Exportar registro bibliográfico

Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: PONTE, TERESA MARIA DA - FO
  • Unidade: FO
  • Sigla do Departamento: ODS
  • Subjects: ESCOLHA PROFISSIONAL (ODONTOLOGIA); APTIDÃO; RECURSOS HUMANOS (ODONTOLOGIA); INTERESSES PROFISSIONAIS; PERSONALIDADE
  • Keywords: Escolhas de carreira; Perfil psicológico; Temperamento
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo do estudo foi verificar se os alunos da Faculdade de Odontologia da Universidade de São Paulo (FOUSP) apresentavam tendência a algum perfil psicológico específico e relacionar os resultados com respostas sobre escolhas profissionais, investigando se há associação entre escolhas do campo de trabalho e perfil comportamental. O estudo foi transversal, realizado por meio de dois questionários autoadministrados, um de perfil psicológico e outro sobre interesses profissionais, distribuídos aos estudantes da FOUSP. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da FOUSP. Os dados foram organizados e analisados no programa STATA 12.0. Resultados: Participaram da pesquisa 415 alunos matriculados nas disciplinas de graduação da FOUSP, dos períodos diurno e noturno de todos os semestres. A coleta de dados foi realizada durante o segundo semestre de 2011. As características sociodemográficas apresentadas mostram que 72,29% dos estudantes eram do gênero feminino e 27,71% do masculino e apresentavam idade entre 17 e 44 anos (média de 21,98 anos). Quanto às razões para a escolha do curso de odontologia, 54,94% dos participantes apontaram a vocação; 15,70% por terem cirurgiões-dentistas na família; 14,22% devido à possibilidade de horários flexíveis; 9,88% por sucesso financeiro e 19,76% outros motivos. Em uma situação hipotética, de mesma condição de renda e carga horária para diversas alternativas de trabalho, 58,07% dos alunos prefeririam trabalhar em consultório (Continua)(Continuação) próprio, 27,47% em emprego público, 15,18% serem docentes e 8,19% empregados no setor privado. Como início provável das atividades profissionais, 42,89% imaginam que seu primeiro trabalho seria em emprego privado, 25,06% em consultório próprio, 23,37% em emprego público e 16,63% seguiriam carreira na docência. Em projeção para 10 anos à frente, 73,25% se viam trabalhando em sua própria clínica, 19,28% no emprego público, 13,01% como docentes e 7,47% em emprego privado. Os conteúdos considerados mais importantes para o sucesso profissional do cirurgião-dentista foram, em ordem decrescente de importância: disciplinas clínicas (58,31%), básicas (26,75%) e sociais (14,94%), para ambos os gêneros. Quase todos os alunos, 98,31%, valorizavam o conhecimento de processos administrativos para gerir consultórios, clínicas ou equipes e 89,40% tinham interesse em adquirir conhecimentos no campo da gestão de recursos humanos. Com relação ao temperamento, 46,27% foram identificados como SJ (Guardião), 21,45% NF (Idealista), 14,70% NT (Racional) e 3,13% SP (Artesão); 14,46% eram indefinidos. Os tipos psicológicos predominantes foram o ESTJ/Supervisor (13,49%), ISTJ/Inspetor (13,25%), ISFJ/Protetor (6,51%) e INFJ/Conselheiro e ENTJ/Marechal de campo com iguais 6,27%. O temperamento SJ foi o mais frequente tanto em estudantes do gênero feminino (48,00%) quanto do masculino (41,74%), mas o segundo tipo mais comum diferia entre os gêneros: NF em mulheres (23,67%) e NT nos homens (21,74%). (Continua)(Continuação) Houve diferença estatisticamente significante nessa associação, demonstrada no teste do Qui-quadrado de Pearson (p=0,003). Conclui-se a maioria dos alunos apresentavam tendência ao temperamento SJ; o segundo mais frequente foi o NF em alunos de praticamente todos os semestres, porém diferiu entre os gêneros: NF em mulheres e NT em homens. Diferença estatisticamente significante foi encontrada na associação entre temperamento e gênero. A grande maioria dos alunos pretendia exercer suas atividades profissionais em consultório próprio. As outras opções seguiram a seguinte ordem de preferência: emprego público (com menos da metade percentual da primeira opção), docência e emprego privado. Não houve associação entre perfis psicológicos e escolha do campo de atuação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.12.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PONTE, Teresa Maria da; CROSATO, Edgard Michel. Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-13042013-125024/ >.
    • APA

      Ponte, T. M. da, & Crosato, E. M. (2012). Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-13042013-125024/
    • NLM

      Ponte TM da, Crosato EM. Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-13042013-125024/
    • Vancouver

      Ponte TM da, Crosato EM. Perfil psicológico e interesses profissionais de estudantes de odontologia [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/23/23148/tde-13042013-125024/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021