Exportar registro bibliográfico

Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica no estresse oxidativo hepático, renal e estriatal de ratos (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BÓSIO, GRAZIELA COSTA - FCF
  • Unidades: FCF
  • Sigla do Departamento: FBC
  • Subjects: ANÁLISE TOXICOLÓGICA; ESTRESSE OXIDATIVO; FÁRMACOS PSICOTRÓPICOS
  • Language: Português
  • Abstract: A 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA, ecstasy), derivada da anfetamina, é uma droga largamente utilizada para fins recreacionais devido à sensação de euforia, energia e desejo de socialização. Apesar de ter a reputação de ser uma droga segura, um número crescente de relatos clínicos e estudos experimentais indica que a MDMA pode produzir toxicidade no SNC, rim, fígado e coração. Embora esteja contida nos comprimidos de ecstasy como racemato (uma mistura de 50% de seus enantiômeros), sua biotransformação é enantioseletiva; em ratos, o enantiômero R é biotransformado mais rapidamente que o S. Como a biotransformação de MDMA é capaz de produzir metabólitos reativos, muito provavelmente, a forma R tenha um maior potencial para gerar ERO/ERN e dano oxidativo nos tecidos do que a forma S. Nos seres humanos ocorre o inverso. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a contribuição individual de cada enantiômero da MDMA isoladamente, tendo como referência a mistura racêmica, no estresse oxidativo hepático renal e estriatal de ratos. Ratos Wistar machos adultos (180-220g) foram divididos em quatro grupos: controle (salina), MDMA racêmico, R-MDMA e S-MDMA. (2 doses consecutivas de 10 mg/kg no intervalo de 24h, gavage). Parâmetros de estresse oxidativo serão utilizados como a medida da formação de malonaldeído, a determinação de níveis de glutationa reduzida e a atividade da glutationa-S-transferase. Os enantiômeros da MDMA racêmica foram separados por meio da cromatografia em fase líquida de alta eficiência em fase estacionária quiral. Os enantiômeros obtidos mostraram um alto grau de pureza e um bom rendimento. Nossos resultados mostraram que o conteúdo hepático de glutationa total dos ratos do grupo R,S-MDMA e do grupo R-MDMA, foi significativamente menor do que os do controle e os do S-MDMA, revelando que é o enantiômero R que contribui para a depleçãode glutationa hepática induzida pela mistura racêmica. A alta reatividade do enantiômero R no fígado também pode ser constatada nos animais tratados apenas com R-MMDA, uma vez que houve uma produção significativamente aumentada de MDA, comparativamente aos outros grupos tratados e o controle. O conteúdo renal de glutationa total foi significantemente menor para todos os grupos tratados quando comparados com o controle. Com relação ao estriado, apenas os animais tratados com o isômero S isoladamente mostraram uma quedasignificativa da atividade da GST em comparação aos demais grupos tratados e controle. Tomando todos esses dados em conjunto, esse trabalho mostrou que os enantiômeros isolados da MDMA podem atuar de formas distintas no que se refere ao estado redox, principalmente no fígado, uma vez que o isômero R foi o que mais contribuiu para um dano oxidativo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.02.2012
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BÓSIO, Graziela Costa; MOREAU, Regina Lucia de Moraes. Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica no estresse oxidativo hepático, renal e estriatal de ratos. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-19062013-160903/ >.
    • APA

      Bósio, G. C., & Moreau, R. L. de M. (2012). Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica no estresse oxidativo hepático, renal e estriatal de ratos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-19062013-160903/
    • NLM

      Bósio GC, Moreau RL de M. Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica no estresse oxidativo hepático, renal e estriatal de ratos [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-19062013-160903/
    • Vancouver

      Bósio GC, Moreau RL de M. Contribuição individual dos enantiômeros isolados da 3,4-metilenodioximetanfetamina (MDMA) comparativamente com a mistura racêmica no estresse oxidativo hepático, renal e estriatal de ratos [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9141/tde-19062013-160903/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020