Exportar registro bibliográfico

Sobrevivência de Colletotrichum acutatum, agente causal da podridão floral dos citros, em plantas daninhas (2012)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FRARE, GUILHERME FERNANDO - ESALQ
  • Unidades: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: FRUTAS CÍTRICAS; FUNGOS FITOPATOGÊNICOS; PLANTAS DANINHAS; PLANTAS HOSPEDEIRAS; PODRIDÃO (DOENÇA DE PLANTA)
  • Language: Português
  • Abstract: O Brasil é o maior produtor de laranja do mundo e, embora o cultivo ocorra em todos os estados brasileiros, o Estado de São Paulo é o maior produtor, responsável por 80% da produção nacional. Dentre as doenças que podem limitar a produção dos citros encontra-se a podridão floral do citros (PFC), causada pelo fungo Colletotrichum acutatum J. H. Simmonds. Os sintomas desta doença são caracterizados pela presença de lesões necróticas marrons ou alaranjadas nas pétalas e queda dos frutos recém formados, os cálices e os pedúnculos permanecem retidos nos ramos. Em citros, C. acutatum pode sobreviver aderido à superfície das folhas, na forma de apressório quiescente, por pelo menos um mês. As plantas daninhas podem atuar como hospedeiras alternativas de diversos patógenos, servindo como fontes de inóculo e desempenhando um importante papel na epidemiologia das doenças. O objetivo deste trabalho foi verificar se plantas daninhas, comuns em pomares de citros no Estado de São Paulo, podem servir como fonte de inóculo de C. acutatum para esta cultura. Sete espécies de plantas daninhas foram inoculadas com uma suspensão de conídios de C. acutatum, calibrada a 105 conídios/mL. Após a inoculação, estas foram mantidas em câmara úmida por 36 horas e, em seguida, amostras de todas as plantas foram coletadas e observadas em microscópio óptico para verificar a germinação dos conídios. Trinta, sessenta e noventa dias após as inoculações realizou-se o isolamento de C. acutatum das folhasinoculadas. Para isso, amostras de folhas de cada espécie de planta daninha foram coletadas, desinfestadas superficialmente e transferidas para placas de Petri, onde receberam 70 L de extrato floral de citros sobre o local da inoculação, para estimular a germinação dos apressórios ali presentes. As folhas permaneceram incubadas por 24 horas a 23°C, com fotoperíodo de 12 h. Após esse período, as áreas inoculadas das folhas foram cortadas e transferidas para placas de poliestireno contendo meio de Martin. Após o surgimento das primeiras colônias de C. acutatum, discos de quatro milímetros de diâmetro foram transferidos para meio BDA, para a obtenção de colônias puras. Em seguida foi realizado um teste de patogenicidade em flores de laranja doce de três anos de idade. Os dados de porcentagem de isolamento foram analisados análise de variância e testes não paramétricos. Foram observadas a germinação e a formação de apressórios de C. acutatum na superfície de todas as folhas inoculadas, após 36 horas de câmara úmida. Não houve diferença estatística na sobrevivência de C. acutatum ao longo dos 30, 60 e 90 dias e não foi observado nenhum tipo de sintoma nas folhas inoculadas. C. acutatum foi isolado de todas as plantas daninhas analisadas, embora o tempo de sobrevivência tenha variado em função da espécie de daninha. Todos os isolados obtidos das plantas daninhas apresentaram sintomas típicos de PFC em todas as flores inoculadas. Os resultados obtidos demonstraram que as plantasdaninhas avaliadas podem servir como hospedeiras alternativas de C. acutatum, resultando em fonte de inóculo primário e secundário deste patógeno para a cultura do citros
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.02.2012
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FRARE, Guilherme Fernando; AMORIM, Lilian. Sobrevivência de Colletotrichum acutatum, agente causal da podridão floral dos citros, em plantas daninhas. 2012.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2012. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-08022012-085923/ >.
    • APA

      Frare, G. F., & Amorim, L. (2012). Sobrevivência de Colletotrichum acutatum, agente causal da podridão floral dos citros, em plantas daninhas. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-08022012-085923/
    • NLM

      Frare GF, Amorim L. Sobrevivência de Colletotrichum acutatum, agente causal da podridão floral dos citros, em plantas daninhas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-08022012-085923/
    • Vancouver

      Frare GF, Amorim L. Sobrevivência de Colletotrichum acutatum, agente causal da podridão floral dos citros, em plantas daninhas [Internet]. 2012 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11135/tde-08022012-085923/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020