Exportar registro bibliográfico

Soroprevalência da toxoplasmose entre gestantes do municípios de Ribeirão Preto e estratégias para prevenção da toxoplasmose congênita (2011)

  • Authors:
  • Autor USP: DUARTE, ANDRÉ HENRIQUE LOTT - FMRP
  • Unidade: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: TOXOPLASMOSE; PREVALÊNCIA; TOXOPLASMOSE CONGÊNITA
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: Identificar a soroprevalência para toxoplasmose entre gestantes atendidas no sistema municipal de saúde em Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Descrever a investigação das mulheres com probabilidade de toxoplasmose materna aguda na unidade básica de saúde e no centro de referência. Descrever a investigação e conclusão diagnóstica dos filhos destas mulheres quanto à toxoplasmose congénita. Métodos: Estudo descritivo de soroprevalência para toxoplasmose da coorte de gestantes assistidas no sistema municipal de saúde de Ribeirão Preto durante o período de novembro de 2007 a dezembro de 2009. Foram incluídas 7024 gestantes que realizaram 10182 exames sorológicos para toxoplasmose. No serviço de referência foram avaliados prontuários de todas as gestantes com sorologia sugestiva de toxoplasmose materna aguda assim como das soroconvertidas. Segundo resultados de testes sorológicos estas gestantes foram classificadas quanto à categoria de infecção de toxoplasmose. Foi verificada a investigação à qual estas mulheres foram submetidas no centro de referência e, por fim, verificou-se se os filhos das mesmas foram investigados e avaliados quanto ao diagnóstico final de toxoplasmose congénita. Foi utilizada estatística descritiva. Resultados: A prevalência de sororeatividade de anticorpos IgG para Toxoplasma foi de 46,1% (IC95% 44,9- 47,3) entre as 7024 mulheres, havendo associação desta reatividade com a idade e o distrito de saúde de atendimento. A prevalência de soropositividade para anticorpos IgM foi de 1,7% (IC95% 1,4-2,0). Entre as 3713 mulheres com primeiras serologias IgG e IgM negativas, somente 2184 (58,8%) tiveram pelo menos um teste repetido durante a gestação. Destas, 14 (0,64%; (IC95% 0,31-0,97) soroconverteram. À sorologia inicial, 208 (2,9%) das gestantes poderiam ser consideradas sob risco de terem sido recentemente infectadas pelo Toxoplasma, sendo 136(65,4%) dessas candidatas à realização de testes de avidez de IgG que resultou <30% em 3,1% das gestantes testadas (130/136). Após a realização dos testes sorológicos complementares previstos pelo protocolo vigente e acrescentando 14 gestantes nas quais foi documentada soroconversão, 45/222 (20,3%) gestantes deveriam ter sido encaminhadas ao serviço de referência. Porém, somente 32 (71,1%) efetivamente o foram. Outras 42 (18,9%) que foram encaminhadas não preencheriam critérios segundo o protocolo vigente. Setenta e uma crianças nasceram no centro de referência, sendo 33 (46,5%) acompanhadas para elucidação diagnóstica no ambulatório de referência. As crianças cujas mães foram classificadas como portadoras de infecção comprovada ou provável foram submetidas à investigação adicional e tratadas com drogas antiparasitárias com maior frequência que as demais. Foi identificada uma (7,1%; IC95%: 4,2- 18,5) criança portadora de toxoplasmose congénita entre 14 cujas mães foram classificadas com toxoplasmose materna aguda provável ou comprovada, sendo que esse diagnóstico foi afastado em outras 26 crianças e em 6 delas não se pode concluir sobre a toxoplasmose congénita. Conclusões: Comparando-se com dados históricos de uma década atrás, a soroprevalência para toxoplasmose entre gestantes assistidas na SMSRP declinou desde então. Há aparente necessidade de melhor preparo das equipes de saúde e/ou facilitação para o encaminhamento de gestantes ao serviço de referência. Apesar de pouco frequente, a toxoplasmose congénita ocorreu em crianças nascidas de mulheres com toxoplasmose materna aguda congénita
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.05.2011

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUARTE, André Henrique Lott; PINHATA, Marisa Márcia Mussi. Soroprevalência da toxoplasmose entre gestantes do municípios de Ribeirão Preto e estratégias para prevenção da toxoplasmose congênita. 2011.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2011.
    • APA

      Duarte, A. H. L., & Pinhata, M. M. M. (2011). Soroprevalência da toxoplasmose entre gestantes do municípios de Ribeirão Preto e estratégias para prevenção da toxoplasmose congênita. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Duarte AHL, Pinhata MMM. Soroprevalência da toxoplasmose entre gestantes do municípios de Ribeirão Preto e estratégias para prevenção da toxoplasmose congênita. 2011 ;
    • Vancouver

      Duarte AHL, Pinhata MMM. Soroprevalência da toxoplasmose entre gestantes do municípios de Ribeirão Preto e estratégias para prevenção da toxoplasmose congênita. 2011 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2020