Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo de danos oxidativos espontâneos no DNA de pacientes com lesões malignas e benignas de mama (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CARVALHO, FERNANDA PAULA DE - FMRP
  • Unidades: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: NEOPLASIAS MAMÁRIAS; CITOGENÉTICA; ESTRESSE OXIDATIVO; DNA (DANOS)
  • Language: Português
  • Abstract: O estresse oxidativo é um dos principais responsáveis pela produção de danos espontâneos no DNA, os quais podem levar à origem de diversas neoplasias, inclusive cancer de mama (CM). Além disso, dentre os diversos fatores de risco já estabelecidos para a ocorrência do CM em mulheres, como idade, harmônios, dieta e fatores genéticos, alguns tipos de lesões benignas mamárias também aparecem como importantes elementos predisponentes. Dessa forma, a pesquisa de genes envolvidos com a produção ou reparo de danos oxidativos, bem como o estudo de elementos bioquímicos relacionados à proteção antioxidante em pacientes com lesões malignas e benignas de mama são fundamentais para o entendimento do mecanismo geral que conduz ao estresse oxidativo no CM. Os objetivos deste estudo foram determinar a frequência dos polimorfismos Ser326Cys hOGG1 e Arg38Trp AHCY pela técnica de PCR-RFLP; avaliar os níveis sanguíneos de folato, vitamina B12 e glutationa peroxidase (GSH-Px); examinar o grau de lesões oxidativas espontâneas no DNA pelo Teste do Micronúcleo (MN), Índice de Divisão Nuclear (IDN) e Ensaio Cometa em linfócitos; e por fim, verificar se os polimorfismos e os elementos bioquímicos estudados exercem influência sobre tais danos oxidativos. Foram coletadas amostras de sangue periférico de 55 voluntárias sadias, 10 pacientes com adenose esclerosante (AE) e 54 pacientes com carcinoma ductal invasivo (CDI) não tratadas. Os polimorfismos foram analisados em todas as amostras. As análises bioquímica e citogenética foram realizadas numa sub-amostra composta por 21 mulheres sabias, 10 pacientes com AE e 14 pacientes com CDI. No Ensaio Cometa foi aplicada a endonuclease OGG1 para detecção de danos oxidativos. Não foi observada relação entre os alelos Ser326Cys hOGG1 e Arg38Trp AHCYe o risco de CM. O número de indivíduos portadores do alelo Arg38Trp AHCY foi insuficiente para as demais análises. Não houvedeficiência ou excesso de folato e vitamina B12 entre as voluntárias. Pacientes com CDI apresentaram níveis de GSH-Px e frequência de MNs significativamente maiores do que mulheres sabias. Não houve associação entre o grau de danos espontâneos no DNA e risco de CM. O alelo Ser326Cys hOGG1 não interfere na produção de lesões espontâneas no DNA. O folato e a vitamina B12, em níveis normais, podem provocar instabilidade genômica em pacientes com AE
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.11.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHO, Fernanda Paula de; TAKAHASHI, Catarina Satie. Estudo de danos oxidativos espontâneos no DNA de pacientes com lesões malignas e benignas de mama. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Carvalho, F. P. de, & Takahashi, C. S. (2011). Estudo de danos oxidativos espontâneos no DNA de pacientes com lesões malignas e benignas de mama. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Carvalho FP de, Takahashi CS. Estudo de danos oxidativos espontâneos no DNA de pacientes com lesões malignas e benignas de mama. 2011 ;
    • Vancouver

      Carvalho FP de, Takahashi CS. Estudo de danos oxidativos espontâneos no DNA de pacientes com lesões malignas e benignas de mama. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019