Exportar registro bibliográfico

Análise comparativa da neurodegeneração e neurogênese após Status Epilepticus induzido por administração sistêmica de pilocarpina e microinjeções na formação hipocampal de pilocarpina e extrato bruto de carambola, modelos de epilepsia do lobo temporal (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: CASTRO, OLAGIDE WAGNER DE - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RFI
  • Subjects: EPILEPSIA DO LOBO TEMPORAL; FÁRMACOS (ADMINISTRAÇÃO); CARAMBOLA; EXTRATOS (FORMAS FARMACÊUTICAS); NEUROFISIOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Epilepsia é definida como descargas paroxísticas anormais de populações neuronais em processos que afetam a excitabilidade cortical e do encéfalo como um todo, caracterizando-se pela ocorrência periódica de crises epilépticas, que podem ser conclusivas ou não. Cerca de 1 a 2% da população mundial é portadora de epilepsia e aproximadamente 30 % dos acometidos são resistentes ao tratamento com drogas antiepilépticas e, desses, a maioria apresenta Epilepsia do Lobo Temporal (ELT), que se caracteriza pela ocorrência de crises que se iniciam em estruturas do lobo temporal, como hipocampo, complexo amigdaloide e adjacências. Os pacientes com ELT podem apresentar, Status Epilepticus (SE), que é definido como uma crise de longa duração ou pequenas crises sem recuperação entre elas. No presente estudo foram feitas injeções intra-hipocampais e sistêmicas de pilocarpina (PILO) para indução de SE (ratos e camundongos), mimetizando ELT. Posteriormente foram analisados fenômenos plásticos associados à presença de SE. Os resultados gerados foram subdivididos em capítulos e apresentados abaixo: 1). A injeção de PILO sistêmica (S-PILO) e microinjeção de PILO intra-hipocampal (H- PILO), são capazes de induzir SE e processos neurodegenerativos identificados pela histoquímica de Fluoro-Jade (FJ). Foi observado que áreas FJ+ são mais abrangentes em S-PILO que H-PILO. 2). Foram usados os modelos H-PlLO e microinjeção de extrato bruto de carambola para induzir SE e observou-se que a cinemática de neurodedegeneração FJ+ no grupo carambola foi similar ao encontrado em H-PILO. Os animais foram perfundidos 24 h, 7 e 15 dias após SE e foram mapeadas 5 áreas cerebrais, que são parte da circuitaria hipocampal: Hilus, CA3, CA1, subiculum e córtex entorrinal. Foi observado nos dois modelos (H-Pilo e CA1 7 dias após SE e, apenas no grupo carambola, neurodegeneração mais cedo, no córtexentorrinal 24 h após SE. Posteriormente, foi analisada neurodegeneração apoptótica no Hilus do GD 15 dias após SE e, observou-se também, que o grupo H-PILO possui um maior número de células em apoptose nessa área. Por último, foi feita uma análise em relação à quantidade de novos neurônios na camada granular do GD e foi constatado que o grupo H-PILO também apresentou maior número de células novas quando comparado aos animais expostos à carambola. Entretanto, a quantidade de novos neurônios do grupo carambola é maior em relação ao grupo experimental, demonstrando, assim que ocorre neurogênese significativamente maior que o basal. 3). Foram analisadas estruturas de dendritos apicais de células granuladas que expressam green fluorescent protein (GFP), marcadas com Bromodeoxiuridina (BrdU) nascidas 2 meses antes da indução de SE em camundongos C57B/L6. Diferente das células granulares imaturas, as células granulares maduras expostas ao SE (maduras+SE) não tiveram rompimento de sua arborização apical dendrítica, entretanto elas exibiram uma redução significativa na densidade e no número de espinhos dentríticos quando comparadas às células granulares maduras da mesma idade não expostas ao SE (madura/sem SE). 4). Testamos a hipótese de que níveis aumentados de corticosterona (CORT) hormônio relacionado ao estresse, pode aumentar a atividade epileptiforme e o número de crises recorrentes espontâneas (CRE) em camundongos epilépticos induzidos por PILO subcutânea (s.c.). A atividade Vídeo-EEGráficas foi monitorada 24 horas por dia por um período de 4 semanas ou mais, enquanto os animais eram tratados serialmente com CORT e veículo (propilenoglicol) também s.c. A administração de CORT aumentou a freqüência e a duração dos eventos epileptiformes na primeiras 24 horas de tratamento e estes efeitos persistiram por pelo menos 2 semanas após o término das injeções.Injeções de veículo produziram aumento modesto na atividade epileptiforme nas primeiras 24 horas, entretanto, os efeitos na atividade epileptiforme não foram persistentes. A administração de CORT ou veículo não foram capazes de aumentar significantemente a freqüência das CRÊS: embora um pequeno número de animais respondesse de forma exuberante ao tratamento de CORT. 5). Por último foi feito um estudo farmacológico, no qual foi calculada a ‘ED IND.50’ para PILO sistêmica e intra-hipocampal que foi de 174 mg/kg e 2,46 ‘mü’g/kg respectivamente. As doses sugeridas aqui (cerca de 5 ‘mü’g/kg: 1ml de 1200-1400 ‘mü’ /ml de solução de PILO para microinjeção intra-hipocampal e 320 mg/kg para injeção sistêmica) são próximas da metade do padrão de PILO descrita na literatura para ambas as rotas de injeção de PILO. Nossos dados indicam que, para camundongos, a ‘ED IND.50’ é similar a ‘LD IND.50’, sugerindo que não é possível aumentar o número de animais que entram em SE. O conjunto de dados fornece importantes evidências relacionadas aos processos epileptogênicos, indicando as áreas mais acometidas por processos neurodegenerativos e de neurogênese e ainda analisa a influência de estresse sobre as CRÊS. Intervenções neuroplásticas nesta etapa da implementação da síndrome epilética poderão contribuir para o desenvolvimento de terapias antiepiléticas que representarão um passo importante em busca de uma possível cura
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.02.2012

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CASTRO, Olagide Wagner de; GARCIA-CAIRASCO, Norberto. Análise comparativa da neurodegeneração e neurogênese após Status Epilepticus induzido por administração sistêmica de pilocarpina e microinjeções na formação hipocampal de pilocarpina e extrato bruto de carambola, modelos de epilepsia do lobo temporal. 2012.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2012.
    • APA

      Castro, O. W. de, & Garcia-Cairasco, N. (2012). Análise comparativa da neurodegeneração e neurogênese após Status Epilepticus induzido por administração sistêmica de pilocarpina e microinjeções na formação hipocampal de pilocarpina e extrato bruto de carambola, modelos de epilepsia do lobo temporal. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Castro OW de, Garcia-Cairasco N. Análise comparativa da neurodegeneração e neurogênese após Status Epilepticus induzido por administração sistêmica de pilocarpina e microinjeções na formação hipocampal de pilocarpina e extrato bruto de carambola, modelos de epilepsia do lobo temporal. 2012 ;
    • Vancouver

      Castro OW de, Garcia-Cairasco N. Análise comparativa da neurodegeneração e neurogênese após Status Epilepticus induzido por administração sistêmica de pilocarpina e microinjeções na formação hipocampal de pilocarpina e extrato bruto de carambola, modelos de epilepsia do lobo temporal. 2012 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020