Exportar registro bibliográfico

Caracterização do desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo em unidade de terapia intensiva neonatal (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated author: MANHABUSQUE, KATIA VALÉRIA - FSP
  • School: FSP
  • Sigla do Departamento: HSM
  • Subjects: RECÉM-NASCIDO; DOENÇAS RESPIRATÓRIAS; UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA; IDADE GESTACIONAL; FATORES DE RISCO; MORBIDADE; MORTALIDADE PERINATAL
  • Language: Português
  • Abstract: A doença respiratória no período neonatal representa a principal causa de internação do recém nascido em unidade de terapia intensiva neonatal (UTIN). Está envolvida em diversos diagnósticos neste período independente da idade gestacional, acometendo tanto prematuros quanto recém-nascidos a termo. Representa importante questão de saúde pública, pois figura entre as causas de mortalidade infantil. Objetivo: Descrever o desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo, admitidos em UTIN, identificando fatores de risco materno e fetais para morbidade respiratória, bem como as afecções mais freqüentes em cada grupo. Metodologia: Foram coletados dados de prontuários de 585 recém-nascidos (RN) admitidos em UTIN no período de 2 anos, sendo que 557 RN preencheram os critérios de inclusão no estudo. As variáveis incluíram dados gestacionais, aspectos relacionados ao parto e evolução clínica. Foram utilizadas tabelas de freqüência para descrever a distribuição dos recém-nascidos a termo e pré-termo segundo variáveis independentes, com associação averiguada pelo teste do qui-quadrado. Para descrição das variáveis quantitativas, utilizaram-se valores de mediana e percentis 25 e 75. A digitação dos dados foi feita no programa Excel e a análise no Stata 11.0, estabelecendo como nível de significância 5 por cento. Resultados: 89,8 por cento dos nascimentos foram partos operatórios. Baseado em critérios do Ministério da Saúde as gestantes foram adequadamente assistidas no pré-natal e estavam em idade reprodutiva considerada de baixo risco. A afecção gestacional não infecciosa mais freqüente foi a doença hipertensiva específica da gestação (DHEG) e a infecciosa foi a infecção do trato urinário. Os recém-nascidos a termo representaram 38,2 por cento das admissões.As afecções mais freqüentes destes foram a taquipnéia transitória, seguida da pneumonia congênita e sepse clínica. Os prematuros representaram 61,8 por cento das admissões, o principal diagnóstico foi a síndrome do desconforto respiratório, seguida da sepse clínica e pneumonia. Conclusões: observaram-se altas taxas de cesarianas, concordantes com a tendência de aumento verificadas em muitos países, porém em proporções muito mais elevadas. Tais taxas associaram-se com a morbidade respiratória, especialmente nas cesarianas eletivas (sem indicação obstétrica) e nos recém-nascidos a termo. A maioria dos recém-nascidos submeteu-se a oxigenioterapia, tanto durante a assistência a sala de parto, quanto durante a internação. Excluindo as doenças próprias do aparelho respiratório, a sepse clínica de provável origem materna foi a principal causa de desconforto respiratório nos dois grupos estudados
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.11.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MANHANBUSQUE, Katia Valeria; SIQUEIRA, Arnaldo Augusto Franco de. Caracterização do desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo em unidade de terapia intensiva neonatal. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.
    • APA

      Manhanbusque, K. V., & Siqueira, A. A. F. de. (2012). Caracterização do desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo em unidade de terapia intensiva neonatal. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Manhanbusque KV, Siqueira AAF de. Caracterização do desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo em unidade de terapia intensiva neonatal. 2012 ;
    • Vancouver

      Manhanbusque KV, Siqueira AAF de. Caracterização do desconforto respiratório em recém-nascidos a termo e pré-termo em unidade de terapia intensiva neonatal. 2012 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020