Exportar registro bibliográfico

Influência do padrão de alimentação sobre o Sistema Clock do hipotálamo e do sangue periférico (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: ARAUJO, LEONARDO DOMINGUES DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: GLÂNDULA PITUITÁRIA; RITMOS BIOLÓGICOS; EXPRESSÃO GÊNICA; GENES; ENDOCRINOLOGIA (FISIOLOGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: Antecipação à disponibilidade de alimentos tem sido associada a alterações nos ritmos circadianos de expressão de genes e proteínas envolvidos na regulação do sistema biológico de temporização circadiana. Poucos autores avaliaram sistematicamente a expressão desses genes, no que se refere às modulações por fatores sincronizadores não Góticos, como o padrão temporal de oferta alimentar. Objetivos: Avaliar a expressão dos genes envolvidos na regulação do sistema de temporização circadiano nos núcleos hipotalâmicos e em sangue periférico de animais submetidos a diferentes padrões de alimentação. Material e métodos: Ratos Wistar foram aclimatados por cinco dias à temperatura ambiente controlada (‘23‘+ OU –’2 GRAUS’), sob-regime de luz com ciclo claro/escuro de 12:12h (luzes acesas das 0600 às 1800h) e submetidos a diferentes padrões de alimentação: controle (ad libitum), restrição alimentar (oferta de alimento entre 1800 e 2000h) e restrição alimentar com inversão do padrão alimentar (oferta de alimento entre 0900 e 1100h), por 21 dias. Os animais foram decapitados em dois momentos, às 0900ZT e 1700ZT e sangue periférico coletado para dosagem de corticosterona, por radioimunoensaio. Os núcleos hipotalâmicos supraquiasmáticos (NSQ), arqueado (Arq) e paraventricular (PVN) foram microdissecados pela técnica de punch. RNA extraído por Trizol e reação de transcrição reversa foi realizada com a enzima MultiScribe™ e pelo kit High Capacity™. A expressão dos genes Clock, Bmall, Per1, Per2, Per3, Cryl e Cry2 foi determinada pela fórmula ‘2 POT.-‘delta’‘delta’Ct’, por qPCR. Resultados: Os animais do grupo controle apresentaram maior peso comparados aos grupos restrição sem e com inversão do padrão alimentar (385,4 ‘+ OU –’55,4g vs 245,5‘+ OU –’32,0g vs 227,9‘+ OU –’40,9g; P<0,0001), o mesmo foi observado com a quantidadediária de alimento ingerido (31,2‘+ OU –’3,9g vs 14,1‘+ OU –’1,8g vs 13,3‘+ OU –’1,6g; P<0,0001). Os animais do grupo controle apresentaram valores de corticosterona às 0900ZT menores que às 1700ZT (1,0‘+ OU –’0,6 vs 14,1‘+ OU –’8,1; P=0,0004), o mesmo foi observado com o grupo restrição sem inversão do padrão de ingestão alimentar (3,6‘+ OU –’2,6g vs 20,7‘+ OU –’7,6g; P<0,0001). Entretanto, os animais do grupo com restrição e inversão do padrão alimentar apresentaram concentrações de corticosterona (‘mü’g/dL) maiores às 0900ZT comparadas com as 1700ZT (22,7‘+ OU –’6,2 vs 10,6‘+ OU –’5,7; P=0,0007). Não houve diferença na expressão dos genes Clock, Bmal1, Per1, Cry1 e Cry2 nos NSQ dos animais do grupo controle entre os diferentes horários; ao contrário, Per2 e Per3 apresentaram maior expressão às 1700ZT, coincidente com os valores mais elevados de corticosterona observados nos animais desse grupo nessa fase. Ainda, nos NSQ, a expressão de Per1 no grupo restrição com inversão do padrão alimentar foi maior à tarde, sugerindo perda da expressão entre manhã e tarde observada nos animais do grupo controle. No PVN, as expressões dos genes Clock e Bmal1 não foram diferentes em nenhuma das condições experimentais. No entanto, os genes Per1, Per2, Per3e Cry2 apresentaram maior expressão nos animais do grupo controle e restrição alimentar decapitados às 1700ZT. Por outro lado, os animais do grupo restrição com inversão do padrão alimentar apresentaram maior expressão do Per1 nos animais decapitados às 0900ZT, ou seja, houve inversão no seu padrão de expressão. Padrão semelhante foi observado na expressão do Per1 no Arq dos animais do grupo restrição com inversão do padrão alimentar. Dessa forma, no PVN e no Arq, o aumento da expressão de Per1 ocorreu por volta do horário da alimentação, independente da hora dodia que o alimento está disponível. Conclusão: Nossos dados não permitem conclusões sobre a variação circadiana dos genes envolvidos na regulação do sistema de temporização, entretanto, sugerem que padrões de restrição alimentar podem modular a expressão diária de alguns desses genes no NSQ e em osciladores extra-NSQ, como por exemplo, no PVN e Arq, núcleos esses relacionados a sinais não fóticos e envolvidos na homeostase energética e na motivação para a ingestão de alimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.01.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARAÚJO, Leonardo Domingues de; CASTRO, Margaret de. Influência do padrão de alimentação sobre o Sistema Clock do hipotálamo e do sangue periférico. 2013.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2013.
    • APA

      Araújo, L. D. de, & Castro, M. de. (2013). Influência do padrão de alimentação sobre o Sistema Clock do hipotálamo e do sangue periférico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Araújo LD de, Castro M de. Influência do padrão de alimentação sobre o Sistema Clock do hipotálamo e do sangue periférico. 2013 ;
    • Vancouver

      Araújo LD de, Castro M de. Influência do padrão de alimentação sobre o Sistema Clock do hipotálamo e do sangue periférico. 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021