Exportar registro bibliográfico

Cultivo in vitro e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae com potencial ornamental (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: KIEVITSBOSCH, TALITHA JOANA - CENA
  • Unidades: CENA
  • Subjects: BIOTECNOLOGIA DE PLANTAS; CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS; GERMINAÇÃO; MATERIAIS DE PROPAGAÇÃO VEGETAL; MORFOLOGIA VEGETAL; NUTRIÇÃO VEGETAL; PLANTAS ORNAMENTAIS
  • Language: Português
  • Abstract: As bromélias são valorizadas por suas características ornamentais, sendo o gênero Vriesea representativo neste setor. O aprimoramento de métodos de propagação in vitro destas plantas é altamente necessário a fim de suprir as necessidades do mercado, e evitar o extrativismo ilegal. Nesse contexto, o presente trabalho objetivou aprimorar o protocolo de propagação in vitro de espécies do gênero Vriesea, bem como aumentar o conhecimento global das espécies em estudo. Para tanto, sementes das espécies V. carinata, V. friburgensis, V. paraibica e V. simplex foram submetidas a processos de assepsia e introduzidas in vitro sob três temperaturas: 22 °C, 27 °C e 32 °C. Paralelamente, sementes das mesmas espécies foram semeadas em bandejas e mantidas em casa de vegetação. Através da microscopia eletrônica de varredura e ótica foi realizada a descrição morfo-anatômica do desenvolvimento pós-seminal das plântulas das mesmas espécies. Além disso, procurou-se adequar o meio de cultura às necessidades das mesmas espécies e de V. hieroglyphica, sendo testadas 3 doses de nitrogênio e 3 doses de magnésio. Também procurou-se avaliar a taxa de sobrevivência durante o processo de aclimatização de plântulas das espécies de Vriesea mencionadas (com exceção de V. hieroglyphica). Objetivou-se comparar características anatômicas e morfológicas de folhas das referidas espécies cultivadas in vitro e em casa de vegetação. Por fim, com o objetivo de estabelecer um protocolo de micropropagação para asespécies Vriesea carinata, V. paraibica, V. phillipo-coburgii; V. simplex e Aechmea nudicaulis, foram introduzidos in vitro explantes somáticos, após testes de assepsia. A partir dos experimentos citados foi verificado que a temperatura exerce uma forte influência nas taxas de germinação e mortalidade das sementes de Vrieseas in vitro, sendo que a temperatura de 32°C proporcionou as maiores taxas de mortalidade, mostrando-se prejudicial ao sucesso reprodutivo. A germinação em casa de vegetação apresentou altas taxas de mortalidade e taxas de germinação mais baixas do que in vitro. A descrição morfo-anatômica do desenvolvimento pós-seminal permitiu a caracterização de cinco estágios de desenvolvimento. Com relação ao experimento de nutrição mineral, foi evidenciado que as doses de nitrogênio e magnésio testadas acarretaram em menor acúmulo de cálcio e de potássio nas plantas, sendo que esse fato resultou em menor acúmulo de massa fresca. O experimento de aclimatização ficou inviabilizado devido ao ataque às plântulas por praga Fungus Gnats. Com a análise morfo-anatômica das folhas de plantas cultivadas in vitro e em casa de vegetação foi possível observar a presença de estruturas típicas de Bromeliaceae nas plantas cultivadas em ambas as condições: estômatos, tricomas escamiformes, mesofilo com epiderme unisseriada, parênquima aqüífero, feixes colaterais fechados e canais de aeração. Com relação à introdução in vitro a partir de explantes somáticos, pode-se afirmar que o uso de cefotaxima apresentou uma boa eficiência no combate à contaminação bacteriana em cultura de ápices caulinaresA escolha de ápice vegetativo de brotos laterais como explantes iniciais para a cultura das referidas espécies in vitro é uma boa opção. A otimização da propagação destas espécies in vitro poderá diminuir a pressão extrativista que estas vêm sofrendo e, ao mesmo tempo, abastecer o mercado ornamental
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.08.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KIEVITSBOSCH, Talitha Joana; MARTINELLI, Adriana Pinheiro. Cultivo in vitro e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae com potencial ornamental. 2011.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/64/64133/tde-26012012-105300/ >.
    • APA

      Kievitsbosch, T. J., & Martinelli, A. P. (2011). Cultivo in vitro e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae com potencial ornamental. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/64/64133/tde-26012012-105300/
    • NLM

      Kievitsbosch TJ, Martinelli AP. Cultivo in vitro e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae com potencial ornamental [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/64/64133/tde-26012012-105300/
    • Vancouver

      Kievitsbosch TJ, Martinelli AP. Cultivo in vitro e desenvolvimento pós-seminal de espécies de Bromeliaceae com potencial ornamental [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/64/64133/tde-26012012-105300/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020