Exportar registro bibliográfico

Análise espectral de sinais atriais e sua correlação topográfica com a inervação parassimpática cardíaca (2011)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RIVAROLA, ESTEBAN WISNIVESKY ROCCA - FM
  • Unidades: FM
  • Sigla do Departamento: MCP
  • Subjects: CATETERISMO CARDÍACO (TÉCNICAS); ANÁLISE ESPECTRAL; SISTEMA NERVOSO PARASSIMPÁTICO; FIBRILAÇÃO ATRIAL
  • Keywords: Atrial fibrillation; Catheter ablation; Parasympathetic nervous system; Spectral analysis
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo. Verificar se as características espectrais dos eletrogramas atriais (EgA) em ritmo sinusal (RS) se correlacionam com a presença de gânglios parassimpáticos cardíacos. Materiais e Resultados. Treze pacientes encaminhados para submeter-se a ablação de fibrilação atrial (FA) foram incluídos de forma prospectiva. Previamente ao início da ablação, realizou-se o registro de EgA em RS em uma série de regiões anatômicas pré-determinadas, seguindo-se uma ordem sequencial. Em seguida, aplicou-se estímulos elétricos de alta frequência (20 Hz de frequência, amplitude de 100 V e duração de pulso de 4 ms), nos mesmos locais. Uma resposta vagal evocada foi definida como um súbito aumento no intervalo RR ou a indução de bloqueio na condução átrio-ventricular imediatamente após a aplicação do estímulo de alta-frequência (EAF). Procedeu-se à análise espectral dos sinais atriais em RS registrados, com amostragem de 1000 Hz, janela Hanning. No total, 1488 EgA oriundos de 186 locais anatômicos foram registrados, sendo 129 de regiões com resposta vagal negativa e 57 correspondentes a regiões de resposta vagal positiva. A duração do eletrograma e o número de deflecções foram similares nos pontos com resposta vagal positiva e negativa. A densidade de potência espectral em locais de resposta vagal positiva, no entanto, foi menor entre 26 e 83 Hz, e maior entre 107 e 200 Hz, comparados com os locais de resposta negativa. A área sobre a curva entre 120 e 170 Hz normalizada para a área totaldo espectro foi testada como um novo parâmetro diagnóstico. A análise de curva ROC demonstrou que o valor area 120-170 / area total > 0,14 foi capaz de identificar locais de inervação vagal com sensibilidade de 70,9% e especificidade de 72,1%. Conclusão. A análise espectral de sinais atriais durante RS é um método factível e simples de mapear os locais de inervação parassimpática cardíaca, sem a necessidade de qualquer tipo de estimulação
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.08.2011
  • Online source access
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RIVAROLA, Esteban Wisnivesky Rocca; SOSA, Eduardo Argentino. Análise espectral de sinais atriais e sua correlação topográfica com a inervação parassimpática cardíaca. 2011.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-02122011-102500/ >.
    • APA

      Rivarola, E. W. R., & Sosa, E. A. (2011). Análise espectral de sinais atriais e sua correlação topográfica com a inervação parassimpática cardíaca. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-02122011-102500/
    • NLM

      Rivarola EWR, Sosa EA. Análise espectral de sinais atriais e sua correlação topográfica com a inervação parassimpática cardíaca [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-02122011-102500/
    • Vancouver

      Rivarola EWR, Sosa EA. Análise espectral de sinais atriais e sua correlação topográfica com a inervação parassimpática cardíaca [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5131/tde-02122011-102500/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020