Exportar registro bibliográfico

Nasalancia e nasalidade da voz traqueoesofágica de laringectomizados totais (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: IQUEDA, ADRIANA PEREIRA DEFINA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: ROO
  • Subjects: LARINGECTOMIA; VOZ ALARÍNGEA; PRÓTESES E IMPLANTES; NEOPLASIAS LARÍNGEAS
  • Keywords: neoplasias laríngeas; qualidade da voz; reabilitação; alaryngeal voice |; laryngeal neoplasias; Laryngectomy; rehabilitation; voice quality
  • Language: Português
  • Abstract: A laringectomia total que resulta em perda da fonte sonora e na reabilitação por meio da voz traqueoesofágica, com a prótese fonatória, tem sido amplamente empregada por apresentar resultados satisfatórios e pela rápida reabilitação. Para a produção sonora traqueoesofágica, participam o esófago, a transição faringoeosofágica e a faringe. A orofaringe e a rinofaringe mantêm-se preservadas após a laringectomia total e fazem parte do mecanismo de ressonância vocal. Porém, nada se sabe a respeito da interferência da rinofaringe para a produção da voz traqueoesofágica. Por este motivo, o objetivo deste estudo foi determinar os valores da nasalancia e a nasalidade da voz traqueoesofágica em laringectomizados totais, usuários de prótese (grupo estudo), falantes do português brasileiro e comparar com falantes laríngeos (grupo controle). O estudo contou com a participação de 25 laringectomizados totais, usuários de prótese traqueoesofágica, destes, 20 homens e cinco mulheres, com idade entre 45 e 82 anos e média de 61 anos e cinco meses. O grupo controle foi composto de 40 voluntários, 28 homens e 12 mulheres, com idade entre 44 e 80 anos e média de 61 anos e nove meses. Todos os participantes foram submetidos ao exame nasovideoendoscópico para avaliação anatomofuncional da rinofaringe e do mecanismo velofaringeo, à avaliação objetiva da nasalancia, realizada por meio de um nasômetro, e à avaliação perceptivo-auditiva da nasalidade. A amostra da fala foi composta por frases orais e nasais padronizadas para o português brasileiro. A avaliação perceptivo-auditiva da nasalidade foi realizada por dois juizes fonoaudiólogos, com experiência na área de voz. Os resultados revelaram que, durante a emissão de frases orais, não houve diferença (p=0,13) entre os grupos, com relação à nasalancia. Porém, para as frases nasais, os laringectomizados demonstraram maior nasalancia(p=0,001). A sensibilidade da nasalancia em identificar o laringectomizado total, durante a emissão das frases nasais, foi de 80% e a especificidade de 72,5%, estipulando-se o valor de corte em 54,5%. Para as frases orais, para o valor de corte de 19,5%, a sensibilidade foi de 36% e a especificidade de 80%. Para a nasalidade, notou-se confiabilidade intrajuiz perfeita ou quase perfeita (Kappa=1,0), em todas as análises. A concordância interjuizes variou de substancial a perfeita ou quase perfeita (Kappa entre 0,715 e 1,0). Comparando-se os achados da avaliação perceptivo-auditiva entre os grupos, eles se mostraram iguais, tanto para as frases orais (p=0,39) quanto para as frases nasais (p=1,00). A sensibilidade da análise perceptivoauditiva para identificar presença ou ausência da nasalidade nos laringectomizados foi de 100%, tanto para as frases nasais quanto para as orais, a especificidade foi de O a 11,1 %, e a acurácia, de 80% a 68%, respectivamente para as frases nasais e para as frases orais. Concluiu-se que os laringectomizados totais apresentam maior nasalancia nas frases nasais que falantes laríngeos, reforçando que a impedância do trato vocal remanesceste, após a laringectomia, não impede a presença de energia acústica nasal para a produção dos respectivos sons percebidos na avaliação perceptivo-auditiva
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.05.2013
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DEFINA-IQUEDA, Adriana Pereira; RICZ, Lílian Neto Aguiar. Nasalancia e nasalidade da voz traqueoesofágica de laringectomizados totais. 2013.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17151/tde-23062013-114921/ >.
    • APA

      Defina-Iqueda, A. P., & Ricz, L. N. A. (2013). Nasalancia e nasalidade da voz traqueoesofágica de laringectomizados totais. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17151/tde-23062013-114921/
    • NLM

      Defina-Iqueda AP, Ricz LNA. Nasalancia e nasalidade da voz traqueoesofágica de laringectomizados totais [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17151/tde-23062013-114921/
    • Vancouver

      Defina-Iqueda AP, Ricz LNA. Nasalancia e nasalidade da voz traqueoesofágica de laringectomizados totais [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17151/tde-23062013-114921/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021