Exportar registro bibliográfico


Metrics:

Validade de medidas autoaplicáveis para estimar a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: SCABAR, LUIZ FELIPE - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HSP
  • DOI: 10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659
  • Subjects: ÁGUA (FREQUÊNCIA;RELAÇÃO); BEBIDAS NÃO ALCOÓLICAS (FREQUÊNCIA;RELAÇÃO); INGESTÃO; DENTIFRÍCIO (USO;FREQUÊNCIA;RELAÇÃO); ESCOVAÇÃO DENTÁRIA; ADOLESCENTES; ESCOLARIZAÇÃO (RELAÇÃO); FATORES SOCIOECONÔMICOS (RELAÇÃO); INQUÉRITOS SOBRE DIETAS
  • Keywords: Creme Dental; Ingestão de Água e Bebidas
  • Agências de fomento:
  • Language: Português
  • Abstract: Tanto para a água quanto para o refrigerante, observou-se ligeira concordância e uma nítida tendência de superestimação da ingestão aferida pela medida autoaplicável de seis itens. Conclusões - Pode-se afirmar que as evidências empíricas sustentam a hipótese de que a frequência de uso de creme dental depende do nível de escolaridade de um dos pais ou de ambos, e a maior porcentagem dos usuários de creme dental fluoretado pertence a um grupo socioeconomicamente mais favorecido. A medida indireta pode levar a uma superestimação dos valores de frequência de escovação e valores de água e bebidas ingeridas. Recomenda-se que as estimativas produzidas por medida indireta semelhante à testada neste estudo sejam consideradas com cautela.Com este procedimento assegurou-se as mesmas características da amostra na subamostra de adolescentes participantes do estudo de validade. Após pré-teste dos instrumentos, um estudo de validação dividido em três momentos em intervalos de 15 dias foi conduzido com cada sujeito da pesquisa. No primeiro momento foram coletados os dados de peso/estatura, foi entregue um tubo de creme dental e também foi aferida a quantidade de creme dental habitualmente colocada na escova. No segundo momento, o tubo de creme dental usado foi recolhido e foi aferida pela segunda vez a quantidade de creme dental colocada na escova. No terceiro momento, uma medida com perguntas foi aplicada. Nos três momentos foram aplicados Recordatórios de 24 horas (R24h). Os dados obtidos a partir das perguntas contidas na medida indireta, R24h, e medidas diretas relacionadas ao consumo de creme dental foram comparados. Para isso, foram calculados os valores ponderados da estatística Kappa. Resultados - Os dados obtidos a partir das perguntas contidas na medida indireta foram comparados com as estimativas produzidas pela medida direta. Frequência de escovação correspondente a três ou mais vezes ao dia, aferida por meio da medida indireta, foi indicada por 73,7 por cento dos adolescentes, enquanto por meio da medida direta, 55,3 por cento dos adolescentes foram incluídos nessa categoria, uma estimativa 18,4 por cento menor. Por meio dos dados coletados em três R24h, verificou-se que o líquido mais ingerido entre os adolescentes foi a água, seguido respectivamente de refrigerante, leite, suco/bebida artificial, chá/café e o suco natural.Introdução - O uso do creme dental, da escova dental, a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas representam exposições relacionadas à saúde bucal. Essa frequência em populações tem sido estimada por meio de medidas indiretas; entretanto, a validade dessa forma de mensuração não é conhecida e há carência de instrumentos para sua mensuração em nível populacional. Objetivos - Revisar as evidências empíricas sobre a relação entre a frequência de uso de creme dental e os diferentes níveis de renda e escolaridade. Determinar a validade da medida indireta da quantidade de creme dental utilizado, do tamanho da cabeça da escova e da frequência de escovação com creme dental. Comparar uma medida autoaplicável sobre ingestão de água e bebidas por adolescentes com Recordatórios de 24 horas. Procedimentos Metodológicos - Uma revisão sistemática da literatura foi realizada utilizando-se as bases de dados Pubmed e Embase, buscando evidências empíricas sobre a relação entre a frequência de uso de creme dental e os diferentes níveis de renda e escolaridade. Uma subamostra de escolares na faixa etária de 13 a 16 anos de idade, em 2011, residentes no município de Piracicaba (SP), foi selecionada a partir de uma amostra representativa da população que participou de um estudo transversal sobre risco de obesidade em adolescentes (FAPESP 06/61085-0).
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.02.2013
  • Acesso à fonteDOI
    Informações sobre o DOI: 10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc-sa

    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SCABAR, Luiz Felipe; FRAZÃO, Paulo. Validade de medidas autoaplicáveis para estimar a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659 > DOI: 10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659.
    • APA

      Scabar, L. F., & Frazão, P. (2013). Validade de medidas autoaplicáveis para estimar a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659
    • NLM

      Scabar LF, Frazão P. Validade de medidas autoaplicáveis para estimar a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas [Internet]. 2013 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659
    • Vancouver

      Scabar LF, Frazão P. Validade de medidas autoaplicáveis para estimar a frequência de escovação e ingestão de água e bebidas [Internet]. 2013 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2013.tde-18042013-200659


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021