Exportar registro bibliográfico

Efeito inibitório do captopril sobre a metaloproteinase-2 da matriz extracelular (MMP-2) in vitro (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: KUNTZE, LUCIANA BÄRG - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFA
  • Subjects: METALOPROTEINASES; MATRIZ EXTRACELULAR; INIBIDORES DE ENZIMAS; ANGIOTENSINAS
  • Keywords: Captopril; Angiotensin-converting enzyme inhibitors; Matrix metalloproteinase-2
  • Language: Português
  • Abstract: A MMP-2 é uma protease que está envolvida em muitos eventos fisiológicos e patológicos e que compartilha similaridades estruturais com a enzima conversara de angiotensina (ECA), de modo que os inibidores da ECA passaram a ser estudados com relação ao efeito inibitório também sobre a MMP-2. No entanto, este potencial inibitório não foi ainda testado na MMP-2 altamente purificada. Este estudo teve como objetivo investigar o potencial inibitório do captopril sobre a atividade da MMP2. Primeiramente, supôs-se que a dissolução do captopril poderia induzir a mudanças no pH de soluções tampão. Em segundo lugar, avaliou-se o efeito direto do captopril sobre a MMP-2 presente no plasma humano e a MMP-2 recombinante humana (rhMMP-2) produzida e purificada de E. coli. As análises de atividade in vitro incluiram zimogramas com gelatina e ensaios fluorimétricos com DQ gelatin. A solubilização do captopril reduziu significativamente o pH da solução tampão 50 mM (p<0,01) mas não alterou o pH da solução tampão 200 mM (p>0,05). Resultados de zimografia do plasma e da rhMMP-2 mostraram inibição da atividade gelatinolítica com significância estatística somente em concentrações iguais ou maiores que 4 e 1 mM de captopril, respectivamente (p<0,05). A presença de captopril nos ensaios de fluorimetria resultaram na inibição significaste da atividade de rhMMP-2 somente em concentrações iguais ou maiores que 2 mM (p<0,01), enquanto a rhMMP-2 ativada com APMA apresentou inibição significativa diante de 0,5 mM de captopril (p<0,01). As concentrações de captopril efetivas em inibir a MMP-2 in vitro foram muito superiores àquelas referentes à concentração plasmática máxima encontrada no plasma humano após a administração de uma dose de 50 mg de captopril. Em conjunto nossos resultados superem que o captopril não parece promover inibição significativa da MMP-2 nas concentrações relatadasin vivo. Além disso, o pH das soluções tamponantes é um aspecto que requer mais atenção durante ensaios de inibição de protease in vitro
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.02.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KUNTZE, Luciana Bärg; GERLACH, Raquel Fernanda. Efeito inibitório do captopril sobre a metaloproteinase-2 da matriz extracelular (MMP-2) in vitro. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-27072016-160209/ >.
    • APA

      Kuntze, L. B., & Gerlach, R. F. (2012). Efeito inibitório do captopril sobre a metaloproteinase-2 da matriz extracelular (MMP-2) in vitro. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-27072016-160209/
    • NLM

      Kuntze LB, Gerlach RF. Efeito inibitório do captopril sobre a metaloproteinase-2 da matriz extracelular (MMP-2) in vitro [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-27072016-160209/
    • Vancouver

      Kuntze LB, Gerlach RF. Efeito inibitório do captopril sobre a metaloproteinase-2 da matriz extracelular (MMP-2) in vitro [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/17/17133/tde-27072016-160209/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020