Exportar registro bibliográfico

Interferência da Doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas da aorta abdominal em modelo experimental de ratos Wistar (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MATA, KARINA MAGALHÃES ALVES DA - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPA
  • Subjects: ANEURISMA AÓRTICO; INFLAMAÇÃO; METALOPROTEINASES; FÁRMACOS (RESULTADOS)
  • Language: Português
  • Abstract: O desenvolvimento de aneurismas na aorta abdominal é um processo complexo, caracterizado por inflamação crónica e degradação da matriz extracelular (MEC), causados principalmente por proteases denominadas metaloproteinases (MMPs). Atualmente, a inibição dessas proteases tem sido alvo atraente para agentes farmacológicos destinados a reduzir a expansão e ruptura de aneurismas. Portanto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a atuação da doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas através de um modelo experimental de indução de AAA em ratos Wistar. Foram utilizados 96 ratos Wistar machos, pesando em média 150g, divididos em 4 grupos: (A) Aneurismas, (C) Controle, (A+D) Aneurisma+Doxiciclina e (C+D) Controle+Doxiciclina. Os grupos tratados com doxiciclina receberam a droga via gavage numa dose de 30mg/kg/dia, 48 horas antes do procedimento cirúrgico seguindo-se até o fim do experimento. Os animais foram submetidos à eutanásia no 1°, 3°, 7° e 15° dias de pós-operatório. Os fragmentos de aneurismas/aorta foram coletados para avaliação morfológica, morfométrica e imunoistoquimica e congelados em nitrogênio liquido para avaliação das MMPs-2 e -9 e TIMPs 1 e 2. No grupo A, houve formação de aneurisma em 65% dos animais, com taxa de dilatação de 31 1% (P<0,05). Histologicamente, os aneurismas possuíam intenso remodelamento da parede arterial, caracterizado por importante resposta inflamatória composta de neutrófilos, macrófagos, linfócitos B e T, destruição de fibras elásticas, deposição de colágeno e neovascularização (P<0,05). A zimografia mostrou participação efetiva das MMPs-2 e -9 no desenvolvimento dos aneurismas (P<0,05). No grupo A+D houve inibição na formação desses aneurismas em aproximadamente 85% dos animais. A parede aórtica permaneceu inalterada, sem a presença de resposta inflamatória e não foi observado aumento significativo na expressão de MMPs 2 e 9 eTIMPs 1 e 2 (P<0,05; A+D ás grupo A). Esses resultados apontam para uma ação combinada da doxiciclina que parece interferir tanto na inflamação quanto na liberação de MMPs, especialmente 2 e 9 para potencial tratamento e prevenção dos aneurismas abdominais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.10.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MATA, Karina Magalhães Alves da; RAMOS, Simone Gusmão. Interferência da Doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas da aorta abdominal em modelo experimental de ratos Wistar. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
    • APA

      Mata, K. M. A. da, & Ramos, S. G. (2012). Interferência da Doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas da aorta abdominal em modelo experimental de ratos Wistar. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Mata KMA da, Ramos SG. Interferência da Doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas da aorta abdominal em modelo experimental de ratos Wistar. 2012 ;
    • Vancouver

      Mata KMA da, Ramos SG. Interferência da Doxiciclina no desenvolvimento de aneurismas da aorta abdominal em modelo experimental de ratos Wistar. 2012 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020