Exportar registro bibliográfico

Revisão taxonômica e filogenia das vespas-banderia do gênero Hyptia (Hymenoptera, Evaniidae) (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: KAWADA, RICARDO - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 592
  • Subjects: HYMENOPTERA; ZOOLOGIA (CLASSIFICAÇÃO); FILOGENIA
  • Keywords: Hyptia; espécies novas; Evaniidae; filogenia; morfologia externa; neártica; neotropical; Novo Mundo; taxonomia; Evaniidae; external morphology; Hyptia; neartic; neotropical; new species; New World; phylogeny; taxonomy
  • Language: Português
  • Abstract: Dentre os gêneros atuais de Evaniidae, Hyptia Illiger é o quarto mais rico em espécies (50 spp.), somente atrás de Prosevania Kieffer (102), Evaniciela Bradley (73) e Evania Fabricius (67). Apesar de importantes contribuições recentes de alguns pesquisadores, a quase totalidade das espécies de Hypha é conhecida superficialmente. A insuficiência das descrições em geral é decorrente do dimorfismo sexual que dificulta o reconhecimento, convergência na aparência de espécies diferentes, descrições não condizentes com os conceitos atuais, existência de poucos dados de distribuição confiáveis, trabalhos baseados em muito poucos exemplares e ilustrações e chaves de identificação inadequadas. É, portanto, fundamental uma revisão global deste gênero. O presente estudo representa o primeiro esforço aliando a revisão taxonômica a análise filogenética interna das espécies do género Hyptia com base em caracteres de morfologia externa A classificação mais atual considerava 50 nomes válidos para a categoria de espécies em Hypfia com 11 sinônimos, totalizando 61 nomes. A proposta de classificação que adoto após o presente estudo considera 80 espécies válidas e 14 sinônimos, totalizando 94 nomes, sendo 46 anteriormente espécies descritas e 34 espécies novas. No presente trabalho foram designados lectótipos para Hyptia amazonica, H. poeyi, H. petiolata e H. rufipes; propostas sinonímias de H. agenteiceps Kieffer, 1904 nov. sin. sob H. petiolata (Fabricius, 1798), H. birsuta (Taschenberg, 1891) nov. sin. sob H. amazonica (Schletterer, 1886), H. stimulata (Schletterer, 1889) nov. sin. sob H. poeyi (Guérin-Méneville, 1843) e H. spinifera Frison, 1922 nov. sin. sob H. nigriventris Szépligeti, 1903). Proposta para emendas justificadas de H. peruanus (Enderlein, 1905) para H. peruana n. em. e de H. rufpectus Dewitz, 1881 para H. rufipecta n. em. Sugerida a elevação do status da subespécie H. brevicalcarsericea a espécie H. serecea (Kieffer, 1910a) stat. nov. e a transferência de H. festiva para Semaeomyia [S. festiva (Taschenberg, 1891) nov. comb. Além das mudanças taxonômicas, os sexos dos espécimes-tipo de duas espécies haviam sido incorretamente determinados pelos autores originais: H. brasiliensis Szépligeti, 1903 identificado como fêmea e H. crassa (Cameron, 1888) como macho. Para a espécie H. bapyoides Bradley, 1908 o sexo não havia sido determinado (fêmea). O estudo dos 80 terminais, incluindo os grupos-externos mas não as espécies cujos holótipos não puideream ser estudados, resultou em uma matriz com 173 caracteres, sendo 41 baseados na morfologia da cabeça, 84 do mesossoma, 21 das pernas, 6 do metassoma e 21 das asas. Na forma como apresentados e discutidos, todos os caracteres são propostos e analisados pela primeira vez. A análise filogenética demonstra, pela primeira vez, a relação de grupo-irmão entre Hyptia e Decevania, apoiada por seis sinapomorfias e a monofilia de Hyptia, com pelo menos duas sinapomorfias sustentando esta hipótese. As relações internas apontam para a formação de dois dados maiores, as espécies com presença nas ilhas caribenhas e as espécies com distribuição pelos continentes americanos.Numa próxima etapa, a adição de novos caracteres de morfologia externa e da morfologia interna (apódemas e músculos) devem melhorar o suporte e revelar mais fielmente o relacionamento entre os clados do gênero, pois alguns clados não apresentaram resolução aceitável segundo a análise atual. A construção de um atlas de morfologia foi importante para o estabelecimento dos termos utilizados em Hyptia e, posteriormente, receberá adição de novos caracteres, a partir de estudos mais detalhados de sua morfologia, interna, assim como um ferramenta importante para iniciantes na taxonomia dá família
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.09.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KAWADA, Ricardo; BRANDÃO, Carlos Roberto Ferreira. Revisão taxonômica e filogenia das vespas-banderia do gênero Hyptia (Hymenoptera, Evaniidae). 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59131/tde-02052013-233941/ >.
    • APA

      Kawada, R., & Brandão, C. R. F. (2012). Revisão taxonômica e filogenia das vespas-banderia do gênero Hyptia (Hymenoptera, Evaniidae). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59131/tde-02052013-233941/
    • NLM

      Kawada R, Brandão CRF. Revisão taxonômica e filogenia das vespas-banderia do gênero Hyptia (Hymenoptera, Evaniidae) [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59131/tde-02052013-233941/
    • Vancouver

      Kawada R, Brandão CRF. Revisão taxonômica e filogenia das vespas-banderia do gênero Hyptia (Hymenoptera, Evaniidae) [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/59/59131/tde-02052013-233941/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021