Exportar registro bibliográfico

Estudo in vitro da formação do biofilme de Candida albicans em resina acrílica termopolimerizável revestida por nanopartículas de dióxido de silício (revestimento cerâmico) (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: OLIVEIRA, DENISE GUSMÃO DE - FOB
  • Unidade: FOB
  • Sigla do Departamento: BAP
  • Subjects: CANDIDA ALBICANS; POLIMENTO DENTÁRIO; NANOPARTÍCULAS; PRÓTESE TOTAL; MICROSCOPIA CONFOCAL
  • Language: Português
  • Abstract: A proposta deste trabalho foi analisar um produto experimental (VIPI LTDA, Pirassununga, SP), que através da tecnologia sol-gel, modifica a superfície de resinas acrílicas para base de próteses e forma uma camada de nanopartículas de sílica (NPS) visando diminuir o acúmulo e facilitar a remoção de microrganismos. Dessa forma, inicialmente, confirmou-se a deposição de NPS e formação do revestimento cerâmico em polimetilmetacrilato (PMMA) através de espectroscopia no infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR); e posteriormente, quantificou-se o biofilme de Candida albicans nesta superfície através da contagem de unidades formadoras de colônia (UFC/mL) e microscopia confocal (MC). Um total de 51 espécimes (10x10x3mm) de PMMA foi confeccionado e distribuído aos experimentos designados. Para a análise da composição dos espécimes em FTIR, foram avaliados 3 grupos (n=1): CN- espécime que não recebeu tratamento algum; CP- espécime que recebeu a aplicação do primer do produto; CL- espécime que passou tanto pela aplicação do primer como pelo processo sol-gel. Na etapa seguinte, foram utilizados 48 espécimes divididos em 3 grupos (n=16), de acordo com o tipo de polimento: PM3- mecanicamente polido com 3μm de rugosidade média; PM03- mecanicamente polido com 0,3μm de rugosidade; PL- polido quimicamente pelo líquido conforme instruções do fabricante. Anteriormente aos experimentos, os espécimes foram esterilizados por óxido de etileno e, então, imersos em saliva artificial por 2hs para a formação da película adquirida. Em seguida, foram secos e inoculados com 2mL de suspensão de C. albicans (1.107 cel/mL) para adesão das células fúngicas durante 90min. Após esta fase, as amostras foram lavadas em solução salina e imersas em meio estéril (RPMI) para crescimento do biofilme em estufa sob agitação (12hs a 37oC). Metade do número das amostras de cada grupo (n=8) foidestinada a contagem de UFC/mL e a outra metade dos espécimes (n=8), foi designada ao método de MC, que com o auxílio de um software (BioImageL v.2), permitiu a determinação do biovolume total (μm3), biovolume de células viáveis (μm3), biovolume de células não-viáveis (μm3) e área de cobertura do campo pelo biofilme (%). Os dados obtidos pelo FTIR foram analisados através da estatística descritiva. Os resultados obtidos pelos experimentos de quantificação após teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov foram analisados através do teste paramétrico ANOVA, seguido do teste de Tukey para comparações entre grupos (p<0,05). Através do FTIR, observou-se a deposição satisfatória da camada de NPS, permitindo assim, o desempenho dos experimentos de quantificação. Os resultados do UFC/ml e MC demonstraram semelhança na quantificação do biofilme entre os grupos PL e PM3, e diferença quando comparados ao grupo de superfícies mais lisas, PM03. Dessa forma, observou-se que o polimento líquido experimental não foi efetivo para a diminuição da colonização de biofilme deC. albicans em superfícies de PMMA. Entretanto, maiores investigações sobre as propriedades de superfície deste revestimento devem ser realizadas, já que o processo sol-gel permite uma facilidade na modificação dessas características, podendo levar ao desenvolvimento de um material de revestimento ideal.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.05.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Denise Gusmão de; PORTO, Vinícius Carvalho. Estudo in vitro da formação do biofilme de Candida albicans em resina acrílica termopolimerizável revestida por nanopartículas de dióxido de silício (revestimento cerâmico). 2013.Universidade de São Paulo, Bauru, 2013.
    • APA

      Oliveira, D. G. de, & Porto, V. C. (2013). Estudo in vitro da formação do biofilme de Candida albicans em resina acrílica termopolimerizável revestida por nanopartículas de dióxido de silício (revestimento cerâmico). Universidade de São Paulo, Bauru.
    • NLM

      Oliveira DG de, Porto VC. Estudo in vitro da formação do biofilme de Candida albicans em resina acrílica termopolimerizável revestida por nanopartículas de dióxido de silício (revestimento cerâmico). 2013 ;
    • Vancouver

      Oliveira DG de, Porto VC. Estudo in vitro da formação do biofilme de Candida albicans em resina acrílica termopolimerizável revestida por nanopartículas de dióxido de silício (revestimento cerâmico). 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021