Exportar registro bibliográfico

A via de sinalização Nod1/Rip2 em resposta a infecção experimental murina por Trypanosoma cruzi (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: HORTA, CATARINA VELTRINI - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RBP
  • Subjects: TRYPANOSOMA CRUZI; FAGOCITOSE
  • Language: Português
  • Abstract: A Doença de Chagas é cansada pelo Trypanosoma cruzi e afeta aproximadamente 10 milhões de pessoas na América Latina. Já se sabe que a resposta imune contra T. cruzi é iniciada pelo reconhecimento do parasito por receptores de reconhecimento padrão (PRRs), como os receptores do tipo Toll-like (TLRs). No entanto, a participação de outros receptores, como os NOD-like (NLRs) não está bem determinada. Recentemente, nosso grupo demonstrou que Nodl, um membro da família dos NLRs, atua na resposta do hospedeiro contra a infecção por T. cruzi. Especificamente, Nodl foi importante para eliminação dos parasitas em macrófagos tratados por IFN-‘gama’. Neste trabalho, investigamos as vias de sinalização downstream a Nodl que atuam na resposta contra a infecção por T. cruzi. Está bem estabelecido que Nodl, em resposta a produtos bacterianos, sinaliza via a proteína quinase Rip2 para ativação de proteínas MAPK e NF-‘capa’KB. Dessa forma, utilizamos macrófagos derivados de medula óssea de camundongos C57BL/6, ‘Nodl- POT. -/-’ e ‘Rip2 POT. -/-’ a fim de investigar a função de Rip2 na resposta contra a infecção por T. cruzi. Macrófagos foram pré-tratados com IFN-‘gama’ e infectados com o parasito; a multiplicação parasitária foi analisada 48 horas após a infecção pela coloração com Giemsa; e a liberação das formas tripomastigotas de T. cruzi no sobrenadante das células foi detectada após 2, 3 e 4 dias de infecção. Nossos resultados mostraram que os números de amastigotas intracelulares e a liberação de tripomastigotas foram similares em todo,s os macrófagos não estimulados. Em contrapartida, conforme reportado pelo nosso grupo, macrófagos ‘Nodl POT. -/-’ apresentaram maior número de amastigotas intracelulares e parasitas liberados em comparação com macrófagos selvagens quando estimulados com IFN-‘gama’. Curiosamente, macrófagos de animais ‘Rip2 POT. -/-’ apresentaramrespostas semelhantes aos selvagens, o que sugeri que a resposta dependente de Nodl contra T. cruzi não requer o recrutamento de Rip2. Corroborando esses dados, experimentas realizados in vivo analisando a parasitemia e a mortalidade mostraram que camundongos infectados com T. cruzi são capazes de controlar a infecção por um mecanismo dependente de Nodl e IFN-‘gama’ e independente de Rip2. Para compreender essa via dependente de Nodl e independente de Rip2, utilizamos inibidores de proteassoma, de MAPKs, da síntese de NO e de autofagia em macrófagos tratados com IFN-‘gama’ e infectados com T. cruzi. Os dados indicam que a atividade de p38 e JNK, mas não de ERK1/2 e de NF-‘capa’B, é necessária para resposta dependente de Nodl contra T. cruzi. No entanto, respostas microbicidas contra T. cruzi dependentes tanto de Nodl quanto de Rip2 também foram detectadas. Observamos que a produção de citocinas em BMMs em resposta a infecção por T. cruzi requer Nodl e Rip2, sugerindo a importância dessas proteínas na regulação transcricional de genes relacionados com a indução de respostas celulares contra o parasito. Entre esses processos, verificamos que a autofagia é um mecanismo ativado em resposta ao T. cruzi que ocorre de maneira dependente de Nodl e Rip2, uma vez que a formação de autofagossomas foi abatida em ausência dessas proteínas. Em conjunto, nossos dados indicam que Nodl é essencial para o controle da replicação intracelular de T. cruzi por um mecanismo parcialmente dependente de Rip2. Especificamente, Nodl e Rip2 parecem participar da regulação transcricional de citocinas e da autofagia contra T. cruzi. Em contrapartida, Nodl em resposta a IFN-‘gama’ participa de uma resposta que leva ao controle da replicação parasitária por um mecanismo independente de Rip2 e dependente das MAPKs p38 e JNK
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.11.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      HORTA, Catarina Veltrini; ZAMBONI, Dario Simões. A via de sinalização Nod1/Rip2 em resposta a infecção experimental murina por Trypanosoma cruzi. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Horta, C. V., & Zamboni, D. S. (2011). A via de sinalização Nod1/Rip2 em resposta a infecção experimental murina por Trypanosoma cruzi. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Horta CV, Zamboni DS. A via de sinalização Nod1/Rip2 em resposta a infecção experimental murina por Trypanosoma cruzi. 2011 ;
    • Vancouver

      Horta CV, Zamboni DS. A via de sinalização Nod1/Rip2 em resposta a infecção experimental murina por Trypanosoma cruzi. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021