Exportar registro bibliográfico

Estimação do risco e do valor da floresta para fins securitários no Brasil (2012)

  • Authors:
  • Autor USP: PRATA, GABRIEL ATTICCIATI - ESALQ
  • Unidade: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LCF
  • Assunto: FLUXO DE CAIXA
  • Keywords: Florestas - Valoração - Brasil; Risco - Mapeamento; Seguro florestal
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo do estudo é apresentar um conjunto de alternativas ao mercado de seguro florestal que sistematize o processo de valoração da floresta em apólices de seguro e que proponha os indicadores mais importantes para mapeamento de riscos. Atualmente o cálculo do Valor em Risco (VR) se baseia no custeio ou no valor comercial da floresta. Esse método de cálculo apresenta limitações, pois é comum a seguradora ter que estimar esses valores. Um novo cálculo do VR é aqui proposto e leva em consideração o valor da floresta em função do seu potencial retorno econômico. Esse novo VR considera o fato de que um sinistro interrompe a expectativa de conclusão do atual ciclo de exploração, tendo como conseqüência (i) a perda de uma receita futura que seria obtida com a madeira produzida pela floresta atual, deduzidos os custos futuros; e (ii) a antecipação da ocupação da área com uma nova atividade, que só aconteceria após o término do atual ciclo de exploração. O método proposto é ilustrado com exemplos, sugerindo três modelos base de custeio: Alta, Média ou Baixa tecnologia, aplicáveis em qualquer parte do Brasil. Para o cálculo das receitas, foram geradas oito curvas de crescimento para eucalipto, com incrementos médio anuais (IMA), aos 7 anos, de: 24, 27, 32, 35, 41, 52, 47 e 60 m3ha-1ano-1, nomeadas de BP1, BP2, MP1, MP2, MP3, AP1, AP2, AP3, respectivamente. O novo VR foi aplicado em sete casos reais, em diferentes estados brasileiros. Cada local foi associado com uma estratégia decustos conforme a tecnologia empregada (Alta Média ou Baixa) e vinculado a uma das curvas de crescimento. O preço da madeira considerou valores regionais, e a taxa de desconto utilizada foi de 12% ao ano. Para o Local 1(PR), onde se considerou baixa tecnologia, curva MP1 de produção e madeira a R
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.03.2012
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PRATA, Gabriel Atticciati; RODRIGUEZ, Luiz Carlos Estraviz. Estimação do risco e do valor da floresta para fins securitários no Brasil. 2012.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-15052012-085808/ >.
    • APA

      Prata, G. A., & Rodriguez, L. C. E. (2012). Estimação do risco e do valor da floresta para fins securitários no Brasil. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-15052012-085808/
    • NLM

      Prata GA, Rodriguez LCE. Estimação do risco e do valor da floresta para fins securitários no Brasil [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-15052012-085808/
    • Vancouver

      Prata GA, Rodriguez LCE. Estimação do risco e do valor da floresta para fins securitários no Brasil [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11150/tde-15052012-085808/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021