Exportar registro bibliográfico

Extração, caracterização e modificação química da queratina extraída das penas de frango (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: ARRUDA, MILENA NAKAGAWA DE - FCF
  • Unidade: FCF
  • Sigla do Departamento: FBT
  • Subjects: TECNOLOGIA QUÍMICA; ESPECTROSCOPIA RAMAN; PROTEÍNAS; PENAS; FRANGOS; RESÍDUOS BIODEGRADÁVEIS
  • Language: Português
  • Abstract: O aproveitamento de dejetos industriais como fonte de insumos, apresenta além da vantagem econômica pelo uso de materiais de baixo valor comercial, um forte apelo ambiental. A presença de grande produção de resíduos orgânicos em abatedouros, como as penas de frango, leva à necessidade do desenvolvimento de tecnologias que possibilitem a sua reciclagem. As penas se constituem como os materiais queratinosos mais abundantes na natureza, e por isso, podem ser usados como material de partida para diferentes aplicações biotecnológicas, químicas e farmacêuticas. Existem na literatura vários métodos de extração de queratina das penas de frango, como as extrações por hidrólises ácidas e alcalinas, que além da desvantagem da hidrólise total da proteína, rompem também os sítios principais de reação de crosslinkings da proteína. Outros procedimentos envolvem o uso de grandes concentrações de reagentes onerosos, como o 2-mercaptoetanol e as enzimas proteolíticas. Estudo realizado por planejamento fatorial visou à extração e fragmentação da queratina, através da combinação de diferentes concentrações de sulfito de sódio, uréia e papaína. Ensaios preliminares de modificação da queratina foram conduzidos após esta extração. Temperaturas acima de 80°C, e concentrações intermediárias de uréia (3,75M) combinadas a baixas concentrações de sulfito de sódio (0,1M - 0,18M) foram os melhores parâmetros de extração. A hidrólise enzimática apresentou-se adequada somente quando combinada ao préviotratamento químico. A combinação dos dois processos extrativos resultou em redução do tempo de reação da hidrólise enzimática. A queratina obtida apresentava tamanho de fragmentos homogêneos, ao redor de 650nm, e um grau de pureza de 72%-89% em massa seca de proteína purificada. A caracterização físico-química dos derivados da queratina demonstra a amplitude desta proteína como insumo para aplicações diversas. O estudo da inserção de grupamentos polares na molécula de queratina é feita por análise da solubilidade em diferentes solventes e por espectroscopia vibracional Raman
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.04.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARRUDA, Milena Nakagawa de; POLAKIEWICZ, Bronislaw. Extração, caracterização e modificação química da queratina extraída das penas de frango. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9135/tde-11092013-150522/ >.
    • APA

      Arruda, M. N. de, & Polakiewicz, B. (2010). Extração, caracterização e modificação química da queratina extraída das penas de frango. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9135/tde-11092013-150522/
    • NLM

      Arruda MN de, Polakiewicz B. Extração, caracterização e modificação química da queratina extraída das penas de frango [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9135/tde-11092013-150522/
    • Vancouver

      Arruda MN de, Polakiewicz B. Extração, caracterização e modificação química da queratina extraída das penas de frango [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9135/tde-11092013-150522/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021