Exportar registro bibliográfico

Vivências de familiares de pacientes com câncer em processo de terminalidade de vida: um estudo clínico-qualitativo (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated author: FONSECA, CAROLINA OLIVEIRA SERRADELA - EERP
  • School: EERP
  • Sigla do Departamento: ERP
  • Subjects: PACIENTE TERMINAL; RELAÇÕES FAMILIARES; MORTE; PESQUISA QUALITATIVA
  • Keywords: Clinical-qualitative method; Death; Familiares; Family; Método clínico-qualitativo; Terminalidade; Terminality
  • Language: Português
  • Abstract: O impacto de uma doença traz alterações significativas no núcleo familiar, sobretudo ao entrar em contato com a possibilidade de finitude, visto que os recursos e procedimentos utilizados já não são mais eficazes no combate ao câncer. Esta pesquisa qualitativa objetivou compreender os significados atribuídos à vivência da terminalidade por familiares de pacientes com câncer, no contexto domiciliar. Trata-se de um estudo clínico-qualitativo que tem como particularidade valorizar os seguintes aspectos: atitude existencialista, atitude clínica e atitude psicanalítica; elementos reconhecidos como pilares que sustentam o método escolhido. Foram realizadas sete entrevistas com familiares considerados como principais cuidadores de pacientes, sendo estes assistidos por entidades filantrópicas. A técnica utilizada para realizar a coleta de dados neste estudo foi a entrevista semidirigida com questões abertas. Mediante consentimento prévio foram audiogravadas e, posteriormente, transcritas na íntegra. Os dados coletados foram submetidos à análise de conteúdo, de acordo com o método clínico- qualitativo, utilizando-se para a discussão dos resultados conceitos extraídos da teoria psicanalítica e materiais encontrados na literatura da psicologia da saúde. Após as leituras flutuantes do conjunto de todas as entrevistas e subsequente análise, observou-se que vivenciar o processo de terminalidade revelou-se para os familiares como uma experiência densa, difícil e dolorosa. O modo como os familiares receberam inicialmente o diagnóstico da doença foi sentido como uma situação marcante envolvida de incertezas e dúvidas, dada a dificuldade na comunicação entre profissional de saúde e familiar. O encontro com a doença e ao mesmo tempo, em alguns casos, também com um prognóstico restrito e fechado foi descrito como uma realidade em que se viram sozinhos e desprovidos de suporte. Nas teiasdos discursos, foram feitas algumas associações sobre o surgimento do câncer e sua gravidade, relacionadas a comportamentos dos pacientes julgados como "inadequados", como também atribuíram vivências de dificuldades emocionais para o aparecimento da enfermidade. À medida que tomavam contato com um tratamento não mais centrado na cura, mas baseado em intervenções paliativas, expressaram desespero e angústia pela possibilidade de morte do ente deixando de ser uma realidade distante, passando a figurar como possibilidade concreta. Os familiares trouxeram a experiência de terminalidade como um processo de dimensão ampla e profunda de perdas, evidenciada pela fragilidade e progressiva ausência de saúde dos entes, tendo de vivenciar um processo de luto anterior à morte dita concreta. Diante da vulnerabilidade de seus entes, os familiares, assumiram o papel de principal cuidador sentindo esta função como complexa e pontuada por muitas renúncias pela dedicação incondicional equivalente à relação entre mãe e filho. Nesse sentido, para os familiares, esta experiência mostrou-se como algo doloroso e ausente de acolhimento e de espaço para seu sofrimento. Desse modo, considera-se essencial que, nesse momento, profissionais de saúde possam oferecer assistência condizente com o processo no qual estão inseridos, abrindo com isso possibilidades de escutas sensíveis consoante com as ações e princípios preconizados nos cuidados paliativos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.08.2012
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FONSECA, Carolina Oliveira Serradela; LABATE, Renata Curi. Vivências de familiares de pacientes com câncer em processo de terminalidade de vida: um estudo clínico-qualitativo. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-05112012-160251/ >.
    • APA

      Fonseca, C. O. S., & Labate, R. C. (2012). Vivências de familiares de pacientes com câncer em processo de terminalidade de vida: um estudo clínico-qualitativo. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-05112012-160251/
    • NLM

      Fonseca COS, Labate RC. Vivências de familiares de pacientes com câncer em processo de terminalidade de vida: um estudo clínico-qualitativo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-05112012-160251/
    • Vancouver

      Fonseca COS, Labate RC. Vivências de familiares de pacientes com câncer em processo de terminalidade de vida: um estudo clínico-qualitativo [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-05112012-160251/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020