Exportar registro bibliográfico

Mediação pela corticosterona do comportamento de avaliação de risco associado à reação de defesa em ratos isolados: pepal do córtex cingulado anterior (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: REIS, FERNANDO MIDEA CUCCOVIA VASCONCELOS - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: PSICOBIOLOGIA; ISOLAMENTO SOCIAL ANIMAL; AVALIAÇÃO DE RISCO; NEUROPSICOLOGIA; NEUROFARMACOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: A resposta de estresse envolve a ativação do eixo hipotálamo - pituitária - adrenal (HPA) que resulta na liberação de glicocorticóides na corrente sanguínea. Nesse sentido, a maneira como o eixo HPA é ativado em consequência do estresse de curto e longo prazo ainda está aberta para investigações. Esse trabalho teve como objetivo verificar: i) em que medida o eixo HPA é ativado por diferentes períodos de isolamento social e como se correlaciona com as categorias comportamentais exibidas por ratos submetidos ao teste do labirinto em cruz elevado (LCE) ii) os efeitos da metirapona - um inibidor da síntese de corticosterona- sobre as conseqüências comportamentais do isolamento social iii) se a corticosterona exerce seus efeitos quando administrada localmente no córtex cingulado anterior, área 1 (Cgl). Ratos Wistar machos foram submetidos a 30 minutos, 2 horas, 24 horas e 7 dias de isolamento antes de serem expostos ao LCE e as respectivas concentrações plasmáticas finais de corticosterona dosadas. Quanto mais tempo os animais permaneceram isolados, maior foi a aversão aos braços abertos do LCE. Entretanto, as concentrações plasmáticas de corticosterona e o comportamento de esticamento aumentaram apenas no período de 30 minutos iniciais do isolamento. Dentre todas as categorias comportamentais avaliadas no LCE, apenas o esticamento correlacionou-se positivamente com as concentrações de corticosterona plasmática. A metirapona administrada antes do período de 24 horas de isolamento preveniu os efeitos ansiogênicos prolongados desse estressor. Ademais, a corticosterona injetada diretamente no Cgl promoveu um aumento seletivo do comportamento de esticamento. Esses resultados sugerem que os comportamentos de avaliação de risco, induzidos pela ação da corticosterona nos neurónios do Cgl, são determinantes para o processo de reações defensivas relacionadas ao estresse
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 30.08.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      REIS, Fernando Midea Cuccovia Vasconcelos; BRANDÃO, Marcus Lira. Mediação pela corticosterona do comportamento de avaliação de risco associado à reação de defesa em ratos isolados: pepal do córtex cingulado anterior. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Reis, F. M. C. V., & Brandão, M. L. (2011). Mediação pela corticosterona do comportamento de avaliação de risco associado à reação de defesa em ratos isolados: pepal do córtex cingulado anterior. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Reis FMCV, Brandão ML. Mediação pela corticosterona do comportamento de avaliação de risco associado à reação de defesa em ratos isolados: pepal do córtex cingulado anterior. 2011 ;
    • Vancouver

      Reis FMCV, Brandão ML. Mediação pela corticosterona do comportamento de avaliação de risco associado à reação de defesa em ratos isolados: pepal do córtex cingulado anterior. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021