Exportar registro bibliográfico

Efeitos da poluição atmosférica na superfície ocular (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: NOVAES, PRISCILA - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MOF
  • Subjects: POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA (EFEITOS ADVERSOS); EXPOSIÇÃO AMBIENTAL; CONJUNTIVA (CITOLOGIA); HIPERPLASIAS; OFTALMOPATIAS (EPIDEMIOLOGIA)
  • Keywords: Air pollution/adverse effects; Conjunctiva/cytology; Environmental exposure; Eye disease/epidemiology; Hyperplasia; Poluição atmosférica/efeitos adversos
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Avaliar os efeitos de diferentes níveis de exposição ambiental sobre a superfície ocular, por meio da análise histológica da superfície ocular e da avaliação de parâmetros clínicos. Métodos: O estudo foi realizado em duas etapas. Em ambas as etapas foram realizadas medidas individuais de exposição ao dióxido de Nitrogênio (NO2) atmosférico. Na primeira etapa foram selecionados 29 voluntários, em duas localidades diferentes: São Paulo (n=13) e Divinolândia (n=16) e foram coletados espécimes de citologia de impressão de conjuntiva tarsal inferior. Realizou-se a comparação entre o número de células caliciformes e os níveis de NO2 entre os dois grupos e individualmente. Na segunda etapa foram avaliados 55 voluntários, residentes em São Paulo. Foi realizada uma avaliação subjetiva de sintomas oculares (OSDI e freqüência de sintomas de desconforto ocular); teste de Schirmer I, biomicroscopia, coloração com fluoresceína e rosa bengala, e medida do TRFL, que foram comparados os níveis de NO2.Resultados: Etapa 1: Os níveis de exposição individual ao NO2 em São Paulo (média=32,47 ± 9,83 μg/m3) foram 68% mais altos do que em Divinolândia (média =19,33± 5,24 μg/m3); (p = 0,005), e houve uma correlação entre o número de células caliciformes e os níveis de NO2 (ρ=0,566, p=0,001), tendo sido observado um padrão dose-resposta relativo à exposição. Etapa 2: Houve associação entre os níveis de NO2 e os escores do OSDI (p<0,05), a freqüência de irritação ocular (p<0,05), e os valores do TRFL (p<0,05, p = -0,316). Conclusões:Houve uma associação significativa entre exposição à poluição atmosférica e a hiperplasia de células caliciformes conjuntivais, sintomas de desconforto ocular e maior instabilidade do filme lacrimal. Observou-se uma repercussão tanto clínica quanto histológica da exposição a níveis mais elevados de NO2, o que sugere que essas medidas podem ser usadas como biomarcadores dos efeitos adversos da poluição atmosférica sobre a superfície ocular
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.12.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOVAES, Priscila; JOSE, Newton Kara. Efeitos da poluição atmosférica na superfície ocular. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-27022012-114920/ >.
    • APA

      Novaes, P., & Jose, N. K. (2011). Efeitos da poluição atmosférica na superfície ocular. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-27022012-114920/
    • NLM

      Novaes P, Jose NK. Efeitos da poluição atmosférica na superfície ocular [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-27022012-114920/
    • Vancouver

      Novaes P, Jose NK. Efeitos da poluição atmosférica na superfície ocular [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5149/tde-27022012-114920/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021