Exportar registro bibliográfico

Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em árvores de Pinus caribaea var. ondurensis e de Pinus taeda em Itatinga, São Paulo (2013)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CARNEIRO, RAFAELA LORENZATO - ESALQ
  • Unidades: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCF
  • Subjects: FOTOSSÍNTESE; TRANSPIRAÇÃO VEGETAL; PINHEIRO
  • Language: Português
  • Abstract: Realizaram-se campanhas em árvores de cinco anos de idade de Pinus caribaea var. hondurensis e Pinus taeda em parcelas controle (sem fertilização e sem irrigação) e parcelas fertilizadas e irrigadas, durante o verão e o inverno de 2012 visando caracterizar as seguintes variáveis fisiológicas: i) Capacidade máxima fotossintética (Amax); ii) Fotossíntese ao longo do dia (A); iii) Variação da condutância estomática (gs) em relação ao aumento do déficit de pressão de vapor (DPV); e iv) Taxas máximas de carboxilização (Vcmax) e de transporte de elétrons (Jmax) via curvas A/Ci. O estudo foi realizado no projeto Produtividade Potencial do Pinus no Brasil, localizado na Estação Experimental da ESALQ/USP em Itatinga-SP.Foram escolhidas três árvores médias por parcela para as avaliações fisiológicas, realizadas com o LiCor 6400XT. A mensuração da Amax foi realizada no terço médio da copa, em dois galhos por árvore e em duas posições por galho, sendo realizada das 8 às 10 horas, e o comportamento da A, gs com o aumento do DPV, ocorreram de hora em hora, das 11 às 15 horas. Ao final, as acículas foram coletadas para a determinação da área foliar específica (AFE) e do nitrogênio foliar. As curvas A/Ci foram realizadas nas três árvores, um galho por árvore e duas posições por galho, entre 8 e 12 horas. Aos cinco anos o Pinus caribaea var. hondurensis apresenta o dobro do volume de madeira do que o Pinus taeda. As duas avaliações fisiológicas mostraram valores similares entre tratamentos,para cada espécie. Os valores de Amax foram maiores durante o verão e o Pinus caribaea var. hondurensis mostrou grande sensibilidade, comparativamente ao Pinus taeda. Ao analisar os dados de A e gs ao longo do dia, observa-se também maiores variações do Pinus caribaea var. honduresis. Os valores médios de Amax para o verão e o inverno foram 8,2 e 4,8 ?mol m-2 s-1 e 6,8 e 6,3 ?mol m-2 s-1 para o Pinus caribaea var. hondurensis e o Pinus taeda, respectivamente. Ocorreu redução dos valores de A e gs com o aumento do DPV, para ambas as campanhas em relação ao Pinus caribaea var. hondurensis e somente no inverno para o Pinus taeda. As duas espécies apresentaram relação positiva entre fotossíntese e transpiração, sendo que o Pinus caribaea var. hondurensis apresenta maior eficiência no uso da água. As médias da AFE e nitrogênio foliar foram de 9,6 m²kg-1, 10,1g Kg-1 e 10,0 m²kg-1, 13,4g Kg-1, para o Pinus caribaea var. hondurensis e Pinus taeda, respectivamente. Em relação aos parâmetros fotossintéticos o Pinus taeda se destacou em ambas as campanhas, com valores médios de Vcmax e Jmax maiores que o Pinus caribaea var. hondurensis, relacionado à maiores concentrações de nitrogênio foliar. Não houve relação entre o crescimento em biomassa das árvores e as medições da fotossíntese a nível foliar, indicando que outros processos a nível de copa, uso e alocação de fotossintetizados devem ser investigados para explicar a diferença de crescimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.08.2013
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARNEIRO, Rafaela Lorenzato; STAPE, Jose Luiz. Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em árvores de Pinus caribaea var. ondurensis e de Pinus taeda em Itatinga, São Paulo. 2013.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-10092013-170745/ >.
    • APA

      Carneiro, R. L., & Stape, J. L. (2013). Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em árvores de Pinus caribaea var. ondurensis e de Pinus taeda em Itatinga, São Paulo. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-10092013-170745/
    • NLM

      Carneiro RL, Stape JL. Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em árvores de Pinus caribaea var. ondurensis e de Pinus taeda em Itatinga, São Paulo [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-10092013-170745/
    • Vancouver

      Carneiro RL, Stape JL. Caracterização da capacidade fotossintética e da condutância estomática em árvores de Pinus caribaea var. ondurensis e de Pinus taeda em Itatinga, São Paulo [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-10092013-170745/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020