Exportar registro bibliográfico

Que eu vou na terra dos negros: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África (2010)

  • Authors:
  • Autor USP: SILVA, ANGELA FILENO DA - FFLCH
  • Unidade: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLH
  • Subjects: BRASILEIROS; IMIGRAÇÃO; COMÉRCIO NEGREIRO
  • Language: Português
  • Abstract: A primeira geração de brasileiros estabelecida no Golfo do Benim era composta por negreiros, cujas relações tecidas com chefias locais e a manutenção das redes comerciais no Brasil, principalmente na Bahia, haviam lhes rendido ganhos econômicos e de status. Esses indivíduos foram responsáveis constituir as condições necessárias à instalação de uma segunda geração de brasileiros, em muitos aspectos, distinta da anterior. Composta majoritariamente por africanos libertos e seus descendentes, esse grupo começou a descer no litoral ocidental africano a partir de 1835. Vindos principalmente de Salvador, tais ex-cativos transformaram significativamente a composição humana das sociedades costeiras onde se estabeleceram. Como uma comunidade a parte e, no entanto, em permanente diálogo com os contextos em que seus indivíduos estavam inscritos, esses brasileiros de segunda geração foram responsáveis por selecionar e ressignificar os sinais distintivos de seu grupo. O ciclo de homenagens dirigidas ao Senhor do Bonfim é apresentado nessa dissertação como uma das ocasiões em que esse pertencimento à comunidade brasileira é publicamente ativado. Tendo a festa dedicada ao Senhor do Bonfim, o folguedo da burrinha e as canções entoadas em dias de comemoração como eixo temático que permeia esse estudo, procurei relacionar a constituição da identidade brasileira na África como um processo elaborado a partir do contato proporcionado pelo Atlântico. Nesse sentido, procuro entender quais teriamsido os mecanismos de seleção e descarte aplicados a essas comemorações que atravessaram o oceano e, no interior da comunidade, ganharam novos emblemas e adquiriram diferentes significados, constituindo um dos sinais diacríticos de uma identidade brasileira que é, sobretudo, Atlântica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.11.2010
  • Acesso à fonte
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVA, Angela Fileno da; SOUZA, Marina de Mello e. Que eu vou na terra dos negros: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África. 2010.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19082011-105508/ >.
    • APA

      Silva, A. F. da, & Souza, M. de M. e. (2010). Que eu vou na terra dos negros: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19082011-105508/
    • NLM

      Silva AF da, Souza M de M e. Que eu vou na terra dos negros: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19082011-105508/
    • Vancouver

      Silva AF da, Souza M de M e. Que eu vou na terra dos negros: circularidades atlânticas e a comunidade brasileira na África [Internet]. 2010 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-19082011-105508/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2021