Exportar registro bibliográfico

Rede de enfrentamento à violência intrafamiliar em Rio Branco, Acre: limites e possibilidades (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: CHAVES, SILVANE DA CRUZ - FSP
  • Unidade: FSP
  • Sigla do Departamento: HSM
  • Subjects: REDES SOCIAIS (SERVIÇOS); SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE; PESQUISA QUALITATIVA; VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER (SERVIÇOS); VIOLÊNCIA DOMÉSTICA (SERVIÇOS); VIOLÊNCIA NA FAMÍLIA (SERVIÇOS); ASSISTÊNCIA SOCIAL (DESCRIÇÃO); ASSISTÊNCIA À SAÚDE (DESCRIÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução - A implementação dos serviços integrados na formação de uma rede assistencial de promoção à saúde é uma estratégia de política pública, que visa ao combate da violência doméstica. Tem natureza sensível e complexa, impondo às instituições componentes, desafios e possibilidades na coordenação das ações entre Estado e sociedade civil, na prevenção e atenção aos sujeitos vulneráveis, a exemplo, das mulhers em situação de violência nas relações de parceria íntima. Objetivo - Descrever e analisar a criação, a composição e o funcionamento da Rede de Enfrentamento à Violência Intrafamiliar de Rio Branco - AC (REVIVA). Métodos - Pesquisa qualitativa, com uso do roteiro de entrevistas do "Protocolo Rota Crítica das mulheres afetadas pela violência intrafamiliar (OPAS, 1998)" e combinação de técnicas. Os sujeitos pesquisados são profissionais e usuários da rede intersetorial de serviços de combate à violência doméstica e familiar.Resultados - A REVIVA surgiu da reinvidicação popular pela garantia de direitos sociais e preocupação feminista com os direitos das mulheres. A oferta de serviços é dinâmica a orientação de política pública se deslocou do combate à violência intrafamiliar para a atenção específica às mulheres em situação de violência. A Lei Maria da Penha, ampliou a oferta de serviços para as mulheres no setor jurídico-policial. Foram indicados limites à prática profissional e efetividade da rede: carências de formação e capacitação dos recursos humanos, aperfeiçoamento dos meios de interlocução interinstitucional e a necessidade de ampliação de ações de prevenção da violência de gênero. Foram descritas potencialidades de efetividade do atendimento nas parcerias entre os setores e na integração dos serviços em rede. Na visão dos profissionais, as usuárias têm diferentes demandas de atendimento: empoderamento, orientação de direitos, assistência social, jurídica e de saúde. Os usuários se queixam de exclusão e vitimização institucional nos serviços da Rede intersetorial e demandam mais políticas públicas assistenciais. Conclusões - Existe demanda de maior investimento em políticas assistenciais de prevenção e garantias de direitos sociais e a incorporação do atendimento a autores de violência é vista como ação de combate e prevenção da violência de gênero.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.09.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CHAVES, Silvane da Cruz; DINIZ, Carmen Simone Grilo. Rede de enfrentamento à violência intrafamiliar em Rio Branco, Acre: limites e possibilidades. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < https://doi.org/10.11606/T.6.2011.tde-07052021-161311 >.
    • APA

      Chaves, S. da C., & Diniz, C. S. G. (2011). Rede de enfrentamento à violência intrafamiliar em Rio Branco, Acre: limites e possibilidades. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de https://doi.org/10.11606/T.6.2011.tde-07052021-161311
    • NLM

      Chaves S da C, Diniz CSG. Rede de enfrentamento à violência intrafamiliar em Rio Branco, Acre: limites e possibilidades [Internet]. 2011 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2011.tde-07052021-161311
    • Vancouver

      Chaves S da C, Diniz CSG. Rede de enfrentamento à violência intrafamiliar em Rio Branco, Acre: limites e possibilidades [Internet]. 2011 ;Available from: https://doi.org/10.11606/T.6.2011.tde-07052021-161311

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021