Exportar registro bibliográfico

Projetos Especiais de Ação: um estudo sobre a formação em serviço de professores do município de São Paulo (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: BELTRAN, ANA CAROLINA DE VIVEIROS - FE
  • Unidade: FE
  • Sigla do Departamento: EDM
  • Subjects: ESTRUTURALISMO; TECNOLOGIA; SUBJETIVIDADE; EDUCAÇÃO; FORMAÇÃO CONTINUADA DO PROFESSOR
  • Keywords: Estudos pós-estruturalistas; Formação em serviço; government technology; In-service education; Modos de subjetivação; poststructuralist studies; Projetos Especiais de Ação; Projetos Especiais de Ação; subjectivity; technologies of the self; Tecnologia governamental; Tecnologias do eu
  • Language: Português
  • Abstract: Os Projetos Especiais de Ação pertencem à história dos professores da rede municipal há quase vinte anos. Implantados, primeiramente, como uma ferramenta para as escolas gerenciarem melhorias em seus contextos, constituem, atualmente, o principal instrumento da formação docente em serviço. Tal formação objetiva provocar efeitos totalizantes, alcançando práticas institucionais e efeitos individualizantes, incitando cada professor a dar visibilidade às suas ações educativas a fim de recompô-las em modos particulares de pensar, fazer e dizer a profissão. Portanto, aliam-se, nos Projetos, uma tecnologia governamental, que busca conduzir e formatar ações escolares, e tecnologias do eu, que permitem, a cada indivíduo em formação, operar mudanças em si mesmo. Daqui, abrem-se e desenvolvem-se os capítulos iniciais do presente trabalho. Um capítulo dedicado a acompanhar disposições legais, publicações oficiais e acontecimentos que foram conformando os Projetos Especiais de Ação à formação docente no âmbito do trabalho; o outro, empenhado em delinear uma lógica de funcionamento desses instrumentos a partir de três eixos permanentes nas diversas configurações que tomaram ao longo das gestões municipais: a autonomia, a centralidade do aluno e a totalização das práticas em favor de alguma qualidade de ensino. Tais eixos acomodaram e levaram aos professores uma miríade de concepções de ensino e educação, mas também delimitaram as regras pelas quais as mudanças na escola e a própriaformação poderiam ser pensadas. Contudo, este trabalho filia-se aos referenciais pós-estruturalistas e aos estudos de Michel Foucault, construindo a análise do ponto de vista das relações de poder e dos processos de subjetivação. Por isso, ao aproximar-se da vida que se vive nos tempos e espaços concretos de formação, depara-se com um campo aberto a múltiplas possibilidades de realização. Desse terreno, um horário coletivo de uma Escola Municipal de Educação Infantil, onde as professoras agem, pensam, falam, brincam, riem e produzem-se, destacaram-se os termos teoria e prática e o discurso da vitimização docente. Os primeiros elementos são utilizados intensamente para definir os posicionamentos profissionais e as relações estabelecidas com a formação em serviço; e o segundo fundamenta as maneiras de lidar com a profissão, normaliza o magistério e a infância e modula uma certa terapêutica do espaço formativo. Vidas ressentidas, doentes e frustradas por uma formação que não realiza a escola idealizada, regozijam-se nas satisfações e nos prazeres mais imediatos, mesmo que estes sejam fugazes. As professoras refutam colocar o presente em questão, entregando-se a posturas queixosas; dão as costas à política, restringindo-se a não aderir às propostas públicas de formação; e não assumem o risco de educar, apegando-se aos seus saberes, creditados como tipicamente docentes, e às formas habituais de pensarem a profissão. Não se pretende uma atitude ajuizadora dos modos de essessujeitos constituírem suas existências profissionais, mas acredita-se que, para se imaginar novos desenhos para a formação em serviço ou para assumi-la como importante ou dispensável para a docência, é preciso perguntar sobre o que se tem feito, atualmente, nos tempos e espaços destinados aos professores pensarem sua profissão
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.12.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BELTRAN, Ana Carolina de Viveiros; PINAZZA, Monica Appezzato. Projetos Especiais de Ação: um estudo sobre a formação em serviço de professores do município de São Paulo. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05022013-110554/ >.
    • APA

      Beltran, A. C. de V., & Pinazza, M. A. (2012). Projetos Especiais de Ação: um estudo sobre a formação em serviço de professores do município de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05022013-110554/
    • NLM

      Beltran AC de V, Pinazza MA. Projetos Especiais de Ação: um estudo sobre a formação em serviço de professores do município de São Paulo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05022013-110554/
    • Vancouver

      Beltran AC de V, Pinazza MA. Projetos Especiais de Ação: um estudo sobre a formação em serviço de professores do município de São Paulo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-05022013-110554/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020