Exportar registro bibliográfico

Desenvolvimento e qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo: estudo longitudinal da fase neonatal à idade pré-escolar (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: VIEIRA, MARTINA ESTEVAM BROM - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RNP
  • Subjects: BEBÊ PREMATURO; PRÉ-ESCOLAR; DESENVOLVIMENTO INFANTIL; QUALIDADE DE VIDA; FATORES DE RISCO
  • Language: Português
  • Abstract: A prematuridade é um importante indicador de risco para o desenvolvimento infantil. Essa condição comumente associa-se a outros fatores que potencializam a chance de um desfecho desfavorável. Problemas na trajetória de desenvolvimento podem gerar repercussões negativas em aspectos multidimensionais da vida, como a funcionalidade e a qualidade de vida. O presente estudo prospectivo-longitudinal teve por objetivo examinar modelos de predição do desenvolvimento psicomotor, do desempenho funcional, da independência e da qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo na fase pré-escolar, considerando-se as variáveis preditoras da fase neonatal (indicadores biológicos, socioeconômicos e neurocomportamentais), da fase de primeiro ano pós-natal (desenvolvimento psicomotor) e da idade pré-escolar (indicadores de saúde e socioeconômicos). A amostra constituiu-se de 24 crianças nascidas pré-termo (idade gestacional média de 33 semanas) e com baixo peso (média de 1.692 g), que foram avaliadas na fase neonatal, durante o primeiro ano e aos cinco anos de idade. Na fase neonatal, foram identificados os indicadores clínicos, socioeconômicos e do neurocomportamento (NAPI-Neurobehavior Assessement of Preterm Infant). No primeiro ano, foi avaliado o desenvolvimento psicomotor pelo Teste Denver II, TIMP-Teste of Infant Motor Performance e AIMS-Alberta Infant Motor Scale. Aos cinco anos, o desenvolvimento psicomotor foi novamente avaliado pelo Teste Denver II, a qualidade de vida foi avaliada pelo CHQ-PF50-Child Health Questionnaire-50 Parent Form e o PEDI-Pediatric Evaluation of Disability Inventory foi utilizado para avaliar o desempenho funcional e a independência. Nessa mesma idade foi analisada a história de saúde das crianças e as condições socioeconômicas atuais de suas famílias. Foram realizadas Análises de Regressão Linear Múltipla para os desfechos qualidade de vida e funcionalidade (escores),e Análise de Regressão Logística Binária para o desfecho desenvolvimento psicomotor (risco ou normal), com nível de significância de p’<OU=’0,05. Verificou-se que o desenvolvimento psicomotor global de 96% da amostra mostrou-se com risco na fase pré-escolar e que a maioria das crianças nessa idade apresentou as subáreas pessoal-social (83%), motor fino (71%) e linguagem (63%) classificadas como risco pelo Teste Denver II. Não foi possível realizar a análise de predição do desenvolvimento psicomotor na fase pré-escolar, pois quase todas as crianças apresentaram risco nessa avaliação. Quanto à avaliação da funcionalidade na fase pré-escolar, 96% da amostra foi classificada pelo PEDI com desempenho funcional adequado nas habilidades funcionais de autocuidado e mobilidade, porém 42% das crianças exibiram desempenho abaixo da média na função social. As crianças apresentaram independência funcional adequada para sua idade no autocuidado, mobilidade e função social. Os fatores de risco para problemas na funcionalidade foram: menor número de consultas maternas durante o pré-natal, idade gestacional menor do que 32 semanas, não realização de transfusão sanguínea na fase neonatal, história de doença respiratória nos últimos três anos da fase pré-escolar, risco no pessoal-social e motor amplo na idade pré-escolar e maior impacto emocional e no tempo dos pais da avaliação de qualidade de vida na idade pré-escolar. O fato de a mãe trabalhar fora do lar desde a fase neonatal foi o fator de proteção da funcionalidade. Constatou-se que as crianças na fase pré-escolar apresentaram problemas em sua qualidade de vida segundo o CHQ-PF50, especialmente nos aspectos relacionados ao comportamento, saúde mental e saúde física. Os fatores de risco associados à pior qualidade de vida foram: na fase pré-natal, presença de doença sexualmente transmissível na mãe; na fase neonatal,sexo masculino, tempo prolongado de internação na enfermaria, uso de corticoterapia e recém-nascidos menos alertas e orientados durante a avaliação neurocomportamental; no primeiro ano pós-natal, risco no desenvolvimento psicomotor global ou no motor amplo aos 4-6 meses de idade cronológica corrigida; na fase pré-escolar, presença de doença respiratória, uso de medicamentos, história de acidentes graves, não uso de aparelho auditivo, risco no pessoal-social, pior desempenho funcional nas habilidades de função social, menor escolaridade ou desemprego do pai, menor número de cômodos na residência da família, pais separados, classe econômica menos favorecida e mães muito jovens. Os achados do estudo mostraram que a qualidade de vida e a funcionalidade de pré-escolares nascidos pré-termo podem ser influenciadas por múltiplos fatores biológicos, socioeconômicos e de desenvolvimento verificados em diferentes fases da trajetória de vida da criança. Recomenda-se, em programas de follow-up de prematuros, a identificação desses indicadores de risco e manejo preventivo para neutralizar os efeitos negativos desses no desenvolvimento das crianças
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.11.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VIEIRA, Martina Estevam Brom; LINHARES, Maria Beatriz Martins. Desenvolvimento e qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo: estudo longitudinal da fase neonatal à idade pré-escolar. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
    • APA

      Vieira, M. E. B., & Linhares, M. B. M. (2012). Desenvolvimento e qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo: estudo longitudinal da fase neonatal à idade pré-escolar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vieira MEB, Linhares MBM. Desenvolvimento e qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo: estudo longitudinal da fase neonatal à idade pré-escolar. 2012 ;
    • Vancouver

      Vieira MEB, Linhares MBM. Desenvolvimento e qualidade de vida de crianças nascidas pré-termo: estudo longitudinal da fase neonatal à idade pré-escolar. 2012 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021