Exportar registro bibliográfico

Efeito de bebidas no esmalte dental submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: AMORAS, DINAH RIBEIRO - FORP
  • Unidade: FORP
  • Sigla do Departamento: 804
  • Subjects: ESMALTE DENTÁRIO; EROSÃO DE DENTE; MÉTODOS DE ESTUDO; DENTÍSTICA
  • Language: Português
  • Abstract: A erosão dental de origem endógena apresenta alta prevalência e o efeito da ingestão frequente de determinadas bebidas poderia intensificar ou atenuar a lesão no esmalte. A análise do potencial erosivo das bebidas é uma estratégia importante para prevenir seu efeito na estrutura dental. Neste contexto, este estudo avaliou através de um modelo in vitro o efeito de bebidas no esmalte dental previamente submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico. O fator em estudo foi o tipo de bebida, em cinco níveis: refrigerante de limão de baixa caloria (Sprite Zero Coca-Cola® Brasil), leite Ultra Higt Temperature integral (Parmalat®), extrato de soja integral (Ades® Original), chá preto pronto para beber de baixa caloria sabor pêssego (Leão Ice Tea Zero Coca-Cola® Brasil) e água mineral natural (Prata®). 75 espécimes de esmalte bovino foram distribuídos entre os 5 tipos de bebida (n=15), de acordo com delineamento em blocos completos e casualizados. Para a formação das lesões de desgaste erosivo, os espécimes foram imersos por 2 minutos em 10 ml de solução aquosa de ácido clorídrico 0,01 M. Posteriormente foram lavados com água deionizada, imersos em saliva artificial a 37ºC por 2 horas. Foram feitas imersões em 20 ml das bebidas por 1 minuto, 2 vezes ao dia por 2 dias, sob temperatura ambiente. Nos intervalos entre as imersões os espécimes permaneceram em saliva artificial a 37ºC. A variável de resposta utilizada foi a microdureza superficial do esmalte. ANOVA e o teste de Tukey demonstraram diferenças altamente significativas (p < 0,00001) no esmalte exposto ao ácido clorídrico e às bebidas. O refrigerante de limão provocou uma diminuição da microdureza superficial significativamente maior do que as demais bebidas. O chá preto de baixa caloria provocou diminuição da microdureza significativamente maior que a água mineral, o leite UHT e o extrato de soja, porém menor que o refrigeranteà base de limão. Leite UHT, extrato de soja e água mineral não proporcionaram diminuição adicional na microdureza do esmalte previamente erodido. Dentre as bebidas analisadas, o refrigerante de limão com baixa caloria e o chá preto pronto para beber com baixa caloria potencializaram a erosão do esmalte dental
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.01.2011
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      AMORAS, Dinah Ribeiro; SERRA, Mônica Campos. Efeito de bebidas no esmalte dental submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-04022011-162217/ >.
    • APA

      Amoras, D. R., & Serra, M. C. (2011). Efeito de bebidas no esmalte dental submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-04022011-162217/
    • NLM

      Amoras DR, Serra MC. Efeito de bebidas no esmalte dental submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-04022011-162217/
    • Vancouver

      Amoras DR, Serra MC. Efeito de bebidas no esmalte dental submetido a desafio erosivo com ácido clorídrico [Internet]. 2011 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/58/58133/tde-04022011-162217/


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021