Exportar registro bibliográfico

Hábitos de sucção não-nutritivos prolongados estão associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar? (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: NADER, MARCELA MAIA - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: HÁBITOS DE SUÇÃO NÃO NUTRITIVA; ANSIEDADE; SUCÇÃO DE CHUPETA; ALEITAMENTO MATERNO
  • Language: Português
  • Abstract: Introdução: bois estudos de coorte, realizados em Ribeirão Preto (RP), SP e São Luís (SL), MA, avaliaram de modo completo as crianças participantes, tanto na época do nascimento (RP em 1994 e SL em 1997) quanto na idade escolar, neste segundo momento incluindo avaliação psicológica. Esta riqueza de dados proporcionou estudos de associação entre condições ao nascer com o desenvolvimento psicológico na idade escolar. Dentre os aspectos avaliados que despertaram interesse foram estudados a presença de hábitos de sucção não nutritivos prolongados e a ocorrência de problemas emocionais e comportamentais. Objetivos: Verificar a associação entre condições ao nascer e da idade escolar com hábitos de sucção não-nutritivos prolongados (HSNNP - sucção digital e de chupeta por tempo maior que 36 meses). Avaliar a associação entre HSNNP e dificuldades comportamentais e emocionais na idade escolar, em sujeitos provenientes de dois estudos de coorte em RP e SL. Métodos: Os dados coletados ao nascimento foram provenientes de questionários padronizados aplicados às puérperas logo após o parto, mensuração de parâmetros antropométricos dos recém nascidos, observação da idade gestacional por meio da informação da mãe sobre a data da última menstruação e informações demográficas e socioeconômicas. Os dados coletados novamente em RP e em SL na idade escolar foram referentes aos hábitos de sucção não nutritivos, considerados prolongados quando mantidos por 36 meses ou mais, e nutritivos (uso de mamadeira, dormir com mamadeira, alimentação com leite humano), além dos testes psicológicos para avaliação do desempenho afetivo e comportamental por meio da aplicação do SDQ - Questionário das Capacidades e Dificuldades, e variáveis sócioeconômicas e demográficas. Foram considerados na amostra da idade escolar cinco faixas de peso ao nascer: muito baixo peso (MBPN, ˂1500g), baixo peso (BPN, 1500׀-2500g),peso insuficiente (PIN, 2500׀-3000), peso normal (PNN, 3000׀-4250), alto peso ao nascer (APN, ≥4250g). Os casos de MBPN, BPN e APN foram sobreamostrados para aumentar o poder do estudo, e as estimativas foram corrigidas por ponderação utilizando-se as variáveis "peso ao nascer" e "nascimento pré-termo". As estimativas das razões de prevalência (PR) brutas e ajustadas, com os respectivos intervalos de confiança de 95% (IC95%), foram calculadas por meio de regressão de Poisson com ajuste robusto de variância. Em todas as análises estatísticas o delineamento complexo da amostra foi considerado (amostra estratificada pelo peso de nascimento e aplicação de pesos amostrais). Na análise ajustada foram feitos dois modelos, sendo que o Modelo 1 foi ajustado pelas variáveis do nascimento e o Modelo 2 incluiu as variaveis do nascimento e aquelas obtidas na idade escolar. Apresentaram-se as freqüências não ponderadas das variáveis e as proporções ponderadas das mesmas. O pacote estatístico utilizado foi o Stata versão 10.0 e o nível de significância considerado foi de 0,05. Resultados: A prevalência dos hábitos foi de 47,6% em RP e 19,6% em SL. Peso ao nascer e demais variáveis do nascimento em RP não se associaram aos hábitos; em SL mães em união consensual e sexo feminino apresentaram maiores prevalências dos hábitos (PR 1,50, IC95% 1,01-2,22; PR 1,41, IC95% 1,03-1,93, respectivamente). Usar mamadeira foi fator de risco nos dois locais (PR 5,62, IC95% 2,58-12,25 em RP; PR 2,43, IC95% 1,48-4,00 em SL). Em SL, dormir com mamadeira (PR 1,44, IC95% 1,04-2,00) e não ser amamentado com leite humano (PR 1,66, IC95%1,09-2,53) foram fatores de risco. Para análise dos dados do SDQ as classificações "normal" e "limítrofe", foram agrupadas considerando-se a classificação "anormal" como indicadora de problemas de comportamento nas crianças. Foram consideradas anormais após aplicação do SDQ 38,2% das crianças emRP e 34,7% em SL. Tanto em RP (54,0%) quanto em SL (57,4%) mais da metade das crianças apresentou alterações na escala de Sintomas Emocionais. Foram consideradas anormais para: Problemas de Conduta (34,7%-RP e 48,0%-SL), Hiperatividade (RP-26,4% e SL-32,5%) e Problemas de Relacionamento (27,2%-RP e 26,5%-SL). Após análises brutas e ajustadas para RP as variáveis que se apresentaram como fatores de risco para Sintomas Emocionais, Problemas de Conduta, Hiperatividade e Problemas de Relacionamento foram: mães jovens, com baixa escolaridade, que viviam em união consensual ou estavam sem companheiro, fumantes, chefe da família com ocupação manual e manual não qualificada, e crianças que apresentaram baixo peso ao nascer e HSNNP. Para SL, baixa escolaridade materna, a união consensual ou estar sem companheiro, chefe da família com ocupação manual não qualificada e o parto cesariana. As crianças que apresentaram HSNNP tiveram maior risco de Problemas de relacionamento em SL. As crianças que não foram amamentadas com leite humano estiveram protegidas para Problemas de Conduta em SL, as que nasceram de cesariana estiveram protegidas para Problemas de Relacionamento em RP, e as meninas estiveram protegidas de apresentar Problemas de Conduta (RP, SL) e Hiperatividade (RP, SL). Conclusões: Peso ao nascer, nascimento pré-termo e as variáveis maternas ao nascimento em RP não estiveram associados aos HSNNP; em SL somente a situação conjugal, especificamente, a união consensual, predispôs a maior risco de desenvolver estes hábitos, assim como as crianças do sexo feminino. As variáveis relacionadas à forma de alimentação foram as mais importantes para a ocorrência desses hábitos nas duas cidades: quem fez uso da mamadeira teve maior risco de desenvolver HSNNP, tanto em RP quanto em SL, e quem dormiu com a mamadeira e não recebeu leite humano teve maior risco de adquirir HSNNP em SL.As crianças das duas cidades apresentaram altos índices de anormalidade nas subescalas do SDQ. As variáveis maternas que mais representaram risco estavam relacionadas a condições socioeconômicas desfavoráveis e ao tabagismo materno na gestação. O baixo peso ao nascer também foi fator de risco para as crianças nas escalas de Sintomas Emocionais e Hiperatividade ao passo que sexo feminino foi importante fator de proteção para Problemas de Conduta e Hiperatividade. Os HSNNP estiveram mais associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar em RP, sendo que em SL se associou de forma marginal a problemas de relacionamento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.05.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NADER, Marcela Maia; BETTIOL, Heloisa. Hábitos de sucção não-nutritivos prolongados estão associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar?. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Nader, M. M., & Bettiol, H. (2011). Hábitos de sucção não-nutritivos prolongados estão associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar?. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Nader MM, Bettiol H. Hábitos de sucção não-nutritivos prolongados estão associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar? 2011 ;
    • Vancouver

      Nader MM, Bettiol H. Hábitos de sucção não-nutritivos prolongados estão associados a dificuldades emocionais e comportamentais na idade escolar? 2011 ;


Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021