Exportar registro bibliográfico

A segregação socioespacial em Guarulhos e a representação em mapas (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NOVAES, MARIA CRISTINA DE JESUS - FFLCH
  • Unidades: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLG
  • Subjects: GEOGRAFIA; ESPAÇO URBANO; CARTOGRAFIA
  • Keywords: Desenvolvimento técnico; Geographical media; Meios geográficos; Objects; Objetos; Technical development
  • Language: Português
  • Abstract: Considerando o espaço geográfico como uma das instâncias da sociedade, tal como Milton Santos, discutiu-se neste trabalho a relação entre a segregação socioespacial e a distribuição dos homicídios. A cartografia foi parte importante do instrumental dessa análise. O município de Guarulhos, que integra a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), foi o objeto empírico. Ele foi compreendido como uma realidade mediada pela formação socioespacial brasileira e pelos estágios da técnica, que estão fundamentados na teoria e no método propostos por Milton Santos. No caso, foram identificados os meios geográficos: natural, técnico e técnico-científico-informacional, operando na formação do município. A segregação socioespacial foi interpretada como consequência da acessibilidade desigual aos objetos e serviços sociais, principalmente aos serviços públicos, algo que é ampliado pelo uso seletivo do território por parte dos atores hegemônicos, advindos da construção do meio técnico--científico-informacional. A partir da identificação dos meios geográficos e da percepção da segregação socioespacial identificaram-se as áreas no interior do município, nas quais, relativamente, encontram-se as melhores condições territoriais. Com relação aos mapas, a proposta foi conciliar diferentes possibilidades de representação das informações, de acordo com a leitura espacial que se deseja enfatizar em cada um deles, reafirmando as potencialidades e as limitações dos diferentes tipos de mapas. Nessesentido, foram construídos mapas com fundo euclidiano para representar os dados absolutos e aqueles que localizavam os objetos pelo território. Por outro lado, foram feitas anamorfoses para os dados que enfatizavam a distribuição da população no interior do município, bem como as informações relativas a ela. Procurou-se ressaltar o potencial da linguagem visual na simplificação das informações, como meio para a sua democratização, o que pode contribuir como instrumento de esclarecimento da população, sobretudo, pelo conteúdo dos mapas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.10.2012
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOVAES, Maria Cristina de Jesus; FONSECA, Fernanda Padovesi. A segregação socioespacial em Guarulhos e a representação em mapas. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-25022013-105257/ >.
    • APA

      Novaes, M. C. de J., & Fonseca, F. P. (2012). A segregação socioespacial em Guarulhos e a representação em mapas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-25022013-105257/
    • NLM

      Novaes MC de J, Fonseca FP. A segregação socioespacial em Guarulhos e a representação em mapas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-25022013-105257/
    • Vancouver

      Novaes MC de J, Fonseca FP. A segregação socioespacial em Guarulhos e a representação em mapas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8136/tde-25022013-105257/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020