Exportar registro bibliográfico

Duração da excreção do CMV na saliva e na urina de crianças com infecção congênita pelo CMV em uma população com alta soroprevalência materna (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: ALVIM, CAMILA DOS SANTOS - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: INFECÇÕES POR CYTOMEGALOVIRUS; VIROLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Justificativas: Embora já seja conhecido que crianças com infecção congénita pelo CMV geralmente excretam o virás por anos, na urina e na saliva, os estudos disponíveis foram realizados em países desenvolvidos. Ainda não é conhecido se a duração da excreção do CMV é semelhante em crianças infectadas congenitamente, em populações com elevada soroprevalência do CMV.Objetivos: Os objetivos deste estudo consistiram em determinar e comparar a duração da excreção do CMV na saliva e urina de crianças com infecção congênita sintomática e assintomática ao nascer e verificar a frequência da recorrência de excreção vital em ambos os sitias.Métodos: 99 recém-nascidos identificados por meio de uma triagem neonatal como infectados congenitamente pelo CMV foram, acompanhados desde o nascimento até uma mediana de 57 meses (24-93 meses). A duração da excreção do CMV na saliva e na urina foi considerada a média entre a idade da criança no momento da última detecção do DNA do CMV e a idade da primeira amostra negativa. O clareamento do CMV na saliva e na urina foi documentado com pelo menos 2 testes negativos. A duração da excreção do CMV ‘< OU =’ 2 anos na saliva e ‘< OU =’ 3 anos na urina foi considerada como excreção curta, e a duração > 2 anos na saliva e > 3 anos na urina foi considerada excreção longa. A mediana de testes por criança foi de 11 testes (6-20) na saliva e de 12 testes (6-21) na urina. Os dados foram analisados pelo método de sobrevida de Kaplan-Meier e pelo modelo de regressão de Cox, censurando os dados das crianças que não tiveram clareamento do CMV na sua última avaliação. Resultados: Dentre as 99 crianças, 57 (57%) eram do sexo masculino e 42 (43%) eram do sexo feminino, 10 (9,7%) eram sintomáticos ao nascimento e 21 (20,4%) apresentavam restrição de crescimento intra-uterino. A mediana da duração da excreção do CMV foi de 32 meses(variação: 11-65) e de 56 meses (variação: 18-93), na saliva e na urina, respectivamente. Períodos intermitentes de clareamento vital ou recorrência da excreção vital foram observados em 24/83 (29%) e em 27/57 (47%) crianças, na saliva e na urina, respectivamente. A duração curta e prolongada da excreção CMV foi observada em 47/99 (47.4%) versus 52/99 (52.6%) na saliva e 20/89 (22.5%) versus 69/89 (77.5%) na urina. A excreção do CMV foi mais prolongada na urina em relação à saliva (HR: 5,03; IC95%%: 3,54-7,15). Não houve associação entre sintomas ao nascimento e a duração da excreção na saliva (HR: 1,49; 1C95%: 0,74-3,00) ou com a duração da excreção do CMV na urina (HR:1,95;1C95%:0,82-4,65).Conclusões: A duração da excreção do CMV em crianças com infecção congênita deste estudo foi similar ao observado em países desenvolvidos. Os achados de uma duração mais curta da excreção vital na saliva e maior frequência de recorrência vital na urina sugarem que a resposta imunológico do hospedeiro para o controle da replicação do CMV pode ser mais eficiente nas glândulas salivares
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.02.2013

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ALVIM, Camila dos Santos; YAMAMOTO, Aparecida Yulie. Duração da excreção do CMV na saliva e na urina de crianças com infecção congênita pelo CMV em uma população com alta soroprevalência materna. 2013.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2013.
    • APA

      Alvim, C. dos S., & Yamamoto, A. Y. (2013). Duração da excreção do CMV na saliva e na urina de crianças com infecção congênita pelo CMV em uma população com alta soroprevalência materna. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Alvim C dos S, Yamamoto AY. Duração da excreção do CMV na saliva e na urina de crianças com infecção congênita pelo CMV em uma população com alta soroprevalência materna. 2013 ;
    • Vancouver

      Alvim C dos S, Yamamoto AY. Duração da excreção do CMV na saliva e na urina de crianças com infecção congênita pelo CMV em uma população com alta soroprevalência materna. 2013 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021