Exportar registro bibliográfico

Efeitos da omissão de reforço de diferentes magnitudes em ratos com lesões do núcleo central em complexo basolateral da amígdala (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: DAHER, DANIELLE MARCILIO JUDICE - FFCLRP
  • Unidade: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: REFORÇO; PSICOBIOLOGIA; AMÍGDALA DO CEREBELO
  • Language: Português
  • Abstract: Os efeitos da omissão do reforço (EORs) são caracterizados por taxas de respostas mais altas após a omissão do que após a liberação do reforço. Uma das interpretações propostas para se explicar os EORs sugere que há uma facilitação comportamental após o não reforçamento decorrente de um efeito de frustração (FE). Segundo a teoria do FE, quanto maior a magnitude do reforço omitido, maior o FE. A literatura, entretanto, não forneceu apoio empírico consistente a esta predição. Assim, o experimento 1 examinou a relação entre a magnitude do reforço e os EORs. As evidências de que a amígdala estaria envolvida na modulação de respostas correlacionadas com estados emocionais levaram ao interesse de se examinar o efeito da lesão desta estrutura sobre os EORs. Os resultados apresentados pela literatura são divergentes. Recentemente, tem sido atribuído a diferentes regiões da amígdala, principalmente ao complexo basolateral (BLA) e ao núcleo central (CN), funções emocionais e/ou motivacionais mais específicas. Assim, o experimento 2 examinou se lesões no BLA e no CN interfere nos EORs quando diferentes magnitudes de reforços são utilizadas. No experimento 2 A, as lesões bilaterais do CN e do BLA foram feitas após as sessões do treino comportamental, e no experimento 2 B, antes deste treinamento. Em todos os experimentos, as sessões de treino empregaram esquemas de intervalos-fixo com limited-hold sinalizados. A resposta carreta sempre foi seguida da liberação de uma dentre duas magnitudes de reforço (0,05 ou 0,5 ml de água). Nas sessões de teste, foi introduzida a omissão parcial do reforço. Os resultados da fase de aquisição dos experimentos 1 e 2 superem que: (1) o reforço de maior magnitude melhorou a discriminação temporal das respostas no decorrer do intervalo-fixo em relação ao reforço de menor magnitude; e (2) que o estímulo exteroceptivo evocoupropriedades antecipatórias as quais se associaram as duas magnitudes de reforço. Os resultados da fase de teste do experimento 1 mostraram que, apesar da porcentagem média de resposta ter sido mais alta após a omissão do reforço de maior magnitude que de menor, esta se manteve no mesmo nível em que já estava no período precedente à liberação ou à omissão desta magnitude de reforço. Estes dados sugerem que os EORs não resultam de uma facilitação comportamental após o não-reforçamento e não estão, aparentemente, relacionados à magnitude do reforço. Os resultados da fase de teste dos experimentos 2 A e B mostraram que a porcentagem média de resposta dos ratos dos grupos com lesão do BLA e do CN, assim como a dos ratos de seus respectivos grupos controles, foi mais alta após a omissão do que após a liberação do reforço de ambas magnitudes. Estes dados indicam que as lesões do CN e do BLA não eliminaram os EORs. Porém, os resultados do experimento 2 A mostraram que a porcentagem média de resposta dos ratos dos grupos com lesão do BLA e do CN foi mais alta após a omissão do reforço de menor magnitude do que aquela observada nos ratos de seus respectivos grupos controles. Assim, as lesões do CN ou do BLA interferiram nos EORs quando o reforço de menor magnitude foi omitido. Os resultados do experimento 2 A também mostraram que a lesão do BLA prejudicou o controle do comportamento pelo sinal associado a magnitudes diferentes de reforços. Portanto, os EORs devem ser modulados por um circuito cerebral dentre o qual a amígdala é uma de suas estruturas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 03.08.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DAHER, Danielle Marcilio Judice; BUENO, José Lino Oliveira. Efeitos da omissão de reforço de diferentes magnitudes em ratos com lesões do núcleo central em complexo basolateral da amígdala. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Daher, D. M. J., & Bueno, J. L. O. (2011). Efeitos da omissão de reforço de diferentes magnitudes em ratos com lesões do núcleo central em complexo basolateral da amígdala. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Daher DMJ, Bueno JLO. Efeitos da omissão de reforço de diferentes magnitudes em ratos com lesões do núcleo central em complexo basolateral da amígdala. 2011 ;
    • Vancouver

      Daher DMJ, Bueno JLO. Efeitos da omissão de reforço de diferentes magnitudes em ratos com lesões do núcleo central em complexo basolateral da amígdala. 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021