M. I. G. (2013). Estudo socioeconômico: um instrumento técnico-operativo. In Anais. Bauru: Universidade de São Paulo, Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais.
    • NLM

      Graciano MIG. Estudo socioeconômico: um instrumento técnico-operativo. Anais. 2013 ;
    • Vancouver

      Graciano MIG. Estudo socioeconômico: um instrumento técnico-operativo. Anais. 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020