Exportar registro bibliográfico

Gastrosquise fetal isolada: relação entre dilatação intestinal e resultados perinatais adversos (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: GARCIA, LUCIANA DE FREITAS - FM
  • Unidade: FM
  • Sigla do Departamento: MOG
  • Subjects: FETO; DILATAÇÃO; DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL; PROGNÓSTICO; ANORMALIDADES MUSCULOSQUELÉTICAS
  • Keywords: Bowel diameter; Diâmetro da alça intestinal; Dilation; Fetus; Gastroschisis; Gastrosquise; Outcome; Prenatal diagnosis; Ultrasound; Ultrassonografia
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivos: Este estudo foi desenvolvido para avaliar o diâmetro transverso da alça intestinal exteriorizada como fator preditor de resultado adverso, nas gestações com gastrosquise fetal isolada. Métodos: Estudo retrospectivo envolvendo 94 gestações únicas. Foi realizada a medida do diâmetro transverso da alça intestinal (DTA) herniada, por meio da ultrassonografia antenatal, até 3 semanas antes do parto. Foi considerado resultado perinatal adverso: óbito intra-útero, óbito neonatal e complicações intestinais. Resultados: a última medida ultrassonográfica do DTA foi realizada com 35,6 ± 1,6 semanas e o tempo médio do intervalo entre a última medida e o parto foi de 6,2 ± 5,0 dias. Ocorreram 10 (10,6%) casos de óbitos intraútero e neonatal; foram observadas complicações intestinais em 8 (8,5%) casos. DTA 15, 20, 25 e 30 mm foram identificadas em 87, 46, 13 e 4% das gestações com prognóstico favorável, respectivamente. O DTA 25 mm apresentou valores de sensibilidade de 38%, e, valores preditivo positivo e preditivo negativo de 38% e 87%, na predição de resultados adversos. Para o DTA 30 mm, os valores foram: 19, 50 e 85%. A área sob a curva ROC do valor observado/esperado do DTA para cada idade gestacional foi de 0,67, sendo o melhor ponto-de-corte em 1,39; e, seus valores preditivos foram semelhantes aos do DTA 25 mm. Dilatação intestinal esteve significantemente associada com baixa taxa de fechamento primário da parede abdominal, longo período para iniciar a dieta via oral e internação hospitalar prolongada. Conclusões: Dilatação intestinal demonstrada até 3 semanas antes do parto é preditora de complicações intestinais e está associado a baixa taxa de fechamento primário da parede abdominal, longo período para iniciar a dieta via oral e de internação hospitalar
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.11.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA, Luciana de Freitas; BRIZOT, Maria de Lourdes. Gastrosquise fetal isolada: relação entre dilatação intestinal e resultados perinatais adversos. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-06022012-174407/ >.
    • APA

      Garcia, L. de F., & Brizot, M. de L. (2011). Gastrosquise fetal isolada: relação entre dilatação intestinal e resultados perinatais adversos. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-06022012-174407/
    • NLM

      Garcia L de F, Brizot M de L. Gastrosquise fetal isolada: relação entre dilatação intestinal e resultados perinatais adversos [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-06022012-174407/
    • Vancouver

      Garcia L de F, Brizot M de L. Gastrosquise fetal isolada: relação entre dilatação intestinal e resultados perinatais adversos [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5139/tde-06022012-174407/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021