Exportar registro bibliográfico

Membranas porosas de N,O-carboximetilquitosana/Quitosana para aplicação na prevenção de adesões pericárdicas pós-cirúrgicas (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: FIAMINGO, ANDERSON - IQSC
  • Unidade: IQSC
  • Assunto: QUITOSANA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho teve como objetivo produzir e caracterizar membranas de quitosana e de N,O-carboximetilquitosana reticuladas, que apresentassem propriedades físicas e químicas adequadas para desempenhar o papel de matriz para regeneração de células mesoteliais. As características estruturais e morfológicas das amostras purificadas de quitosana (amostra Q, adquirida da Yue Planting, China) e carboximetilquitosana na forma sódica (amostra NaCMQH, adquirida da Heppe Medical, Alemanha, e amostra NaCMQD, adquirida da Dayang Chemicals, China) foram investigadas através da espectroscopias de ressonância magnética nuclear e no infravermelho, condutimetria, solubilidade em função do pH e viscosimetria. As membranas de carboximetilquitosanas (amostras M-CMQHs e M-CMQDs) foram confeccionadas via liofilização, e glutaraldeído foi empregado como agente reticulante em diferentes concentrações para avaliar o seu efeito sobre o grau de reticulação e propriedades das membranas. As membranas foram caracterizadas quanto ao grau de reticulação, taxa de hidratação, microscopia eletrônica de varredura (MEV), termogravimetria, teste mecânico de tração e quanto a susceptibilidade à degradação enzimática. A amostra Q apresentou grau médio de acetilação ( ) de 23,60%, sendo solúvel em pH≤6,5. A amostra NaCMQH apresentou =16,32% e grau médio de substituição ( ) de 1,68, sendo insolúvel no intervalo 2,5≤pH≤6,5, a amostra de NaCMQD apresentou =3,31% e =1,43, sendo insolúvel no intervalo 3,0≤pH≤7,0. A reticulação das membranas de carboximetilquitosana (amostras M-CMQHs e M-CMQDs) foi realizada com a finalidade de reduzir sua solubilidade e melhorar as propriedades mecânicas. O grau médio de reticulação ( ) foi tanto maior quanto maior a concentração de glutaraldeído empregada na reação, variando de =10,39±0,37% ([glutaraldeído]=2,5x10-3mol.L-1) a =62,38±1,71% ([glutaraldeído]=5,0x10-O grau médio de reticulação ( ) foi tanto maior quanto maior a concentração de glutaraldeído empregada na reação, variando de =10,39±0,37% ([glutaraldeído]=2,5x10-3mol.L-1) a =62,38±1,71% ([glutaraldeído]=5,0x10-3mol.L-1). As características morfológicas das amostras M-Q, M-CMQHs e M-CMQDs foram observadas pelo emprego de MEV, sendo observada a formação de estruturas porosas, com maior quantidade de poros aparentes quanto maior o valor de , variando de 175 poros mm-2 a 291 poros mm-2 com o aumento do grau de reticulação de 12,30% (amostra M-CMQH-2,5) para 35,82%, (amostra M-CMQH-50). A amostra M-Q apresentou baixa taxa de hidratação (321,16±18,68%) e alto percentual de massa recuperada (90,62±2,13%) após imersão por 24 horas, quando comparada às amostras M-CMQHs e M-CMQDs. As amostras M-CMQHs e M-CMQDs apresentaram aumento da resistência máxima à tração com o aumento de , aumentando de 0,21±0,16MPa (amostra M-CMQD-2,5; ≈10,39%) para 0,82±0,33MPa (amostra M-CMQH-50; ≈62,38%). Entretanto, amostras com menor apresentaram aumento dos valores de percentual de elongação, sendo que a amostra M-CMQH-2,5 ( ≈12,30%) apresentou elongação máxima de 73,08±2,20%. A amostra M-Q foi pouco susceptível à hidrólise enzimática ([GlcN]=47x10-4±1x10-4mol.L-1) devido à baixa solubilidade da quitosana em pH>6,5. Já com relação ao efeito do , houve redução da taxa de hidrólise enzimática de [GlcN]=449x10-4±15x10-4mol.L-1 para [GlcN]=105x10-4±11x10-4 mol.L-1, quando o aumentou de 12,30% (amostra M-CMQH-2,5) para 28,64% (amostra M-CMQH-25)As amostras M-CMQH-5, M-CMQH-10, M-CMQD-10 e M-CMQD-25 apresentam propriedades adequadas para o emprego como membranas para a prevenção das adesões pericárdicas, pois apresentam superfícies altamente porosas, com baixas taxa de hidratação e de solubilidade, resistência máxima à tração superior a 0,67MPa, percentual de elongação superior à 30%, e degradação enzimática inferior a [GlcN]=400x10-4mol.L-1 após 15 dias de incubação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.03.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FIAMINGO, Anderson; CAMPANA FILHO, Sérgio Paulo. Membranas porosas de N,O-carboximetilquitosana/Quitosana para aplicação na prevenção de adesões pericárdicas pós-cirúrgicas. 2012.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-17042012-171004/publico/AndersonFiamingoR.pdf >.
    • APA

      Fiamingo, A., & Campana Filho, S. P. (2012). Membranas porosas de N,O-carboximetilquitosana/Quitosana para aplicação na prevenção de adesões pericárdicas pós-cirúrgicas. Universidade de São Paulo, São Carlos. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-17042012-171004/publico/AndersonFiamingoR.pdf
    • NLM

      Fiamingo A, Campana Filho SP. Membranas porosas de N,O-carboximetilquitosana/Quitosana para aplicação na prevenção de adesões pericárdicas pós-cirúrgicas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-17042012-171004/publico/AndersonFiamingoR.pdf
    • Vancouver

      Fiamingo A, Campana Filho SP. Membranas porosas de N,O-carboximetilquitosana/Quitosana para aplicação na prevenção de adesões pericárdicas pós-cirúrgicas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/75/75134/tde-17042012-171004/publico/AndersonFiamingoR.pdf


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021