Exportar registro bibliográfico

Zumbido: estudo dos mecanismos cocleares (2013)

  • Authors:
  • Autor USP: BUZO, BYANKA CAGNACCI - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MFT
  • Subjects: ZUMBIDO; AUDIÇÃO; TESTES AUDIOLÓGICOS; AUDIOMETRIA
  • Keywords: Audiometria; Audiometry; Células ciliadas auditivas; Hair cells auditory; Hearing; Hearing tests; Testes auditivos; Tinnitus
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: O zumbido pode ser definido como a percepção consciente de um som, sem a participação de uma fonte sonora externa. A presença isolada do zumbido, sem a perda auditiva associada sugere que o mesmo pode ser o primeiro sintoma de alterações cocleares que somente serão percebidas depois do aparecimento da perda. Considerando que o zumbido está frequentemente relacionado a disfunções cocleares e mais especificamente a alterações nas células ciliadas, e que nesse caso as funções desempenhadas por elas podem estar comprometidas em algum grau, é possível que alterações nos mecanismos cocleares em pacientes com limiares auditivos ditos normais e queixa de zumbido sejam encontradas. Objetivo: O objetivo do presente estudo foi verificar as diferenças entre as respostas cocleares em mensurações eletroacústicas e psicoacústicas em indivíduos sem perda auditiva, com e sem queixa de zumbido. Método: Participaram do estudo 57 indivíduos com limiares audiométricos dentro dos padrões de normalidade, divididos em dois grupos: grupo-controle composto por 41 sujeitos (81 orelhas) sem queixa de zumbido, e grupo-zumbido composto por 16 sujeitos (31 orelhas) com queixa de zumbido. Os sujeitos foram submetidos à pesquisa das Curvas de Crescimento das Emissões Otoacústicas Produto de Distorção, pesquisa das Curvas Psicofísicas de Sintonia e aplicação do teste TEN. Resultados: Para as CC-EOAPD somente foi observada diferença estatística nas curvas de 3000 e 6000 Hz, para L2=45 dBNPS eL2=55 dBNPS, respectivamente. Para as curvas psicofísicas de sintonia, foram observadas diferenças estatísticas localizadas nas extremidades das curvas, isto é, para a CPS de 2000 Hz com ruído de 6000 e 8000, para a CPS de 3000 Hz, para 8000 Hz, para a CPS de 4000 Hz para o ruído de 2000 e 8000 Hz e para as CPS de 6000 e 8000 Hz para os ruídos de 3000 e 2000 Hz. Para o teste TEN, não foi encontrada presença de zonas mortas da cóclea, entretanto foi observado padrão diferente entre os grupos, caracterizado pelo limiar na presença de ruído ipsilateral estatisticamente mais elevado no grupo-zumbido do que no grupo-controle. Conclusão: Foi observado que apesar de audiologicamente normais, os grupos apresentam desempenhos estatisticamente distintos nos testes aplicados, principalmente nas Curvas Psicofísicas de Sintonia e no teste TEN, evidenciando funcionamentos cocleares diferentes que, possivelmente, comprometem em algum grau os mecanismos cocleares, principalmente a seletividade de frequência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.03.2013
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BUZO, Byanka Cagnacci; CARVALLO, Renata Mota Mamede de. Zumbido: estudo dos mecanismos cocleares. 2013.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5162/tde-27032013-100829/ >.
    • APA

      Buzo, B. C., & Carvallo, R. M. M. de. (2013). Zumbido: estudo dos mecanismos cocleares. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5162/tde-27032013-100829/
    • NLM

      Buzo BC, Carvallo RMM de. Zumbido: estudo dos mecanismos cocleares [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5162/tde-27032013-100829/
    • Vancouver

      Buzo BC, Carvallo RMM de. Zumbido: estudo dos mecanismos cocleares [Internet]. 2013 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5162/tde-27032013-100829/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021