Exportar registro bibliográfico

O duplo papel do instituto infitiando crescit in duplum no direito brasileiro atual: instrumentos de combate ao abuso do direito de defesa e colmatador de uma lacuna anti-isonômica (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: MOREIRA, FERNANDO MIL HOMENS - FD
  • Unidade: FD
  • Sigla do Departamento: DPC
  • Subjects: DIREITO DE AÇÃO; ABUSO DO DIREITO; DIREITO PROCESSUAL CIVIL; PROCESSO CIVIL ROMANO
  • Language: Português
  • Abstract: O art. 940 do Código Civil estabelece uma pena pecuniária específica ao credor que abusa do seu direito de demandar na cobrança de dívidas. Esse abuso fica caracterizado quando o credor cobra o devedor mas: i) a dívida cobrada ainda não está vencida no momento da cobrança ou, ii) se vencida, já foi paga (no todo ou em parte) e o credor pediu mais do que lhe era devido. Nesses casos, o referido artigo prevê para o credor uma pena privada consistente em pagar ao devedor o dobro do que lhe fora pedido, se a demanda for da dívida solvida, ou da parte da dívida ainda não solvida e da parte já solvida. Esta tese demonstra que não existe previsão legal análoga ao art. 940 do Código Civil para o devedor que abusar do seu direito de defesa quando é cobrado por dívida; isto é, para o devedor que negar de forma infundada uma dívida que é por ele devida. Todavia, demonstra-se também que, junto com o instituto de direito romano no qual é inspirado o atual art. 940 do atual Código Civil brasileiro, existiu, como o outro lado da mesma moeda, um instituto que sancionava de forma análoga o devedor que abusasse do seu direito de defesa quando era demandado para a cobrança de dívidas. Esses dois institutos de direito romano, o da "pluris petitio" para sancionar o credor e o da "infitiando crescit in duplum", para sancionar de forma semelhante o devedor, coexistiram por cerca de dois mil anos, inclusive nas suas formas mais modernas, que podem ser encontradas até nas Ordenações Filipinas, mas apenas o instituto da "infitiando crescit in duplum" desapareceu com a entrada em vigor do Código Civil de 1916, já que, em essência, o instituto da "pluris petitio" sobreviveu, pois estava previsto no art. 1.531 do Código Civil de 1916 e está presente no art. 940 do Código Civil atualmente em vigência. Esta tese procurou demonstrar que o instituto da "infitiando crescit in duplum" poderia desempenhar um duplo papel no direito brasileiroatual; qual seja, servir de instrumento de combate ao abuso do direito de defesa do devedor de quantia certa e ser colmatador de uma lacuna anti-isonômica no sistema. Ao final desta tese, procurou-se também demonstrar que a solução proposta não fere a garantia constitucional do direito à ampla defesa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 10.04.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MOREIRA, Fernando Mil Homens; YARSHELL, Flávio Luiz. O duplo papel do instituto infitiando crescit in duplum no direito brasileiro atual: instrumentos de combate ao abuso do direito de defesa e colmatador de uma lacuna anti-isonômica. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.
    • APA

      Moreira, F. M. H., & Yarshell, F. L. (2013). O duplo papel do instituto infitiando crescit in duplum no direito brasileiro atual: instrumentos de combate ao abuso do direito de defesa e colmatador de uma lacuna anti-isonômica. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Moreira FMH, Yarshell FL. O duplo papel do instituto infitiando crescit in duplum no direito brasileiro atual: instrumentos de combate ao abuso do direito de defesa e colmatador de uma lacuna anti-isonômica. 2013 ;
    • Vancouver

      Moreira FMH, Yarshell FL. O duplo papel do instituto infitiando crescit in duplum no direito brasileiro atual: instrumentos de combate ao abuso do direito de defesa e colmatador de uma lacuna anti-isonômica. 2013 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021