Exportar registro bibliográfico

Enzimas vitelotíticas de culex quinquefasciatus (2013)

  • Autor:
  • Autor USP: MOURA, ALEXANDRE SANTOS DE - ICB
  • Unidade: ICB
  • Assunto: PARASITOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Como todos os animais ovíparos, o desenvolvimento embrionário de artrópodes depende da degradação dos materiais acumulados durante a ovogênese. A mais importante destas reservas, a vitelina, é sintetizada pelo corpo gorduroso de mosquitos hematófagos como uma proteína precursora, a vitelogenina, após o repasto sanguíneo. Ela é secretada para o hemolinfa, captada e armazenada nos grânulos de vitelo dentro dos ovócitos em desenvolvimento. Na fertilização, ocorre a diminuição do pH destes grânulos ativando as enzimas que degradam a vitelina armazenada. Em Aedes aegypti, duas enzimas sintetizadas pelo corpo gorduroso são transportadas pela hemolinfa e armazenados nos ovócitos: uma carboxipeptidase de 53 kDa quando inativa e um enzima de 48 kDa quando ativada, e um precursor de 44 kDa muito semelhante à catepsina B. Em Musca domestica, uma catepsina presente nos grânulos de vitelo é a principal responsável pela digestão da vitelina. Para investigar quais são as proteases envolvidas na degradação do vitelo em Cx. quinquefasciatus, incubamos o homogeneizado de ovo com o substrato sintético específico (cumarina benziloxicarbonil-L-arginina-L-arginina-4-metil-7-amida) Z-Arg-Arg-NHMec e observou-se atividade de catepsina B. Esta atividade tem um pH ótimo de 5,0 a 27 °C, sendo inibida por E64 (trans-L-epoxisuccinil leucylamido-[4-guanidino] butano), um inibidor específico de cisteíno protease.Uma proteólise foi realizada, incubando durante 18 horas o homogeneizado do ovo, em condições ótimas, tendo o produto apresentado atividade para catepsina B, embora reduzida, que também foi inibida por E64, mas não por outros inibidores testados como PMSF (serino proteases) e tartarato de sódio e potássio (fosfatase ácida). A análise por espectrometria de massa de duas bandas de aproximadamente 30 kDa, resultantes da proteólise, excisada do SDS-PAGE permitiu a identificação de duas catepsinas B. Resultados preliminares da expressão gênica mostraram um pico de expressão das enzimas 36 h após o repasto sanguíneo, como descrito no Ae. aegypti. Também acompanham o perfil de expressão da vitelogenina, em Cx. quinquefasciatus. Nossos dados mostram que, como em outros Diptera, catepsina B como a principal protease responsável pela degradação da vitelina em ovos de Cx. quinquefasciatus, no entanto duas isoformas parecem estar presentes
  • Imprenta:
  • Conference titles: Congresso dos Funcionários do Instituto de Ciências Biomédias da Universidade de São Paulo

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MOURA, Alexandre Santos de. Enzimas vitelotíticas de culex quinquefasciatus. [S.l: s.n.], 2013.
    • APA

      Moura, A. S. de. (2013). Enzimas vitelotíticas de culex quinquefasciatus. São Paulo: Comissão de Eventos e Capacitação de Funcionários.
    • NLM

      Moura AS de. Enzimas vitelotíticas de culex quinquefasciatus. 2013 ;
    • Vancouver

      Moura AS de. Enzimas vitelotíticas de culex quinquefasciatus. 2013 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021