Exportar registro bibliográfico

Argila organofílica como agente microbiano para tintas (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, WAGNER CLAUDIO DA - EP
  • Unidade: EP
  • Sigla do Departamento: PMT
  • Subjects: ARGILAS; ALGICIDAS; TINTAS; LIXIVIAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: Sais quaternários de amônio são amplamente usados como agentes antissépticos, desinfetantes, detergentes e preservantes. Além disso, sais quaternários de amônio são frequentemente utilizados como algicidas, sendo o cloreto de dodecil dimetil benzil amônio (Cloreto de benzalcônio) o mais efetivo contra estes microorganismos. No entanto sua aplicação como algicida de superfícies é limitada, devida sua alta hidrofilicidade, ocasionado uma alta lixiviação deste composto quando a superfície é exposta à alta umidade e intempéries de clima tropical. Atualmente compostos como Diuron e S-Triazina são empregados como algicidas, considerados de baixa lixiviação. No entanto altos níveis de concentração destes biocidas foram detectados em regiões costeiras evidenciando a lixiviação destes biocidas, quando utilizados em tintas para casco de navio. Assim surge a necessidade do desenvolvimento de um algicida para suprir as deficiências de lixiviação dos compostos empregados atualmente. Materiais como as argilas organofílicas são uma excelente alternativa, pois são altamente hidrofóbicas. Portanto sintetizou-se neste trabalho uma argila organofílica utilizando-se cloreto de benzalcônio, a qual, foi utilizada em uma formulação de tinta imobiliária. O material foi caracterizado pelas técnicas de difração de Raios X e analise termogravimétrica. Um filme de tinta foi submetido a uma câmara de lixiviação, simulando a ação da chuva. Após a lixiviação o filme de tinta seguiu para testes microbiológicos, para verificar se a superfície ainda possui proteção microbiana. As algas testadas foram das espécies Phormidium cebenense, Trentepohlia odorata, Chorella sp e Scenedesmus quadricauda colocadas num pool de algas.Através das analises de Difração de Raios X e termogravimétrica é possível determinar a estrutura e quantificar o teor cloreto de benzalcônio no material, respectivamente. Os testes microbiológicos e de lixiviação avaliaram a capacidade biocida assim como a resistência à intempérie do material. O novo composto sintetizado neste trabalho apresentou um alto potencial para uso como agente microbiano em tintas.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.12.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Wagner Claudio da; VALENZUELA DÍAZ, Francisco Rolando. Argila organofílica como agente microbiano para tintas. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-04072012-171310/pt-br.php >.
    • APA

      Silva, W. C. da, & Valenzuela Díaz, F. R. (2011). Argila organofílica como agente microbiano para tintas. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-04072012-171310/pt-br.php
    • NLM

      Silva WC da, Valenzuela Díaz FR. Argila organofílica como agente microbiano para tintas [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-04072012-171310/pt-br.php
    • Vancouver

      Silva WC da, Valenzuela Díaz FR. Argila organofílica como agente microbiano para tintas [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3133/tde-04072012-171310/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021