Exportar registro bibliográfico

Sentir, escrever e governar: A prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida, 2º Marquês do Lavradio (1768 - 1779) (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: CONCEIçãO, ADRIANA ANGELITA DA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLH
  • Subjects: EPISTOLOGRAFIA; POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO LUSO-BRASILEIRA
  • Keywords: 18th century; 2nd marquis of Lavradio; 2º marquês do Lavradio; cartas; colonial government; epistolary practice; governo colonial; letters; manuais de escrita; prática epistolar; século XVIII; writing manual
  • Language: Português
  • Abstract: Esta tese versa sobre a prática de escrita de cartas na época moderna, sobretudo no século XVIII, incluindo-se a carta como objeto de estudo, ao se considerar seu sentido, produção, marca de sociabilidade, aspecto materiais, espaço de trocas de sensibilidades e dispositivo da prática de governar. Para isso, analisamos alguns manuais modernos de escrita de carta e de secretário, especialmente, o de Francisco José Freire, O secretario portuguez (1745). Ao se estudar a prática epistolar, criou-se o conceito de sensação de fala e sensação de escuta, para pensar a carta enquanto portadora da voz do remetente, despertando no destinatário a audição, ativada pela conexão entre os sentidos questão que também considerou a circularidade da carta entre os espaços de sociabilidade e manifestação do sensível. Assim, depois de pensar a carta em categorias teóricas, estudamos a correspondência de D. Luís de Almeida, o 2º marquês do Lavradio. Cartas produzidas por este português no período no qual deixou Lisboa para servir ao rei como governador da Bahia e depois como vice-rei do Brasil, permanecendo na América de 1768 a 1779. As instituições que abrigam a correspondência que formou o principal corpus da tese são: em Portugal, Biblioteca Nacional, Arquivo Histórico Ultramarino e Academia de Ciência de Lisboa; no Brasil, Arquivo Nacional e Biblioteca Nacional. O corpus foi estudado pormenorizadamente reunindo informações quantitativas e qualitativas, considerando a materialidade da carta esua trajetória de composição e preservação. Por fim, o terceiro momento do estudo analisou o conteúdo das cartas, para pensar o governo colonial regido através delas, refletindo sobre os diferentes papéis sociais ocupados por D. Luís de Almeida, a atuação do vice-rei e suas problemáticas de governo; e as estratégias utilizadas para impedir a má reputação social diante da perda do território. Contudo, esta tese une sentir, escrever e governar, para pensar a prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.08.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CONCEIÇÃO, Adriana Angelita da; SOUZA, Laura de Mello e. Sentir, escrever e governar: A prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida, 2º Marquês do Lavradio (1768 - 1779). 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16042012-164420/ >.
    • APA

      Conceição, A. A. da, & Souza, L. de M. e. (2011). Sentir, escrever e governar: A prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida, 2º Marquês do Lavradio (1768 - 1779). Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16042012-164420/
    • NLM

      Conceição AA da, Souza L de M e. Sentir, escrever e governar: A prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida, 2º Marquês do Lavradio (1768 - 1779) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16042012-164420/
    • Vancouver

      Conceição AA da, Souza L de M e. Sentir, escrever e governar: A prática epistolar e as cartas de D. Luís de Almeida, 2º Marquês do Lavradio (1768 - 1779) [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-16042012-164420/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021