Exportar registro bibliográfico

Distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica: da pré-diálise ao transplante renal (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: Jorgetti, Vanda - FM
  • Unidades: FM
  • Sigla do Departamento: MCM
  • Subjects: INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA; OSTEOPOROSE; VITAMINA D; TRANSPLANTE DE RIM; OSSO E OSSOS (PATOLOGIA); NEFROPATIAS
  • Language: Português
  • Abstract: Os pacientes com doença renal crônica desenvolvem inúmeras complicações. As alterações do metabolismo mineral e as doenças ósseas fazem parte delas e ocorrem já nos estágios iniciais da doença. Classicamente o termo osteodistrofia renal era empregado para descrever essas alterações. Recentemente uma definição mais ampla foi proposta resumida na sigla DMO-DRC (distúrbio do metabolismo e ósseo da doença renal crônica) e compreende os distúrbios do cálcio, fósforo, paratormônio e vitamina D, assim como da remodelação óssea e também a presença de calcificações vasculares e extra-osseas. O termo OR ficou restrito as doenças ósseas. A perda da função renal compromete a excreção de P e a síntese de calcitriol, dessa forma ocorre acumulo de P, diminuição da absorção intestinal de Ca e aumento da produção de PTH e conseqüentemente a instalação do hiperparatiroidismo secundário. O objetivo dessa tese foi discorrer sobre estudos, com os quais colaborei que avaliaram pacientes com DMO-DRC, do tratamento conservador ao transplante renal. Analisei trinta estudos, cinco deles com pacientes em tratamento conservador, vinte e dois com pacientes em diálise e três com transplantados renais. Os estudos realizados com pacientes em tratamento conservador mostraram que a doença óssea predominante é a de baixa remodelação que, dependendo da etiologia da doença renal, é observada já nos primeiros estágios da doença. Além disso,a baixa remodelação associou-se com aumento da calcificação vascular.Demonstramos também que densitometria óssea não é um bom método para avaliar o tipo de remodelação óssea dos pacientes.Outro resultado interessante foi o aumento precoce dos níveis de FGF-23, hormônio que regula o metabolismo do P e que desempenha um papel importante na evolução de desfechos desfavoráveis nesses pacientes. Quanto aos estudos realizados com pacientes em diálise,mostramos a prevalência dos diferentes tipos de doenças ósseas assim como as mudanças no perfil das mesmas ao longo do tempo. A prevalência de intoxicação por alumínio diminuiu, mas essa complicação ainda é frequente no nosso meio. Alem do alumínio os pacientes apresentam também depósitos de ferro no tecido ósseo. Avaliamos a função paratireoideana de pacientes com hiperparatiroidismo secundário, isoladamente e após tratamento com calcitriol respondendo a questionamentos da literatura quanto aos métodos empregados nos diferentes estudos. Analisamos ainda os efeitos deletérios do PTH no sistema imune e cardiovascular bem como os benefícios da paratireoidectomia com consequente controle do hiperparatiroidismo secundário. Um protocolo prospectivo onde pacientes em hemodiálise foram randomizados para tratamento da hiperfosfatemia, com dois tipos de quelantes de fósforo resultou numa serie de estudos que confirmaram a associações entre diminuição da massa óssea e calcificação cardiovascular, bem como a influencia da remodelação óssea na progressão das calcificações. Demonstramos elevada prevalência de osteoporose nessa população independente da presença de outras doenças ósseas. Outro resultado desse protocolo demonstrou que os níveis de paratormônio preconizado nas diretrizes internacionais como ideal para uma remodelação óssea adequada precisavam ser revistos. Os estudos realizados com pacientes transplantados renais demonstraram os benefícios do transplante na melhora da doença óssea e intoxicação alumínica, porém não houve normalização da remodelação óssea na maior parte dos pacientes. Em conclusão: Os estudos aqui analisados contribuíram para melhorar a compreensão dos distúrbios minerais e ósseos nos pacientes com doença renal crônica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.01.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      JORGETTI, Vanda. Distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica: da pré-diálise ao transplante renal. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.
    • APA

      Jorgetti, V. (2012). Distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica: da pré-diálise ao transplante renal. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Jorgetti V. Distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica: da pré-diálise ao transplante renal. 2012 ;
    • Vancouver

      Jorgetti V. Distúrbio mineral e ósseo em pacientes com doença renal crônica: da pré-diálise ao transplante renal. 2012 ;