Exportar registro bibliográfico

Filogenia do complexo Drosophila buzzatii (grupo repleto): inferências de análises multilocus mitocondriais e nucleares (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: FERREIRA, RAFAEL FRANSAK - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: FILOGENIA; DROSOPHILA
  • Language: Português
  • Abstract: O complexo Drosophila buzzatii (grupo repletos compreende 13 espécies, divididas em três clusters, de acordo com o bandeamento observado nos cromossomos politênicos: cluster D. stalkeri, incluindo D. richardsoni e D. stalkeri, restrito às ilhas do Caribe e Flórida; cluster D. martensis, incluindo D. maríensis, D. uniseta, D. venezolana e D. starmeri, encontrado em áreas desérticas da Colômbia e Venezuela; e cluster D. buzzatii, incluindo D. buzzatii, D. koepferae, D. antonietae, D. seridó, D. gouveai, D. borborema e D. seriema, habitando regiões sazonalmente secas ao longo da diagonal de vegetação aberta da América do Sul. O presente estudo teve como objetivo inferir as relações filogenéticas entre as espécies do complexo D. buzzatii, dando ênfase ao cluster D. buzzatii, por meio de análises multilocus de genes mitocondriais (COI e COII) e nucleares (EF-‘alfa’F1 , transformer e period). Nas hipóteses filogenéticas estabelecidas, as espécies do complexo D. buzzatii constituíram um grupo monofilético, composto por dois subgrupos monofiléticos, os clusters D. martensis e D. buzzatii, e um parafilético, o cluster D. stalkeri. As relações de parentesco entre as espécies do cluster D. buzzatii foram estabelecidas. Drosophila buzzatii ocupou a posição mais basal dentro do cluster D. buzzatii, estando proximamente relacionada à espécie D. koepferae. Drosophila antonietae ocupou uma posição intermediária em relação às espécies D. koepferae e D. seridó, que representa o táxon irmão do ramo formado por D. gouveai, D. borborema e D. seriema, com D. gouveai ocupando uma posição mais basal em relação às espécies irmãs D. borborema e D. seriema. Foi detectada seleção purificadora como a principal força dirigindo a evolução dos genes nucleares transformar e period, para as espécies do complexo D. buzzatii. O gene mitocondrial COI, por sua vez, foi utilizado paraestimar os tempos de divergência para as espécies do cluster D. buzzatii, revelando que o processo de diversificação do grupo iniciou-se no período Plioceno, provavelmente em decorrência de eventos de vicariância associados à elevação dos Andes, sendo também influenciado pelo avanço e retração da vegetação xerófita, nas flutuações climáticas do Pleistoceno
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 04.07.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FERREIRA, Rafael Fransak; MANFRIN, Maura Helena. Filogenia do complexo Drosophila buzzatii (grupo repleto): inferências de análises multilocus mitocondriais e nucleares. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Ferreira, R. F., & Manfrin, M. H. (2011). Filogenia do complexo Drosophila buzzatii (grupo repleto): inferências de análises multilocus mitocondriais e nucleares. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Ferreira RF, Manfrin MH. Filogenia do complexo Drosophila buzzatii (grupo repleto): inferências de análises multilocus mitocondriais e nucleares. 2011 ;
    • Vancouver

      Ferreira RF, Manfrin MH. Filogenia do complexo Drosophila buzzatii (grupo repleto): inferências de análises multilocus mitocondriais e nucleares. 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021