Exportar registro bibliográfico

Triquilemocarcinoma e triquilemoma: estudo comparativo clínico, histopatológico e imunoistoquímico (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: AIRES, NáDIA BARBOSA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MDT
  • Subjects: NEOPLASIAS CUTÂNEAS; IMUNOHISTOQUÍMICA; EPIDEMIOLOGIA
  • Keywords: Epidemiology; Folículo piloso; Hair follicle; Immunochemistry; Imunoistoquímica; Neoplasias de anexos e de apêndices cutâneos; Neoplasms adnexal and skin appendage; Skin neoplasia
  • Language: Português
  • Abstract: Vários estudos têm relatado um aumento da incidência de câncer de pele em todo o mundo. No Brasil, o câncer de pele em geral continua sendo a neoplasia mais incidente em ambos os gêneros. Os tumores de anexos cutâneos compõem um grupo grande de neoplasias que exibem diferenciação morfológica para um dos epitélios anexiais da pele normal. Este trabalho trata dos aspectos clínicos, histológicos e imunoistoquímicos de um tumor anexial de origem folicular: o triquilemocarcinoma e sua versão benigna o triquilemoma. Os objetivos foram analisar comparativamente os dados clínicos, epidemiológicos e a expressão de citoqueratinas 15 e 16, claudinas 1,3,4,5,7 e 11, antígeno CD34, do p63 e do índice de proliferação celular pelo Ki67 entre o grupo dos Triquilemomas e Triquilemocarcinomas diagnosticados na Divisão de Dermatologia do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo no período de 1991 a 2009 e definir um padrão imunofenotípico que auxilie no diagnóstico diferencial dos dois tumores. O estudo foi feito através de revisão clínico-epidemiológica de prontuário dos casos diagnosticados no período de 1991 a 2009; revisão das lâminas em HE e PAS com e sem diastase; realização das técnicas de imunoistoquímica. No período de 18 anos foram identificados 22 casos válidos de triquilemoma e 16 casos válidos de triquilemocarcinoma. Observou-se uma maior incidência de Triquilemoma entre adultos masculinos enquanto que os Triquilemocarcinomas predominaram entre os idosos femininos. A cabeça foi mais acometida entre os casos benignos que entre os malignos. A opção terapêutica predominante entre os triquilemomas foi de eletrocoagulação e de excisão cirúrgica para os demais casos. A claudina-1, claudina-4 e o CD34 apresentavam medianas mais altas nos casos benignos que nos malignos. Portanto, conclui-se que os dados epidemiológicos e clínicos dos dois grupos de tumores se distinguem em relação à idade, gênero,local de acometimento e tipo de tratamento; observou-se perda de expressão das CL1 e 4 e do CD34, marcadores de diferenciação celular, nos Triquilemocarcinomas em comparação aos Triquilemomas. Por outro lado, o índice de proliferação celular pelo Ki67 mostrou-se um marcador inútil para a distinção entre as formas benigna e maligna
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.04.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      AIRES, Nádia Barbosa; FESTA NETO, Cyro. Triquilemocarcinoma e triquilemoma: estudo comparativo clínico, histopatológico e imunoistoquímico. 2012.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-21062012-115357/ >.
    • APA

      Aires, N. B., & Festa Neto, C. (2012). Triquilemocarcinoma e triquilemoma: estudo comparativo clínico, histopatológico e imunoistoquímico. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-21062012-115357/
    • NLM

      Aires NB, Festa Neto C. Triquilemocarcinoma e triquilemoma: estudo comparativo clínico, histopatológico e imunoistoquímico [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-21062012-115357/
    • Vancouver

      Aires NB, Festa Neto C. Triquilemocarcinoma e triquilemoma: estudo comparativo clínico, histopatológico e imunoistoquímico [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5133/tde-21062012-115357/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021